Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 19 de setembro de 2019.
https://espacovital.com.br/images/mab_123_17.jpg

Ação penal contra Mauricio Dal Agnol ajuizada em 2012 ainda não tem sentença



Imagem da Matéria

 A estante da comarca

A notícia de sexta-feira à noite de que, por 85 votos a zero, foi declarado inidôneo o notório Mauricio Dal Agnol para exercer a advocacia, produziu o mais acachapante resultado numérico em toda a história de 87 anos da OAB-RS. Excluído da entidade gaúcha, Dal Agnol ainda poderá recorrer ao Conselho Federal. Mas sem chances, por ora, de advogar – porque está suspenso preventivamente desde 27 de fevereiro de 2015.

Há, entrementes, uma pausa processual que faz a alegria da fictícia Madame Tartaruga Jurisdicional. Quem foi atrás do desfecho da ação penal a que responde o advogado acusado de lesar milhares de clientes, teve uma surpresa. É que na 3ª Vara Criminal de Passo Fundo, onde começou em 19.02.2014, o processo tem, no sistema, anotada uma simplória situação atual: “Autos na prateleira da Carmelina”.

O último impulso efetivo (?), dado pelo juiz Bruno Massing de Oliveira, é de 11 de abril deste ano. Não há segredo de justiça.

Sentença – de absolvição, ou condenação do acusado - nem pensar. A culpa pela demora deve ser do estagiário... (Proc. nº 021/2.12.0010212-5).

 As estantes do arquivo

Por falar em estantes, e a propósito de mobiliário, advogados que requerem vista de autos processuais findos - guardados na unidade da Avenida das Indústrias nº 1.759, do Arquivo Judicial do TJRS - têm sido obstados, mesmo depois do pagamento da taxa de desarquivamento.

É que – conforme desabafo publicado nesta mesma edição do Espaço Vital, no espaço Carta de Leitor, o prédio está interditado desde 17 de março deste ano, quando ali desabaram três níveis de estantes. Consequência: nada entra, nada sai.

Madame Tartaruga chegou ontem (primeiro dia de julho) à frente do prédio, deu uma espiada, não conseguiu entrar, mas obteve a informação de um atendente: “As providências de orçamento para a restauração estão em curso há três meses”.

Isto é, desde o dia 1º de abril. A data é mera coincidência.

 Tragédias do trânsito

O Brasil tem um morto a cada 15 minutos no trânsito. Em 20 anos (1999 a 2018) o número de vítimas fatais chegou a assustadores 734.938, nas ruas e estradas brasileiras. Destes, 293.975 (40%) tinham até 29 de idade.

“É como se caísse um avião com 100 pessoas, diariamente, nesses 7.300 dias que constituem o trágico período vintenário pesquisado” – diz Rodolfo Rizzoto, do Portal SOS Estradas. No período, o SUS gastou R$ 5,3 bilhões em procedimentos médicos e hospitalares relacionados ao trânsito.

Para especialistas, as mudanças no Código de Trânsito, propostas pelo governo (tolerar mais velocidade; elevar o limite de pontos para a perda da CNH, etc.) trarão mais mortes e despesas.

  Seguro sob medida

A Susep (Superintendência dos Seguros Privados) está dando os últimos retoques para autorizar, a partir do segundo semestre, uma novidade no mercado de seguros de automóveis: os planos com coberturas intermitentes. Funcionarão como um seguro sob medida.

Por ele será possível contratar para segurar o automóvel em apenas determinadas rodovias ou regiões de uma cidade. E (aí a pendência, por enquanto), só em faixas horárias a critério do segurado. A intenção é baratear o custo para o contratante;

  Amarelinha alternativa

A Justiça do Rio negou o pedido da Confederação Brasileira de Futebol para impedir que a Adidas continuasse a produzir e vender sua versão das camisas usadas pela seleção brasileira, que é patrocinada pela Nike. Segundo a CBF, “a Adidas promove uma concorrência desleal ao imitar o uniforme oficial”.

O juiz Paulo Estefan, da 4ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, avaliou que “com cores em disposição idêntica à da seleção, a camisa da Adidas tem desenho levemente diferente da vendida pela Nike e outro escudo no peito, que nada lembra o da CBF”.

