Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre, sexta-feira, 14 de maio de 2021.
(Próxima edição: terça-feira, 18).
https://espacovital.com.br/images/on_off_3.jpg

Você conhece a inteligência artificial que ajudará na solução dos casos de violência



www.eusouagloria.com.br

Imagem da Matéria

Se não conhece, deveria conhecer. No Brasil, a cada dois segundos uma mulher é vítima de violência física ou verbal. Isto mesmo: enquanto você lia este parágrafo, pelo menos duas mulheres foram agredidas em território brasileiro (imagine isto globalmente?!)

Este é um fator que leva muitos profissionais a trabalhar nas áreas de família (jurídica e social), além de trabalhos voluntários, ou não, para coibir, ensinar, educar, precaver e quiçá prever com o escopo claro de diminuir esta violência descabida e de proporções épicas.

E a tecnologia pode ajudar! Como assim?

Diante destes fatos a Câmara de Deputados, por meio da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher e idealizado por Cristina Castro-Lucas, professora da Universidade de Brasília lançou o Projeto Glória, uma inteligência artificial que ajudará na solução dos casos de violência, sem perder o anonimato.

Por meio de experiências de interatividade com uso de inteligência artificial, os usuários poderão vivenciar comportamentos e atitudes de uma pessoa real. A inteligência artificial Glória entenderá os fatos abordados e identificará soluções para a quebra do ciclo de violência contra mulheres e meninas.

A inteligência artificial irá aprender com os relatos, mapear e entregar aos órgãos informações mais detalhadas sobre os fatos, além de aprender com as experiências (?!) dos usuários, para ofertar soluções mais claras, detalhadas e úteis a cada caso relatado.

Precisamos conhecer a tecnologia disponível e fazer melhor uso dela, sempre!

Quer conhecer mais sobre a Glória? Pesquise o termo “Eu sou a Gloria” e encontrará nas redes sociais os canais de atendimento. Breve mais detalhes.

----------
gustavo@gustavorocha.com


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Abranet

Direito ao esquecimento. Hein? Esqueci!...

 

Direito ao esquecimento. Hein? Esqueci!...

“A liberdade de expressão deve ser plena, ainda que admitamos que ofensas ou eventuais indenizações poderão ser pleiteadas em casos de usos descabidos ou errados desta possibilidade de agir conforme a própria vontade, mas dentro dos limites da lei e das normas racionais socialmente aceitas”.