Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 16 de abril de 2019.
https://espacovital.com.br/images/smj.jpg

O maior cargo público no Brasil tem 43 palavras para denominá-lo



O maior cargo público....

... Mas em número de palavras. Veja só a pérola publicada no Diário Oficial da União, edição de 1º de fevereiro, página 74.

A publicação divulga a nomeação de Eduardo Celino para exercer as funções de “coordenador da Coordenação-Geral de Registro Empresarial e Integração da Subsecretaria de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas, Empreendedorismo e Artesanato da Secretaria de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia”.

São 42 palavras que contêm a proeza de não conseguir explicar, afinal, o que é o abençoado Celino vai fazer.

  Deputados voando...

Em poucas semanas, este ano, a Câmara Federal proporcionou 11 viagens oficiais. Dentre as curiosas, as de Diego Garcia (PODE-PR), Juscelino Filho (DEM-MA), Alexandre Serfiotis (PSD-RJ) e Carmen Zanotto (PPS-SC). O quarteto foi à Europa visitar as instalações de serviços públicos da Sociedade Portuguesa de Ozonioterapia.

Também a de Antonio Goulart (PSD-SP), não reeleito em outubro e que ganhou uma viagem de consolação: conheceu o parque tecnológico de uma empresa chinesa de vigilância por vídeo.

Melhor para o Brasil - e para ele, desempregado, pois não se reelegeu - se tivesse pedido um emprego por lá…

  A propósito

A ozonioterapia - que o quarteto foi conhecer - é um tratamento de medicina alternativa: consiste na administração de ozônio com o objetivo de aumentar a quantidade de oxigênio no corpo. É baseado em pseudociência, considerado – por associações médicas – como perigoso para a saúde e sem produzir benefícios verificáveis.

Por sua vez, a entidade que recebeu os deputados viajores anuncia o tratamento como “terapia alternativa benéfica no tratamento de câncer, aids e esclerose múltipla”.

  Quem pode, pode...

Sortudos, competentes – e outros não identificados tipos de pessoas – compraram em 2018, no Brasil, 97 automóveis dos mais caros do mundo: Ferraris, Rolls-Royces, Lamborghinis e Maseratis.

A intrigante informação foi publicada pelo jornalista Lauro Jardim, em O Globo, no domingo (10). Os modelos mais baratos custam, aqui, R$ 600 mil e os mais caros a R$ 5 milhões.

Só em dezembro, foram 17 vendas. E certamente não por causa do 13º salário dos aquinhoados.

  1, 2, 3... 70!

Mesmo tendo firmado três delações premiadas (duas com a PF, uma com o MPF) Antonio Palocci ainda não conseguiu botar a mão em parte do seu patrimônio de R$ 70 milhões – que está todo bloqueado.

Sexta passada – ao ver uma notícia sobre isso num telejornal, uma intrigada criança perguntou à mãe: “Como pode um médico de Ribeirão Preto juntar tanta grana, assim?”


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

O presidente do STF estará rezando, ou...?

   Olhe a imagem, pense e envie seu palpite!

   Depois da Resolução nº 151 da PGE-RS, uma paródia usando o slogan de conhecida caninha: “Uma boa ideia...para alguns”...

  Como o R$ 1 trilhão que Paulo Guedes quer arrecadar pode ricochetear no mercado imobiliário.

   Cariocas preparados para o fim do mundo.

  STF prossegue no dia 10 de maio o julgamento sobre a correção dos precatórios.

  Ida ao banheiro: diálogo entre ministros causa risadas no STF

Tribunal banca a ida de casal de magistrados a curso em San Diego (Califórnia)

 O curso é intitulado “Procedimentos no Direito Comparado entre Brasil e EUA”, que durará três dias. Mas marido e mulher (Maurício Kertzman Szporer e Patrícia Kertzmann (foto) receberam, cada um, sete diárias.

 Estelionato sentimental que começou no Tinder: homem conseguiu iludir mulher, mas é condenado em R$ 41 mil.

 Liberdade, liberdade: Gilmar Mendes solta mais um.

Abundância no jantar de aniversário do STJ para 800 convidados

· Soube-se que a conta da festa foi paga pela AMB – Associação dos Magistrados Brasileiros. Juízes ouvidos pelo jornalista Frederico Vasconcelos criticaram: “Culto ao símbolo, convescote absurdo, esse principado tem que acabar”.

· Uma compra superior para 32 ministros: tablets ao preço unitário de R$ 11.250.

· Julgamento no STJ causa “t(R)emor” político a governadores e ex-governadores.

Um novo vital espaço no Espaço Vital

· On/Off para tratar de tecnologia, jurimetria, robôs, estatística aplicada ao direito.

· Recado para um certo treinador de futebol: “Estátua de vivo não dá certo”...

· STJ cancela duas súmulas.

· O que há por trás do adiamento do julgamento das ações que podem soltar (ou não...) Lula.

Uma ação para discutir o tamanho do “caipirão” no happy hour

•  A sentença de improcedência deplora que uma das mazelas da acessibilidade à justiça é a abusividade do direito de litigar, o que gera uma avalanche de pedidos totalmente descabidos.

•  Répteis e quelônios repetitivos, que se acumulam no Supremo...

•  No STF tempo é poder, porque o ´timing´ político decide o que é justo e o que não é.

•  A condenação da Claro (R$ 40 mil): claramente abusiva ao incomodar um consumidor.

•  Concursos abertos: R$ 24.000 na Defensoria Pública; R$ 2.400 para professor em faculdade de medicina.

Lei do distrato imobiliário, aprovada em dezembro, não se aplica a contratos em andamento

 A nova norma só se aplica a contratos assinados a partir de 29 de dezembro. A decisão é do STJ.

 Corregedoria-Geral da Justiça diz que o Foro Regional da Restinga está “atendendo com presteza”.

 Governo não pode reeditar medida provisória no mesmo ano de igual norma.

 Comprou algo na Amazon? Fique de olho na fatura de seu cartão de crédito.

 Nova lei dispensa empresas de publicar editais para convocar assembleia de acionistas.

 Como será o discurso de 31 de março nos quartéis.