Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 11 de outubro de 2019.

O Advogado Fura-Colchão



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Por Carlos Alberto Bencke, advogado (OAB-RS nº 7.968)

Doutor Arencéfalo é o apelido de um advogado muito conceituado numa cidade de grande porte do Estado Sepétino, fronteira com a Argentina e o Uruguai.

Segundo a rádio-corredor-forense, “o cognome do profissional da advocacia é uma conjunção de ´Arbelino´, nome do pai dele e ´Encéfalo´, parte do cérebro que controla o organismo”. Assim se justifica que o Doutor Arencéfalo possua total domínio dos órgãos, digamos, sensíveis do seu corpo.

Até que a idade vai chegando, a gravidade atuando sobre o esqueleto. Culmina por resultar no descontrole teimoso e indisciplinado dos órgãos até então controlados...

O médico recomenda: “Tome Silaic 5mg., diariamente”.

Um tempo depois, a surpresa. A elegante esposa, discreta - ainda muito bonita, apesar da idade – pede o divórcio.

Diante do juiz que tenta reconciliar o casal, ela informa os motivos do pedido: “Doutor, não quero me reconciliar com este devasso. Acordei várias noites com ele fazendo movimentos pélvicos sobre a cama, no seco”.

O juiz pergunta ao Doutor Arencéfalo se ele quer “dizer algo acerca do desabafo conjugal”.

A resposta é imediata: “Excelência, eu próprio já me acordei várias vezes nesta situação. Só pode ser reação ao remédio que o médico me receitou para o controle dos meus órgãos atingidos pela lei da gravidade.”

A esposa entende. Há a reconciliação, com a desistência do divórcio litigioso. Mas as rádios-corredores da subseção da OAB e do fórum coincidem na informação logo difundida: “O Doutor Arencéfalo acaba de ganhar o codinome de ´Fura-Colchão´”.

No dia seguinte, as “rádios-corredores” da Ajuris e do tribunal também repercutem. Face ao sigilo judicial, não se fala mais nisso.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

Juiz do amor

 

Juiz do amor

Na sustentação oral em recurso derivado de uma ação de alimentos, o advogado suscita a suspeição de um dos magistrados: “O desembargador relator está na quinta esposa, tem cinco filhos, gasta grande parte do seu subsídio com pensões alimentícias”. O magistrado suscitado, então, invoca versos de Ivan Lins: “O amor tem feito coisas...”. O texto é de Carlos Alberto Bencke. (Aproveite para ver e escutar uma das performances do grande artista brasileiro).

Charge de Gerson Kauer

Uma menina especial

 

Uma menina especial

Pouco antes do encerramento da audiência de um processo de família, a agradável surpresa para o juiz: “Tio, posso lhe dar um beijo?” – indagou, sentada à cabeceira da mesa, a linda garota, 6 ou 7 de idade. Em seguida, ela deu a volta correndo pela sala e pregou os lábios na bochecha do magistrado, num beijo estalado e inocente. O texto é do juiz Eduartdo Buzzinari Ribeiro de Sá. 

Charge de Gerson Kauer

A preferência pelo cunhado

 

A preferência pelo cunhado

O caso de Sergipe que está causando perplexidade no STF traz à baila situação parecida ocorrida em cidade do RS. Marido e mulher – casados na conformidade com o Código Civil – acordaram em se divorciar, para que ele ficasse com o irmão dela. “Eu passei a ser provável ímpar personagem do Livro Guinness dos Recordes” – desabafou chorosa a jovem senhora de 32 anos.

Charge de Gerson Kauer

   Processo é muito chato...

 

Processo é muito chato...

O acordo numa ação de alimentos, quando o recalcitrante réu de ação de alimentos é advertido pelo juiz: “Vou-lhe tocar um processo”. A resposta do devedor é imediata: “Doutor, não faça isso... processo eu não quero, pois é muito chato”.

Charge de Gerson Kauer

A ímpia e injusta guerra...

 

A ímpia e injusta guerra...

A propósito da Semana Farroupilha, a bazófia a que foram submetidos um porto-alegrense e sua esposa, por ocasião de um churrasco no Country Club, para homenagear empresários dos EUA que queriam expandir a venda de produtos fumígenos no RS. Quase virou ação indenizatória por dano moral à moda gaúcha.

Charge de Gerson Kauer

Dentadura macabra

 

Dentadura macabra

Uma insólita ação num Juizado Cível, pedindo a condenação solidária de uma família enlutada e de um hospital. A discussão sobre uma dentadura completa, deixada na mesinha de um dos quartos coletivos, e que por engano acompanhou o corpo de um provecto cidadão que falecera na véspera. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.