Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 17 de maio de 2019.

Nádegas generosas



Gerson Kauer

Imagem da Matéria

O direito de imagem pode ser ofendido com a simples divulgação não autorizada do material, sem necessidade de comprovar se houve violação à honra ou à intimidade. Com esse jurídico entendimento, o STJ condenou a editora de erótica e notória revista a pagar R$ 30 mil por danos morais a uma mulher que teve uma foto com realce de suas nádegas publicada. A autora da ação aparece vestindo um sumário biquíni, ao tomar sol em badalada praia.

A imagem traz uma sutil legenda: "Música para os olhos e o tato".

E logo o texto avança ao lado da imagem generosa:

“Meus olhos são pra ver/
Meu nariz é pra cheirar/
Minha boca é pra comer/
Meu ouvido é pra escutar /
Mas também tenho algo pra dar”.

A bela pediu indenização, sustentando ter sido “ofendida na honra, respeitabilidade e boa fama por exposição abusada em revista de notório louvor ao erotismo”.

A editora contestou sustentando que a publicação fora “elogiosa à bela mulher que exibira seu corpo em ambiente público”.

O relator do recurso especial admitiu haver, no caso, conflito entre o direito à liberdade de imprensa e à intimidade. Mas definiu que “a exibição jornalística do corpo feminino, em traje de praia, em ângulo provocante e com a utilização de dizeres em linguagem ousada, compôs um contexto constrangedor e ofensivo aos direitos da personalidade”.

E o revisor acrescentou validamente: “Não se pode deduzir que a mulher formosa, que se apresente espontaneamente de biquíni na praia, - que é ambiente adequado a tanto – tenha que concordar com a divulgação de sua imagem em revista masculina de conteúdo erótico, e tenha ainda de considerar como elogio a exposição emoldurada por texto capcioso".

Dezembro passado, ao desencadear o cumprimento de sentença, o advogado da autora apôs sutil fecho na sua petição: “Parodiando os versos brancos da malfadada publicação, a credora lembra que, agora, suas mãos são para receber”.

Semana passada a editora depositou.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

O Advogado Fura-Colchão

 

O Advogado Fura-Colchão

Doutor Arencéfalo é o apelido de um advogado muito conceituado. O cognome é uma conjunção de ´Arbelino´, nome do pai dele e ´Encéfalo´, parte do corpo humano que controla o organismo. De repente, a surpresa na comarca: a elegante esposa pede o divórcio. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.

Charge de Gerson Kauer

As duas Têmis

 

As duas Têmis

No curso preparatório a concursos para ingresso na magistratura, um dos professores resolve aferir os conhecimentos gerais e a capacidade redacional dos alunos. Então entrega a cada um uma folha de papel A-4. Pede-lhes que ”escrevam de 20 a 30 linhas sobre Têmis”. Um dos discípulos sustenta e comprova a existência de uma divindade grega e de uma personagem terrena que não gostava de processos. 

Charge de Gerson Kauer

Depois da juizite, o aprendizado

 

Depois da juizite, o aprendizado

Sentado para depoimento pessoal está o autor de uma ação de indenização. Ele cruza as pernas e está com os dois primeiros botões de sua camisa abertos. Pela fenda percebe-se alguns pelos esbranquiçados e uma medalha pequena, pendendo da correntinha de ouro. O magistrado escorrega no elementar, ao ordenar em tom impositivo de extrema juizite: “Descruze as pernas e feche sua camisa! O senhor está em um fórum na presença de um juiz”. Então, vem a surpreendente reação, do professor com 60 de idade.

Charge de Gerson Kauer

Os ricos mocassins do ministro

 

Os ricos mocassins do ministro

Não é Primeiro de Abril, mas quase... Um passageiro vip desistiu da prerrogativa de embarcar no terminal 2 do aeroporto de Brasília, local por onde acessam as autoridades. Talvez querendo medir sua popularidade, o notório calvo misturou-se aos mortais e foi direto ao terminal 1 .Foi então que a vigilante máquina da Polícia Federal bipou...

Charge de Gerson Kauer

Virem-se e estudem!

 

Virem-se e estudem!

Três moçoilas inteligentes terminaram o segundo grau no Interior e passaram em universidade particular na Capital, só que as respectivas famílias não conseguiriam pagar. Resolutas, as três combinaram que iriam “se virar” para quitar as mensalidades. Abriram então uma casa de diversões para o público masculino adulto. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.

Charge de Gerson Kauer

Que ´m´!

 

Que ´m´!

O despacho judicial pretendia indeferir uma “MERA” revogação da liminar. Mas por erro de digitação – ou algum atropelo do verificador ortográfico – a palavra terminou ganhando, justo em seu meio, um inoportuno acréscimo da consoante ´d´.  Então virou “m----“.