Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 19 de setembro de 2019.
https://espacovital.com.br/images/mab_123_17.jpg

Procedência de ação rescisória porque recurso foi decidido por desembargador impedido



 Mistura jurisdicional e advocatícia

O Tribunal Superior do Trabalho rescindiu um julgamento feito por desembargador que era pai do advogado de uma das partes da ação. “A participação de magistrado impedido não é fundamento para rescindir acórdão se o voto é incapaz de influenciar no resultado. No entanto, se o magistrado for o relator do caso, a decisão deve ser anulada, ainda que o julgamento tenha sido unânime, pois se trata do voto condutor” – afirma o julgado superior.

O entendimento é da Subseção II Especializada em Dissídios Individuais do TST ao confirmar a rescisão do julgamento porque o relator do caso, no TRT do Maranhão, era pai do advogado da empresa reclamada (Abbott Laboratórios do Brasil). A situação caracteriza impedimento. No tribunal regional o julgamento favorável da reclamatória trabalhista à empresa tinha sido unânime.

Após o trânsito em julgado da decisão, o trabalhador ajuizou a ação rescisória, sustentando que o relator que havia proferido o voto condutor era pai do advogado que atuou na defesa da empresa. A corte maranhense julgou procedente a ação rescisória e anulou a decisão.

No recurso ao TST, a empresa reclamada sustentou que o advogado teria participado do processo como “mero correspondente” e que não havia nenhuma suspeita de favorecimento em razão do parentesco, pois três desembargadores haviam participado do julgamento e a decisão fora unânime. O acórdão superior definiu, porém, que “o protagonismo assumido pelo magistrado relator na construção da decisão torna a sua participação decisiva para o julgamento”.

A Abbott Brasil está estabelecida no Brasil desde 1937. Sua presença no mundo todo é em 160 países. (RO nº 5300-54.2012.5.16.0000).

 Troca de posições

A 8ª Turma e a 4ª Seção do TRF-4 – que julgam os recursos das ações penais da Lava-Jato – terão uma mexida em sua composição: dela sai o desembargador Victor Laus. Eleito em 11 de abril para ser o novo presidente da corte, ele assume a nova função ainda este mês (data ainda não definida).

A vaga aberta na jurisdição criminal será preenchida, justamente, pelo desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, que está deixando a presidência. Ele será um dos três votantes nas apelações e agravos que aportarem na 8ª Turma.

Os outros dois membros continuam sendo João Pedro Gebran Neto e Leandro Paulsen.

  Tartaruga desentocada

O STF finalmente vai julgar, no próximo dia 27, a ação direta de inconstitucionalidade contra o Ministério da Fazenda que dá meias-voltas e voltas completas na corte, desde 1995. Os autores pedem que o tribunal considere inconstitucional a medida da Receita Federal que determinou o teto de 30% para a dedução de Imposto de Renda de prejuízos acumulados por empresas.

A ação pede também que todo o prejuízo de um ano possa ser abatido no I.R. do ano seguinte, se a empresa não tiver lucro. Depois de 24 anos de espera na fila, as partes esta semana apresentaram suas razões.

Sobre o quelônio processual aí de cima, uma curiosidade humana e profissional.

Um dos atuais advogados da causa era estagiário – aguardando aprovação no Exame de Ordem - quando a petição inicial foi protocolada no Supremo.

  Forte e soberano?

A Venezuela desmoraliza Simon Bolívar o herói da independência latino-americana e que virou guia do falecido Hugo Chávez e do muito vivo Nicolás Maduro. A moeda nacional chamada bolívar sofreu, em 20 anos, o corte de oito zeros. Primeiro, três zeros menos e a troca do nome para bolívar forte. Agora em maio, a remoção de outros cinco zeros e a transformação em bolívar soberano.

Se a desvalorização continuar nesse ritmo, talvez breve a moeda se chame de bolívar próspero. E, por aí, vai acabar faltando adjetivo. Até tudo terminar em nulo bolívar, ou pobre bolívar.

Forte e soberano foi mesmo o homem Simon Bolívar, um militar liberal e líder político venezuelano, o primeiro ilustrado a apoiar na prática a descolonização. Mas isso foi de 1783 a 1830.

  Depois da prosperidade…

Os grandes escritórios brasileiros de advocacia - que foram abastecidos pela clientela da Lava-Jato - começaram a encolher. A operação teve início em 17 de março de 2014 e conta com 63 fases operacionais autorizadas. Está em vias de completar cinco anos e três meses.

