Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 19 de setembro de 2019.
https://espacovital.com.br/images/mab_123_17.jpg

Advogado condenado criminalmente pelo TJRS escapa no julgamento ético da OAB gaúcha



Imagem da Matéria

  Algo de podre, ou algo normal?

Numa paródia daquela famosa frase de Hamlet afirmando que “há algo podre no reino da Dinamarca”, conta-se em meios forenses gaúchos que “também há algo de errado no reino da OAB-RS”.

Um exemplo negativo: um advogado condenado criminalmente, neste mês de maio, pelo TJRS escapou ileso no julgamento sigiloso feito por seus pares. Denunciado por corrupção ativa e lavagem de dinheiro, o profissional da advocacia teve também desencadeado contra si, em 2012, processo ético-disciplinar para apurar a sua responsabilidade pessoal e profissional.

Pilhas e gavetas após - e seis anos e um mês depois - o TED da OAB reconheceu a prescrição da possibilidade da punição ética desse advogado.

O que houve no caminho? É normal isso? Quem souber, por favor envie cartas à redação. O nosso e-mail é 123@espacovital.com.br

Em tempo - Segundo a “rádio-corredor” forense de uma das comarcas da Zona Sul do Estado, a benfazeja prescrição até hoje rende comemorativos sorrisos em algumas faces.

Mas causa vergonha e decepção na face da maioria da classe. (Proc. ético nº 306794/2012).

 Cultura geral

A frase “Há algo de podre no reino da Dinamarca” foi pronunciada pelos personagens ´Marcelo´ e ´O Fantasma da Sombra´, da peça Hamlet, de Shakespeare, que avalia a Dinamarca como o leito da luxúria e do incesto abominável.

É um alerta para que o príncipe Hamlet perceba a situação de perigo em que se encontra, principalmente por ações causadas por pessoas próximas a ele. Após tais cenas, Hamlet, incapaz de compreender o que se passa ao seu redor, passa a comportar-se como um louco, no intuito de meramente não ser eliminado e poder sobreviver, e se preparar para a reação.

Trazendo para o nosso mundo atual e cotidiano, a frase representa a situação em que nos damos conta de estarmos sendo enganados e que ainda há tempo de sairmos ilesos da situação, desde que saibamos ajudar e agir com inteligência e calma.

Muitas versões da peça Hamlet estão disponíveis para serem baixadas em seu celular ou computador. Vale a pena ler! Apesar de tão antigo (1601) ainda é um texto com conteúdo bastante atual.

 Contas seguras

Neste Brasil 2019, em uma frase a síntese de um retrato político brasileiro: “Esposa de conselheiro cassado do Tribunal de Contas do Estado receberá aposentadoria de R$ 35 mil pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro”.

Agora, comparações e detalhes. Em tempos de reforma da Previdência, a Mesa Diretora da A.L. carioca publicou no Diário Oficial a aposentadoria, com proventos mensais de R$ 35.462,22 da servidora Flávia Lopes Segura Graciosa. São tantos penduricalhos e gratificações que ela receberá 52% a mais do que o salário de abril, que foi de R$ 23,2 mil.

A senhora Segura Graciosa é a esposa de José Gomes Graciosa, ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado e um dos conselheiros do TCE afastados pela Justiça, acusados pelo MP-RJ de enriquecimento ilícito durante o período em que ocuparam os cargos.

 

 

 Boca da garrafa, etc.

A Via Varejo – dona das redes Casas Bahia e Ponto Frio - firmou acordo (R$ 4,5 milhões) com o Ministério Público do Trabalho, colocando fim a duas ações que tramitaram na Justiça trabalhista de Campinas (SP), questionando cumprimentos de metas e humilhação a empregados em várias de suas lojas no país. Os trabalhadores eram obrigados a “dançar na boca da garrafa” e coagidos à realização de horas extras.

A transação já homologada pelo TRT-15 envolve também a criação e manutenção de ouvidoria para receber as queixas de empregados e prestadores de serviços, ou denúncias sobre assédio e desigualdade de tratamento.

Mais: a realização de cursos presenciais, ou à distância, sobre assédio moral, discriminação e coação.

   Ativos do crime

O Ministério da Justiça, em boa hora, vai fazer vai fazer caixa com o patrimônio da bandidagem. A Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas contratou sete leiloeiros para vender 20 mil bens apreendidos de traficantes. Tudo precisa ser liquidado em um ano.

Na lista: 33 embarcações, 12 aeronaves, 300 joias, 6.708 veículos, 9.679 eletrônicos, além de uma penca de cabeças de gado e outros itens de menor valor.

