Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 17 de maio de 2019.
https://espacovital.com.br/images/mab_123_17.jpg

São sete advogados ´trans´ no RS e 65 no Brasil todo



Visual Hunt – imagem meramente ilustrativa

Imagem da Matéria

 Quantos advogados somos?

O cadastro nacional do CF-OAB fechou a segunda-feira 18 de fevereiro de 2019 com 1.119.218 advogados inscritos em todas as seccionais. Uma predominância masculina, com uma diferença de 23.940 entre homens (571.579) e mulheres (547.639).

No RS, são 82.281 profissionais: destes, 41.357 são do sexo masculino; 40.924 do sexo feminino.

Com uma diferença de 433 e o gradativo crescimento na profissão do número de mulheres, é possível que até o final de 2019 elas estejam em supremacia.

 Ele ou ela na advocacia?

Sobre advogados/as com diversidade de gênero, algumas curiosidades. Desde janeiro de 2017, o Conselho Federal da OAB já emitiu, em todo o país, 65 identidades profissionais que permitem que travestis, transexuais e transgêneros usem seus nomes sociais, substituindo o nome civil no exercício da profissão.

A questão foi regulamentada em 2016, por meio da Resolução nº 05/2016. Até o momento, 12 seccionais emitiram carteiras da OAB para advogados/as trans. Os números originais de inscrição ficam mantidos.

A Bahia é o Estado com mais registros: dez casos. O Distrito Federal está em segundo lugar, com oito. No Rio Grande do Sul – em terceiro - são sete casos.

Segundo a resolução, o registro deve seguir “a designação pela qual a pessoa travesti ou transexual se identifica”, mediante solicitação prévia e formal.

As demais emissões pelo país são: Amazonas (6), Ceará (4), Maranhão (6), Minas Gerais (3), Paraíba (4), Pernambuco (1), Rio de Janeiro (6), Rio Grande do Norte (4) e São Paulo (6). A única região do país sem emissões, por enquanto, é a Centro-Oeste.

 O crime compensa

Lembra do lobista Fernando Antônio Falcão Soares, operador do (P)MDB? Pois ele tinha tomado um chá de sumiço, após ser solto há três anos e meio.

Mas ressurgiu no sábado (16) sacolejando o esqueleto dos seus 51 anos, num show de axé no Jockey Club do Rio de Janeiro. Flagrado na diversão, está nas redes sociais.

Segundo o MPF, a maior atuação de Fernando Baiano (apesar do apelido, ele nasceu em Maceió/AL) foi na viabilização do pagamento de propina (US$ 40 milhões) como “gratificação” pela contratação de um estaleiro sul-coreano. Preso em dezembro de 2014, o operador foi levado para a Polícia Federal em Curitiba. Em agosto de 2015, foi condenado a 16 anos e um mês de prisão e multa de R$ 2.074.370,00.

Em 18 de novembro de 2015 após 11 meses de prisão, deixou a carceragem, recebeu uma tornozeleira eletrônica e passou a cumprir pena em regime domiciliar em um apartamento de 800 m², avaliado em R$ 12 milhões.

E o mundo segue girando.

 O preço da liberdade

Gilmar Mendes acolheu um habeas corpus e autorizou a soltura do notório doleiro Richard Andrew de Mol Van Otterloo, preso no meio do ano passado, durante a “Operação Câmbio, Desligo”.

A liberdade, porém, terá preço - nesse caso, comparando, a meio prêmio de Mega-Sena.

Ao derrubar a prisão preventiva, Gilmar estipulou a fiança de R$ 5 milhões e proibiu Van Otterloo de sair do país e ter contato com outros investigados.

A vida continua.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Motorista pode ter desconto em salário, em razão de multas de trânsito

• Decisão do TRT-RS confirma sentença proferida na JT de Canoas: “Legítimos os descontos em questão, por serem correspondentes aos prejuízos causados pelo empregado à empresa”.

•  STJ julga no dia 5 causa de US$ 500 milhões: investidores contra a Ambev

 Os atos de oficiais de justiça podem passar a ser cobrados nos Juizados Especiais.

 Dez integrantes do MPF inscritos como candidatos ao cargo de procurador-geral da República.

 Delegados de polícia, procuradores de Estado e da Assembleia Legislativa e defensores públicos não têm direito ao foro privilegiado.

As três máquinas italianas de café expresso que serviam Lula

  Eram aparelhos grandes e profissionais, para que nas viagens sempre houvesse café bem quente em todas as paradas. No caso de viagens com escalas, a primeira máquina - depois de cumprir sua missão – era embarcada em voo especial para a última parada do então presidente.

  O indeferimento de novo penduricalho para a magistratura gaúcha. A Ajuris queria, via administrativa, que o TJRS instituísse o “auxílio-creche”, livre de imposto de renda. Que feio!

  Nova decisão do TST manda pagar, como horas extras, o tempo de trabalho prestado por advogado, a partir da quarta hora diária e da vigésima semanal, acrescidas do adicional de 100%.

Caso gaúcho de doação de óvulos entre duas irmãs

  Decisão desta semana da Justiça Federal do RS autoriza o descumprimento de resolução do Conselho Federal de Medicina que proíbe que doadores(as) e receptores (as) de gametas e embriões conheçam a identidade um do outro.

  Caso de planejamento familiar semelhante também teve, em 2018, sentença favorável em mandado de segurança julgado pela JF de São Paulo.

  Os espaços em que Bolsonaro investe na imagem pessoal, em canais de tevê de menor audiência. Enquanto isso, Globo e globais continuam de fora.

Consumidora gaúcha obtém sentença que garante a devolução de veículo defeituoso

 A Ford e a Ribeiro Jung reembolsarão a prejudicada com R$ 54 mil (mais correção e juros) e pagarão reparação moral de R$ 5 mil.

 Leia a íntegra da sentença da ação consumerista que expõe defeitos repetitivos numa Eco Sport comprada nova.

 A crise brasileira levará quase um milhão de famílias a engrossar as classes D/E em 2019.

 Juízes federais também querem prestar jurisdição eleitoral. Vale R$ 5.390 mensais, livres de tributação.

 Nos Correios, um chefe a cada dois servidores.

Grampo autorizado judicialmente revela desembargador pedindo “vaga fantasma” para esposa, filho e sogra

 Interceptações telefônicas revelam que o magistrado Alexandre Victor de Carvalho (foto), do TJ-MG, adianta que promotores não fiscalizam.

 Na Assembleia Legislativa mineira a negociação foi feita com o então procurador-geral, Augusto Mário Menezes Paulino, que – numa das ligações grampeadas - alerta o magistrado sobre a possibilidade de a nomeação configurar nepotismo cruzado.

 “Você acha que vale a pena arriscar?” - questiona o desembargador. “Acho que não! Fica com uma bundona na janela danada” - responde a outra voz.

Depois da censura à imprensa, o Supremo prepara a faustosidade gastronômica

Aberta licitação para a contratação do fornecimento de 2.800 refeições, 180 cafés, 180 “brunchs” e outros múltiplos quitutes.

Os coquetéis serão em número de três, para 1.600 pessoas.

Os vinhos brancos têm um pré-requisito: suas uvas deverão ter sido colhidas à mão.

O edital não fala em Engov contra ressacas. Mas...

 Um veterinário para o Tribunal de Contas.

 Lula disse que a prisão o deixou “mais humano”. Há controvérsias.