Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 19 de setembro de 2019.

A goleada jurídica do Diadema sobre o Grêmio: 14 x 0



Arte EV sobre foto Globo Esporte

Imagem da Matéria

O Espaço Vital antecipou em sua edição de 23 de abril e o Grêmio Porto-Alegrense foi, mesmo, condenado em sentença proferida pela 12ª Vara Cível de Porto Alegre, a pagar cerca de R$ 11,8 milhões ao Diadema-SP pela venda do atacante Pedro Rocha ao Spartak Moscou, da Rússia. O montante corresponde a 30% do valor recebido pelo clube gaúcho na transação realizada em agosto de 2017, por 12 milhões de euros (R$ 45,2 milhões, na época), acrescido de correção e multa. Estimativa extraoficial refere que a condenação, em valores atuais, chega a R$ 14 milhões.

Pedro Rocha, emprestado pelo clube russo, atualmente está no Cruzeiro (MG). Não há trânsito em julgado na sentença cível.

O Grêmio contratou Pedro Rocha por empréstimo do Diadema em 2014 e logo adquiriu 70% dos direitos do jogador de forma definitiva, no final daquele ano, com vínculo até o fim de 2017. O contrato continha uma cláusula que assegurava ao clube paulista o direito a 30% do valor de uma negociação do atleta caso ela fosse feita até 31 de dezembro de 2015, ano em que o atacante foi promovido ao time profissional por Felipão.

Como a venda foi efetuada um ano e oito meses depois desse prazo, a direção tricolor entende que não precisa realizar essa repasse. O Diadema, por sua vez, contesta essa cláusula no contrato e usou como prova documental os balancetes financeiros do Grêmio em 2015 e 2016. Nestes, o clube gaúcho registrou ser dono de apenas 70% dos direitos de Pedro Rocha.

No início de 2018, o Grêmio já havia oferecido em caução judicial um terreno anexo ao CT Hélio Dourado, em Eldorado do Sul, como garantia. A área é avaliada em R$ 26 milhões e evitou bloqueio de R$ 14 milhões das contas do clube gaúcho até a definição do processo na Justiça.(Proc. nº 1.17.0111253-2).

Leia na base de dados do Espaço Vital:

Futebol jurídico inquieta o Grêmio, alvoroça o discreto Diadema e põe ativos advogados gremistas e colorados em ação.

Leia a íntegra da sentença que condena o Grêmio


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Depósitos judiciais administrados por bancos privados

Decisão, por maioria, é do Plenário do CNJ ao votar favoravelmente ao questionamento do TJ de São Paulo. A ministra Rosa Weber, do STF,  determinou a mesma solução em pleito semelhante formulado, via mandado de segurança, pelo TJ do Paraná.

STJ garante a freiras direito de permanecer com véu na foto da CNH

Caso é oriundo do Paraná, com sentença de procedência de ação civil pública ajuizada pelo MPF. O TRF-4 já tinha decidido que “ofenderia o princípio da razoabilidade impedir as freiras de permanecerem com véu em suas fotos, porque para passaportes e cédulas de identidade, não há esse impedimento”.