Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira, 22 de março de 2019.

De grosso calibre



Gerson Kauer

Imagem da Matéria

No prédio com vista para o Guaíba, as pessoas que ali trabalham são lidadoras do direito. Novembro de 2018, uma funcionária compra, pela internet, um vibrador para presentear uma amiga – colega de atividades – aniversariante nos próximos dias. Opta pela entrega do consistente mimo no próprio endereço de trabalho da homenageada – mas esquece que todo pacote que chega naquele prédio passa por raio-X.

Logo depois de a transportadora entregar o colorido pacote, o chefe da segurança é chamado pela encarregada das revisões de rotina:

- Chegou uma coisa estranha para a Doutora Fulana...

A caixa e seu conteúdo de grosso calibre viram assunto de troca de e-mails internos. A direção geral da casa convoca várias pessoas para uma reunião.

Em meio ao palpitômetro, um (a) dos (as) presentes – pretendendo revelar-se bem informado (a) - lembra ter lido que, no ano anterior, uma funcionária dos serviços gerais da TV Globo achara um vibrador num dos banheiros femininos da emissora, no Jardim Botânico, no Rio. E que, na semana seguinte, a serviçal dissera à coluna do jornalista Ancelmo Gois, de O Globo, que “já havia encontrado até camisinha nas faxinas, mas um... bilau de brinquedo fora a primeira vez”.

É dada, então, no prédio porto-alegrense, a palavra ao decano geral para opinar com base em sua respeitada trajetória de vida.

Formal, ele pondera que “a saliência anda em alta no país, tanto que o Sexy Hot registrou um crescimento de mais de 1.000% nas visualizações nos primeiros dez meses do ano, com quatro milhões de acessos e 174 mil horas assistidas na tevê a cabo”.

Quinze minutos depois a reunião termina, com uma conclusão quase filosófica do decano:

- Sempre temos que rever os nossos conceitos...

No dia seguinte, justo a data natalícia da homenageada, a encomenda chega intacta às mãos da destinatária.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

   O Doutor Rei da Sinuca

 

O Doutor Rei da Sinuca

A surpresa, em cidade da fronteira gaúcha, quando o advogado - que tinha 99% de sucesso nos encaçapamentos das sete bolas coloridas – rompeu o namoro com a mulher mais ´in-te-res-san-te´ da comarca.

Gerson Kauer

Os dois exagerados

 

Os dois exagerados

Ao realizar a penhora sobre um cavalo (“o mais famoso reprodutor da fazenda”), o oficial de justiça espanta-se com a virilidade do equino, fotografa o animal excitado, e faz uma certidão exageradamente minuciosa. O juiz manda desentranhar a foto e que se risquem 17 palavras do relato oficial feito pelo servidor minucioso.

Gerson Kauer

Nádegas generosas

 

Nádegas generosas

A condenação da editora de uma revista erótica, por causa da legenda ao lado da foto mostrando quadris e rosto de veranista praiana: “Meus olhos são pra ver/ Meu nariz é pra cheirar/ Minha boca é pra comer/ Meu ouvido é pra escutar / Mas também tenho algo pra dar”.

Gerson Kauer

Mulher em caução!

 

Mulher em caução!

Astucioso, o homem sai do motel sem pagar a conta. Surge depois a inusitada ação contra uma mulher, 30 de idade, tentando “receber o valor de uma diária, jantar e bebidas e, cumulativamente, uma reparação financeira, mesmo que pequena, para punir a ré pela trapaça civil cometida”

Charge de Gerson Kauer

O namorado do juiz

 

O namorado do juiz

Na comarca de entrância intermediária, um dos juízes é gay. Seu então parceiro é um técnico em informática de uma grande empresa agro comercial. Afinados, os dois homossexuais têm apenas uma única grande diferença: a questão salarial. De repente, há um tombo financeiro.

Chargista Kauer

A “Menina Veneno”

 

A “Menina Veneno”

Bem vivido, bom de bolso graças à consistente aposentadoria recheada de interessantes penduricalhos, o destacado ex-operador jurídico, viúvo, boa pinta -  se é que isso é possível para um cidadão com 70 de idade -  afinal sai com uma moça escultural, bem malhada, 24 anos.  De comum, entre eles, só o Direito.