Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira ,10 de dezembro de 2019.

Nádegas generosas



Gerson Kauer

Imagem da Matéria

O direito de imagem pode ser ofendido com a simples divulgação não autorizada do material, sem necessidade de comprovar se houve violação à honra ou à intimidade. Com esse jurídico entendimento, o STJ condenou a editora de erótica e notória revista a pagar R$ 30 mil por danos morais a uma mulher que teve uma foto com realce de suas nádegas publicada. A autora da ação aparece vestindo um sumário biquíni, ao tomar sol em badalada praia.

A imagem traz uma sutil legenda: "Música para os olhos e o tato".

E logo o texto avança ao lado da imagem generosa:

“Meus olhos são pra ver/
Meu nariz é pra cheirar/
Minha boca é pra comer/
Meu ouvido é pra escutar /
Mas também tenho algo pra dar”.

A bela pediu indenização, sustentando ter sido “ofendida na honra, respeitabilidade e boa fama por exposição abusada em revista de notório louvor ao erotismo”.

A editora contestou sustentando que a publicação fora “elogiosa à bela mulher que exibira seu corpo em ambiente público”.

O relator do recurso especial admitiu haver, no caso, conflito entre o direito à liberdade de imprensa e à intimidade. Mas definiu que “a exibição jornalística do corpo feminino, em traje de praia, em ângulo provocante e com a utilização de dizeres em linguagem ousada, compôs um contexto constrangedor e ofensivo aos direitos da personalidade”.

E o revisor acrescentou validamente: “Não se pode deduzir que a mulher formosa, que se apresente espontaneamente de biquíni na praia, - que é ambiente adequado a tanto – tenha que concordar com a divulgação de sua imagem em revista masculina de conteúdo erótico, e tenha ainda de considerar como elogio a exposição emoldurada por texto capcioso".

Dezembro passado, ao desencadear o cumprimento de sentença, o advogado da autora apôs sutil fecho na sua petição: “Parodiando os versos brancos da malfadada publicação, a credora lembra que, agora, suas mãos são para receber”.

Semana passada a editora depositou.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

   O juiz, o advogado e o Judiciário perderam!

 

O juiz, o advogado e o Judiciário perderam!

Com um intervalo de 12 anos entre elas, duas ações por dano moral ajuizadas por magistrados contra advogados. A  recente teve uma indenização deferida de R$ 2.500. A mais antiga está desde 2013 aguardando o julgamento do recurso especial no STJ: envolve R$ 1 milhão.

Charge de Gerson Kauer

Generosidade de mãe

 

Generosidade de mãe

O advogado gaúcho jubilado, já setentão, e sua esposa, pouco mais de 60 de idade, viajam ao Rio de Janeiro para visitar o filho (que se prepara a concurso para ingresso no MP), a nora e o neto. E na confusa capital carioca passam três noites no apertado apartamento.

Charge de Gerson Kauer

O amor é cego?

 

O amor é cego?

A primeira audiência você nunca esquece! A surpresa do novel juiz, na tarde inaugural de suas audiências na comarca. Por que, afinal, o homem de 45 de idade, trocou a esposa de 43 por uma idosa muito feia, 17 anos a mais de idade. A escrivã contou o importante detalhe que não estava nos autos.

Charge de Gerson Kauer

O inédito e imparcial sorteio

 

O inédito e imparcial sorteio

Como houve um impasse – aparentemente insolúvel - entre os irmãos Mário e Maria, o juiz decidiu que a solução seria um sorteio. Os interessados concordaram. A escrivã trouxe uma caixa e colocou os papeluchos. Coube ao estagiário, de olhos fechados, meter a mão e... 

Charge de Gerson Kauer

Serviços (in) eficientes de cama

 

Serviços (in) eficientes de cama

Depois do ajuste verbal, a extensão do programa sexual combinado não atende à expectativa do fazendeiro. Ele resolve então sustar o cheque que, antecipadamente, fora entregue à percanta. A questão foi parar no Juizado Especial Cível. Acompanhe a evolução e conheça o desfecho.