Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 13 de agosto de 2019.

A jurisdição terceirizada



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Maio do ano passado, o ambiente é a sala de sessões do Conselho Pleno de uma ativa seccional da OAB no país.

No espaço temporal dos assuntos gerais, um conselheiro – advogado militante – perora sobre as dificuldades crescentes e deplora a demora cada vez maior na prestação jurisdicional. Desfia casos concretos, formaliza críticas genéricas e pontuais. E propõe “já ser hora de tomarmos uma iniciativa em defesa da nossa profissão”.

O presidente da Casa arregala os olhos, faz de conta que se assusta e contemporiza. Um dos conselheiros federais se apresenta em socorro, pigarreia e puxa empolada argumentação sugerindo “a conveniência de encaminhar a questão ao Conselho Federal, face às eventuais e reflexas implicações nacionais”.

O autor da proposta inicial, volta à carga:

- Sejamos sinceros e reais: as tartarugas jurisdicionais hoje são os assessores e os estagiários. Temos no dia a dia forense e nas cortes, cada vez menos magistrados efetivos. A atividade deles está sendo terceirizada. Proponho o ajuizamento de uma ação de produção antecipada de provas, em segredo de justiça, no Supremo, para flagrar e comprovar a maciça e rotineira produção jurídica intelectual feita pela assessorcracia e pela estagiariocracia.

O dirigente máximo da seccional que detém inequívoco comando sobre quase todo o Conselho propõe então a criação de uma comissão para estudar o assunto e sugerir soluções. E o assunto é adiado para a sessão seguinte, porque a pauta é grande e “há a necessidade de hoje sermos mais objetivos com outros assuntos mais urgentes”.

Neste maio de 2019 o assunto está completando o primeiro aniversário de repouso em alguma prateleira burocrática da Ordem. Não há notícias sobre as reuniões e propostas da tal comissão. O presidente da Casa advocatícia foi reeleito e a prestação jurisdicional segue crescentemente sendo terceirizada.

É hora de fazer de conta que é tudo ficção.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

Para medir o tamanho ´daquilo´...

 

Para medir o tamanho ´daquilo´...

Treze de agosto de 2018, hoje está fazendo um ano. A frustração do consumidor que - após encomendar na internet, e pagar por um aparelho que o tornaria “um amante imbatível” - recebeu uma enorme e maldosa lupa. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke. 

Charge de Gerson Kauer

“Quero comer filé”

 

“Quero comer filé”

Na audiência de uma ação de divórcio, a surpreendente mudança de decisão do homem: “Estou velho, não vou conseguir mais uma companheira como ela. Prefiro comer filé com os outros do que carne de pescoço sozinho”. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.

Charge de Gerson Kauer

A sátira embutida

 

A sátira embutida

Na oitava folha da apelação de 12 laudas, o advogado - inconformado com a superficialidade da prestação jurisdicional – digitou um recado: “Como somos tratados como pamonhas, é pertinente informar que uma gostosa receita da famosa iguaria oriunda do milho verde está disponível na internet”.

Charge de Gerson Kauer

Vá ler o CPC, doutora!

 

Vá ler o CPC, doutora!

“Após extravasamento verbal, o juiz jogou à mesa um exemplar do ´CPC Comentado´, com uma sugestão em altos decibéis: ´Leia o Código, Doutora´. Em gesto igual, devolvi-lhe o livro e retruquei no mesmo alto tom de voz: “Leia você o CPC e a CLT, pois quando você entrou na faculdade, eu já andava por aqui, há anos”. O texto é da advogada Bernadete Kurtz (OAB-RS nº 6.937).

Charge de Gerson Kauer

Atenção Excelências, celulares gravando!

 

Atenção Excelências, celulares gravando!

Os dez advogados da banca estavam aborrecidos com a juizite a que ficavam expostos na vara do Trabalho presidida pelo “Doutor Guerreiro”. Reuniram-se, então, para definir a estratégia necessária à preocupante audiência, no dia seguinte, da ação de uma ex-gerente de loja contra a grande rede de expressão nacional. Resolveram gravar as falas do magistrado. Virou um caso!