Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 19 de setembro de 2019.

Aparências enganam!



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Por Carlos Alberto Bencke, advogado (OAB-RS nº 7.968)

Jenifer e Carlyson formavam um casal de dar inveja. Eram bonitos, famílias de classe média da média cidade do interior do culto Estado Sepétimo, e frequentadores da igreja mais tradicional da localidade.

Ela só trajava comportados terninhos fechados até o pescoço. Nem os joelhos mostrava. Não usava maquiagem porque não era necessário, tão lindos os seus traços delicados. Perfeita aos olhos invejosos.

O namoro com Carlyson só acontecia às quartas à noite e aos sábados. Rezavam muito e respeitavam a recomendação do pastor: “Sexo só após o casamento!”.

E assim foi. Viveriam felizes para sempre!

Dois dias depois das bodas, a surpresa. Carlyson ajuizou ação de anulação do casamento. Ninguém poderia imaginar o motivo.

Na audiência, o veterano juiz - que recusava promoção havia 20 anos - pergunta ao jovem qual a razão para aquela medida tão drástica. O rapaz, choroso, explica: “Doutor, somos religiosos, nos preservamos até o casamento, mas quando a tapioca caiu na cadeira e sem querer minha amada sentou-se como Deus a criou, veio a prova de que ela não respeitou nossa promessa”.

Para o experiente juiz não foi preciso seguir na instrução: decretou o fim do casamento por “erro essencial quanto à pessoa”.

Na “rádio-corredor” forense comenta-se que foi deste processo surgiu a frase: “Se fecharem a porta da frente, use a dos fundos”.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

A ímpia e injusta guerra...

 

A ímpia e injusta guerra...

A propósito da Semana Farroupilha, a bazófia a que foram submetidos um porto-alegrense e sua esposa, por ocasião de um churrasco no Country Club, para homenagear empresários dos EUA que queriam expandir a venda de produtos fumígenos no RS. Quase virou ação indenizatória por dano moral à moda gaúcha.

Charge de Gerson Kauer

Dentadura macabra

 

Dentadura macabra

Uma insólita ação num Juizado Cível, pedindo a condenação solidária de uma família enlutada e de um hospital. A discussão sobre uma dentadura completa, deixada na mesinha de um dos quartos coletivos, e que por engano acompanhou o corpo de um provecto cidadão que falecera na véspera. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.

Charge de Gerson Kauer

Um caso gaúcho para o Livro Guinness dos Recordes

 

Um caso gaúcho para o Livro Guinness dos Recordes

Pedro e Paula eram jovens ainda – respectivamente 24 e 22 de idade – quando casaram, dez anos atrás. Eles levaram à frente seu matrimônio, sem filhos, durante mais de dez anos de muitas alegrias, poucas tristezas, mas lento declínio da temperatura conjugal. Em janeiro de 2019 a extrema surpresa: um inimaginável triângulo.

Charge de Gerson Kauer

A comarca das vacas

 

A comarca das vacas

O juiz recém nomeado estava assumindo a comarca. Chegou na sexta-feira à tardinha, hospedou-se no melhor hotelzinho da cidade e preparou-se para, no dia seguinte (sábado) cedo, organizar as tarefas para a sua estreia, na segunda-feira. Não imaginava ter que enfrentar um “vacum”.

Charge de Gerson Kauer

Páginas da vida com segredo de justiça

 

Páginas da vida com segredo de justiça

O réu de uma ação penal por assalto é universitário, com matrícula trancada por falta de dinheiro para as mensalidades. Chegara a trabalhar como auxiliar contábil. Mas desempregou-se em decorrência do fechamento de uma indústria. A “primeira vez” dele como assaltante terminou sendo a redenção para que, dando a volta por cima, voltasse à faculdade e concluísse o curso de Direito.

Charge de Gerson Kauer

Para medir o tamanho ´daquilo´...

 

Para medir o tamanho ´daquilo´...

Treze de agosto de 2018, hoje está fazendo um ano. A frustração do consumidor que - após encomendar na internet, e pagar por um aparelho que o tornaria “um amante imbatível” - recebeu uma enorme e maldosa lupa. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.