Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira ,10 de dezembro de 2019.

A conversa judicializada de Lula



Chargista Aroeira (O Dia)

Imagem da Matéria

Após ser autorizado pelo STF a conversar com veículos de imprensa da cela em que está preso, em Curitiba, o ex-presidente Lula (PT) concederá entrevista nesta sexta-feira (26) à Folha de S. Paulo e ao espanhol El País, de linha esquerdista.

O despacho do superintendente regional da Polícia Federal, em Curitiba, delegado Luciano Flores de Lima, permite a entrada de outros veículos de imprensa para acompanhar a conversa, dentro dos limites de espaço da sede da PF.

Os jornalistas Florestan Fernandes Junior e Mônica Bérgamo conversarão com Lula das 10h às 12h. Os dois tiveram os pedidos de entrevista autorizados em setembro passado, mas negados na sequência sob o argumento de que as falas de Lula poderiam influenciar as eleições presidenciais.

As entrevistas seriam exclusivas àqueles jornalistas que pediram em Juízo, formalmente, para falar com o ex-presidente. A PF estendeu a autorização a outros jornalistas. No entanto, as perguntas só poderão feitas por quem Lula der autorização a tal.

A propósito

Alguma vez, antes, na história deste país, terá sido dada autorização judicial para que presos comuns se manifestassem sobre as masmorras brasileiras?

E-mails para 123@espacovital.com.br


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Camera Press

Condenação de ex-assessor do Ministério do Trabalho e Emprego em ação civil pública

 

Condenação de ex-assessor do Ministério do Trabalho e Emprego em ação civil pública

Ex-presidente da Câmara de Vereadores em Esteio (RS), Fabio Battistello procurava dirigentes sindicais, valendo-se da envergadura de seu cargo e de informações privilegiadas, para oferecer serviços de “consultoria” e receber propina. Preso em flagrante, foi exonerado e já está condenado (primeiro grau) em ação penal. A suspensão dos direitos políticos é por oito anos.

Se a boa-fé for violada, cessa a proteção do bem de família

A ninguém é dado beneficiar-se de sua própria torpeza. O STJ nega provimento ao recurso de um empresário que ofereceu seu imóvel como garantia na negociação de R$ 650 mil em dívidas e, depois, alegou que ele não poderia ser penhorado por constituir bem de família.

Ação gaúcha por improbidade administrativa vai completar 18 anos no TJRS

Processo oriundo da comarca de Osório (RS), onde começou em 28 de dezembro de 2001, teve sentença que condenou o ex-prefeito Romildo Bolzan Júnior (1993/1996) – atual presidente do Grêmio - e um secretário municipal a indenizarem R$ 700 mil de prejuízos ao erário municipal. Cálculo extraoficial sugere o valor atualizado de R$ 3,8 milhões, sem computar os juros legais.

 

Quadro parado a partir de imagens do cinegrafista Edu Bernardes (Rede Globo)

O goleador desprezando um governador: o drible do ano!

 

O goleador desprezando um governador: o drible do ano!

O papelão feito pelo governador do Rio, Eduardo Witzel (PSC), após a vitória do Flamengo sobre o River: misturou-se a dirigentes e atletas e ajoelhou-se diante de Gabigol, que logo se afastou.  Quando era juiz federal, Witzel já teve viralizada, em telejornais e nas redes sociais, uma palestra em que ensinava a colegas uma “engenharia” para aumentar os penduricalhos.