A maré baixa de honorários advocatícios contratuais aparentemente começou a chegar para ficar.

Lê-se em manuais de oceanografia que “a maré baixa ocorre quando a maré alta desce e o refluxo chega ao fim”. E manuais advocatícios não tratam do assunto.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Rede Tv! (reprodução)

Salário-base de R$ 24 mil mensais é “uma miséria” para procurador de justiça...

 

Salário-base de R$ 24 mil mensais é “uma miséria” para procurador de justiça...

•  Levantamento da Câmara dos Deputados mostra que 71% dos magistrados brasileiros têm ganhos que superam o teto constitucional (R$ 39,2 mil), por meio do renitente auxílio-moradia, auxílio-alimentação, viagens, gratificações e variados penduricalhos.

•  Na semana passada, o CNJ abriu a porteira para o pagamento em pecúnia do “auxílio-saúde” (10% do salário base de desembargador).

•  Há três anos o Senado aprovou um projeto para limitar os supersalários. Recebido na Câmara, o texto parou em alguma gaveta burocrática. Rodrigo Maia sabe.

•  O senador Romário e um calote locatício de R$ 408 mil.

•  O Carrefour quer comprar as operações do Makro no Brasil.

•  Paulo Pimenta (PT-RS) líder do PT na Câmara, usou dinheiro da cota parlamentar para visitar o ex-presidente Lula na prisão

Arte de Gerson Kauer

As consequências de uma madrugada de pavor na serra gaúcha

 

As consequências de uma madrugada de pavor na serra gaúcha

 Roubo e estupro praticados por um montador de móveis. A Todeschini S.A. Indústria e Comércio depositou R$ 722 mil após o trânsito em julgado do acórdão que a condenou juntamente com a loja TDT Móveis Planejados. Mas o pagamento não apagará o ultraje indelével.

 Montagem dos móveis da moradia de uma família gaúcha durou dez dias. Durante o período, o montador apropriou-se de uma das chaves da casa, por meio da qual conseguiu o acesso sorrateiro à morada, durante uma madrugada.

 Facínora condenado a 15 anos já cumpre pena. E um menor também envolvido nos crimes desapareceu.

Arte de Gerson Kauer

OAB-RS deplora “o senso de normalidade que se instaurou em processos que se arrastam por anos”

 

OAB-RS deplora “o senso de normalidade que se instaurou em processos que se arrastam por anos”

 Em manifestação no saite da Ordem gaúcha, o presidente Ricardo Breier lembra que “quando um alvará não é expedido dentro de um tempo razoável, significa que o advogado e a parte não receberão seus direitos e, consequentemente, não contribuirão para a circulação no sistema econômico local”.

 Ação penal sobre o assassinato (2006) do escrivão de Novo Hamburgo pode ter um avanço em outubro.

 Ação popular sobre problema ambiental (2006) em Canela terá que passar por nova perícia de engenharia.

 Mas nenhuma demora talvez incomode tanto a cidadania gaúcha como a ação penal contra o ex-advogado Mauricio Dal Agnol.

Arte de Camila Adamoli sobre foto Visual Hunt

Eventos festivos da advocacia devem ser compatíveis com o decoro da profissão, mas...

 

Eventos festivos da advocacia devem ser compatíveis com o decoro da profissão, mas...

 A “festa” que encerrou o Mês do Advogado em Nova Iguaçu (RJ) instiga o pensar: para onde estão caminhando as instituições?

 TRF-4 mantém o bloqueio dos bens do espólio de Maria Letícia Lula da Silva.

 45% dos jogadores brasileiros que atuam no futebol do nosso país ganham apenas um salário mínimo.

 Suspeita de sarampo fecha, até o dia 9, a 18ª Vara Cível de Porto Alegre.

Blog do AFR

Três dos muitos casos que fazem o jeito da Justiça lenta

 

Três dos muitos casos que fazem o jeito da Justiça lenta

 Responsabilidade objetiva do Conselho Regional de Medicina em abuso sexual contra uma adolescente durante consulta médica.

 Escrivão de Novo Hamburgo foi assassinado em 2006, mas o júri popular da acusada ainda não tem data agendada.

 Ação popular por ilícito cível ambiental em Canela (RS) já dura mais de 13 anos.

 ´Entre...mentes´, o TJRS anuncia sua “liderança em eficiência no país entre os tribunais de grande porte”. E a OAB-RS promete reagir em outubro contra “a morosidade do Judiciário”.