Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 16 de julho de 2019.

STF vai decidir se a prévia separação judicial é requisito para o divórcio



O STF vai analisar se, após a Emenda Constitucional nº 66/2010, a separação judicial é requisito para o divórcio e se ela se mantém como instituto autônomo no ordenamento jurídico brasileiro. Em votação unânime, o Plenário Virtual da corte reconheceu a existência de repercussão geral da matéria.

O que for decidido no próximo julgamento do Supremo deverá ser seguido em todos os casos (pendentes e novos) que abordem matéria semelhante.

O paradigma chegou ao Supremo após o TJ do Rio de Janeiro concluir que, com a EC nº 66/2010, a separação judicial é desnecessária para o divórcio. Tal emenda alterou a redação do artigo 226, parágrafo 6º, da Constituição Federal para estabelecer que o casamento civil pode ser dissolvido pelo divórcio.

A redação anterior estabelecia que o casamento civil pode ser dissolvido pelo divórcio após prévia separação judicial por mais de um ano, ou se comprovada a separação de fato por mais de dois anos. (RE nº 1167478).


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Cármen Lúcia diz que “sociedade brasileira é machista, preconceituosa e violenta”

  Atualmente, tramitam no Judiciário brasileiro 10 mil processos de feminicídio.

  A advogada paranaense assassinada pelo marido na semana passada era, frequentemente, chamada por ele de “bosta albina”. Ela estava sujeita a todo o trabalho doméstico diário e proibida de contratar diarista.

  Jornal The New York Times cita dados de uma sua pesquisa: “Um terço das mulheres brasileiras já sofreram algum tipo de agressão”.

  Porto Alegre é a capital brasileira de maior presença de pessoas ´trans´ contaminadas com HIV.