Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 14 de junho de 2019.
https://espacovital.com.br/images/jus_azul_caricatura_2.jpg

A relação entre sexo e pênaltis



Arte de Camila Adamoli sobre imagem (reprodução) Youtube

Imagem da Matéria

Já escrevi aqui no Jus Azul, que a IVI inventou, como no livro 1984 de G. Orwell, uma novilíngua. Segundona virou Brasileirão série B. Gol roubado a favor do Inter vira “gol resultante de lance polêmico”. Bingo.

Agora a IVI se superou. Falo do comentário de Diori Vasconcelos sobre o pênalti não marcado por Anderson Daronco – vejam a foto que ilustra a coluna de hoje.

“Moledo segurou a camisa do adversário, mas não puxou. Por isso não foi pênalti”. Fumou, mas não tragou! Binguíssimo. Bom, basta ver a imagem. E o vídeo. E a foto. Sim, a foto, pela qual Diori, malabaristicamente, diz que não houve o penal.

Disse Diori: “Se foto comprovasse pênalti, a Fifa teria criado o árbitro de foto, e não o de vídeo”. Que tal? A novilíngua ou duplipensar de Diori dará tese de doutorado em arbitragem e jornalismo.

Na foto é pênalti, diz Diori. Mas olhando o vídeo, não, alude.

Digo eu: caro leitor, veja de novo a foto. Vejam a camisa. Segurou a camisa, mas não é pênalti... Hum, hum. Um twiteiro, vendo um comentário de Diori sobre o gol de Marinho contra o São Luiz, apimentou: “Diori: até na foto foi um golaço”. Diori virou meme.

Dar outro nome às coisas não é coisa nova. Bill Clinton, ao ser inquirido sobre o episódio Monica Lewinski (sexo oral no salão oval da White House), respondeu: “Tecnicamente não foi sexo. Sexo tem de ter intercurso. No caso, foi apenas felatio in ore”. Bingo de novo.

Moledo segurou, mas não puxou. Na foto é pênalti; no vídeo, não. Fumou, mas não tragou. No vídeo, Hitler era um canalha; na foto brincando com o seu cachorro, um monstro meigo. Pois é.

A linguagem, como dizia Platão, é um Pharmakon: veneno, remédio e cosmético. A IVI criou uma linguagem nova. Até título de sub treze dá notícia, com direito à entrevista da mãe do goleiro colorado. Lembram da página inteira de ZH em uma vitória do time feminino do Inter sobre o Grêmio? E quando o Inter assumiu a liderança da segundona, em 2017, a manchete esqueceu o ´B´ de série B e a notícia foguetória foi: “Inter assume liderança do Brasileirão”.

Desculpem, mas vai aí mais um bingo! E dizem por aí que “isso de IVI não existe”!

Essa do Diori foi de cabo de esquadra. Ora, com todos os recursos técnicos, comentar arbitragem é fazer profecia sobre o que passou. Bom, no Brasil se erra até nas previsões sobre o passado. E Diori (não só ele, atenção, porque a CIA – Comentaristas Isentos de Arbitragem - tem mais integrantes) consegue errar em ´slow motion´.

Bom, esta minha opinião é apenas uma imagem. Uma foto. Um print. No vídeo a coluna pode ser bem diferente...!

Diz-se que contra fatos não há argumentos. Por aqui, para a IVI, contra argumentos não há fatos. Nem fotos. Nem vídeos!

PS – Convido os leitores a me seguirem no Twitter Lenio Jus Azul - @streckgremio. E a fazerem sugestões também.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Douglas Trevisol Pinheiro - Advogado 07.02.19 | 18:03:04
Faço das palavras do Dr. Alex, as minhas. Pouquíssimas vezes li algo sobre o grêmio na coluna Jus Azul. Depois ficam dizendo que a imprensa não é isenta, pois só fala do inter... vai entender.
Alex Jung - Advogado 05.02.19 | 09:44:12

Caro Dr. Lênio, será que não está no momento de assumires que és colorado? Com efeito, desde o início desta sua coluna aqui no EV, o nobre colega só fala dos jogos do INTER. Dá para contar nos dedos de uma das mãos (pode até ser uma das mãos do Lula) as colunas em que falaste apenas sobre o Grêmio. Enfim, serás muito bem acolhido na torcida COLORADA....rsrsrsrs

Banner publicitário

Mais artigos do autor

A IVI da Ipiranga e o espaço destinado ao Grêmio

“Fico imaginando o modo como essas capas e manchetes de jornal são feitas, algo como a combinação Moro-Dallagnol. Você faz por ali, eu faço por aqui e ´pimba´ no Grêmio!..."

Arte de Camila Adamolli sobre foto Uol Esporte

   Meus aforismos sobre a crise do Grêmio

 

Meus aforismos sobre a crise do Grêmio

“´Tratactus logico-futebolisticus´. Em 16 proposições, os pensamentos sobre o momento do Imortal Tricolor.  Entre estes, quatro perguntas instigantes: 1) São os jogadores que determinam o número de treinos por semana? 2) Quem dá o tom da intensidade dos trabalhos? 3) Quem dispensa determinados jogadores para não viajarem? 4) Diego Tardelli não viajou a Fortaleza (CE) para poder participar de um churrasco em Porto Alegre?