 Adiamento salvador

O Bradesco, o banco credor que faltava, deu anteontem (29) o OK e a Construtora Odebrecht conseguiu adiar o vencimento dos juros de sua dívida, previsto para esta sexta-feira. O encrencado grupo teria que desembolsar R$ 800 milhões.

O adiamento é uma boa notícia para a Odebrecht. Mas não resolve o terrível buraco financeiro da empresa.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Rede Tv! (reprodução)

Salário-base de R$ 24 mil mensais é “uma miséria” para procurador de justiça...

 

Salário-base de R$ 24 mil mensais é “uma miséria” para procurador de justiça...

•  Levantamento da Câmara dos Deputados mostra que 71% dos magistrados brasileiros têm ganhos que superam o teto constitucional (R$ 39,2 mil), por meio do renitente auxílio-moradia, auxílio-alimentação, viagens, gratificações e variados penduricalhos.

•  Na semana passada, o CNJ abriu a porteira para o pagamento em pecúnia do “auxílio-saúde” (10% do salário base de desembargador).

•  Há três anos o Senado aprovou um projeto para limitar os supersalários. Recebido na Câmara, o texto parou em alguma gaveta burocrática. Rodrigo Maia sabe.

•  O senador Romário e um calote locatício de R$ 408 mil.

•  O Carrefour quer comprar as operações do Makro no Brasil.

•  Paulo Pimenta (PT-RS) líder do PT na Câmara, usou dinheiro da cota parlamentar para visitar o ex-presidente Lula na prisão

Arte de Gerson Kauer

As consequências de uma madrugada de pavor na serra gaúcha

 

As consequências de uma madrugada de pavor na serra gaúcha

 Roubo e estupro praticados por um montador de móveis. A Todeschini S.A. Indústria e Comércio depositou R$ 722 mil após o trânsito em julgado do acórdão que a condenou juntamente com a loja TDT Móveis Planejados. Mas o pagamento não apagará o ultraje indelével.

 Montagem dos móveis da moradia de uma família gaúcha durou dez dias. Durante o período, o montador apropriou-se de uma das chaves da casa, por meio da qual conseguiu o acesso sorrateiro à morada, durante uma madrugada.

 Facínora condenado a 15 anos já cumpre pena. E um menor também envolvido nos crimes desapareceu.

Arte de Gerson Kauer

OAB-RS deplora “o senso de normalidade que se instaurou em processos que se arrastam por anos”

 

OAB-RS deplora “o senso de normalidade que se instaurou em processos que se arrastam por anos”

 Em manifestação no saite da Ordem gaúcha, o presidente Ricardo Breier lembra que “quando um alvará não é expedido dentro de um tempo razoável, significa que o advogado e a parte não receberão seus direitos e, consequentemente, não contribuirão para a circulação no sistema econômico local”.

 Ação penal sobre o assassinato (2006) do escrivão de Novo Hamburgo pode ter um avanço em outubro.

 Ação popular sobre problema ambiental (2006) em Canela terá que passar por nova perícia de engenharia.

 Mas nenhuma demora talvez incomode tanto a cidadania gaúcha como a ação penal contra o ex-advogado Mauricio Dal Agnol.

Arte de Camila Adamoli sobre foto Visual Hunt

Eventos festivos da advocacia devem ser compatíveis com o decoro da profissão, mas...

 

Eventos festivos da advocacia devem ser compatíveis com o decoro da profissão, mas...

 A “festa” que encerrou o Mês do Advogado em Nova Iguaçu (RJ) instiga o pensar: para onde estão caminhando as instituições?

 TRF-4 mantém o bloqueio dos bens do espólio de Maria Letícia Lula da Silva.

 45% dos jogadores brasileiros que atuam no futebol do nosso país ganham apenas um salário mínimo.

 Suspeita de sarampo fecha, até o dia 9, a 18ª Vara Cível de Porto Alegre.

Blog do AFR

Três dos muitos casos que fazem o jeito da Justiça lenta

 

Três dos muitos casos que fazem o jeito da Justiça lenta

 Responsabilidade objetiva do Conselho Regional de Medicina em abuso sexual contra uma adolescente durante consulta médica.

 Escrivão de Novo Hamburgo foi assassinado em 2006, mas o júri popular da acusada ainda não tem data agendada.

 Ação popular por ilícito cível ambiental em Canela (RS) já dura mais de 13 anos.

 ´Entre...mentes´, o TJRS anuncia sua “liderança em eficiência no país entre os tribunais de grande porte”. E a OAB-RS promete reagir em outubro contra “a morosidade do Judiciário”.