Ainda segundo a sentença, “as cores nacionais podem ser utilizadas sem restrições por qualquer pessoa física ou jurídica”. O julgado ressalvou que “é claro que a camisa amarela com a gola verde remete à seleção, mas isso não basta”. Não há trânsito em julgado.

  ´Tax free´ brasileiro

Relator da MP da Liberdade Econômica, em tramitação na Câmara, o deputado Jerônimo Goergen vai incluir em seu texto a proposta de criação do 'tax free' brasileiro.

O benefício, comum em outros países, permite ao turista estrangeiro reaver o valor dos impostos embutidos nos produtos nacionais que ele compra, já que – não residente no Brasil - não usufrui da aplicação dos recursos recolhidos pelo governo.

 No final do prazo

Jair Bolsonaro talvez só anuncie o nome do(a) próximo(a) procurador(a)-geral da República “aos 45 do segundo tempo". O mandato de Raque Dodge termina no dia 17 de setembro.

Arrisca-se dizer que Déborah Duprat é a única que está descartada. Como procuradora federal dos Direitos do Cidadão, ela foi a signatária pelo parecer contrário ao decreto das armas.

 Ressaca Intercept

O Instituto Paraná Pesquisas, a pedido do saite Diário do Poder (www.diariodopoder.com.br), estudou o efeito dos ataques do Intercept à Lava Jato.

Primeira conclusão: 87,6% dos cidadãos souberam da troca de mensagens atribuídas a Moro e a procuradores da Operação Lava Jato.

Mas, para 56,1% dos entrevistados, isso não coloca em dúvida os resultados da Lava Jato. A esta, o maior apoio vem de cidadãos com curso superior completo: 72,2%.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Rede Tv! (reprodução)

Salário-base de R$ 24 mil mensais é “uma miséria” para procurador de justiça...

 

Salário-base de R$ 24 mil mensais é “uma miséria” para procurador de justiça...

•  Levantamento da Câmara dos Deputados mostra que 71% dos magistrados brasileiros têm ganhos que superam o teto constitucional (R$ 39,2 mil), por meio do renitente auxílio-moradia, auxílio-alimentação, viagens, gratificações e variados penduricalhos.

•  Na semana passada, o CNJ abriu a porteira para o pagamento em pecúnia do “auxílio-saúde” (10% do salário base de desembargador).

•  Há três anos o Senado aprovou um projeto para limitar os supersalários. Recebido na Câmara, o texto parou em alguma gaveta burocrática. Rodrigo Maia sabe.

•  O senador Romário e um calote locatício de R$ 408 mil.

•  O Carrefour quer comprar as operações do Makro no Brasil.

•  Paulo Pimenta (PT-RS) líder do PT na Câmara, usou dinheiro da cota parlamentar para visitar o ex-presidente Lula na prisão

Arte de Gerson Kauer

As consequências de uma madrugada de pavor na serra gaúcha

 

As consequências de uma madrugada de pavor na serra gaúcha

 Roubo e estupro praticados por um montador de móveis. A Todeschini S.A. Indústria e Comércio depositou R$ 722 mil após o trânsito em julgado do acórdão que a condenou juntamente com a loja TDT Móveis Planejados. Mas o pagamento não apagará o ultraje indelével.

 Montagem dos móveis da moradia de uma família gaúcha durou dez dias. Durante o período, o montador apropriou-se de uma das chaves da casa, por meio da qual conseguiu o acesso sorrateiro à morada, durante uma madrugada.

 Facínora condenado a 15 anos já cumpre pena. E um menor também envolvido nos crimes desapareceu.

Arte de Gerson Kauer

OAB-RS deplora “o senso de normalidade que se instaurou em processos que se arrastam por anos”

 

OAB-RS deplora “o senso de normalidade que se instaurou em processos que se arrastam por anos”

 Em manifestação no saite da Ordem gaúcha, o presidente Ricardo Breier lembra que “quando um alvará não é expedido dentro de um tempo razoável, significa que o advogado e a parte não receberão seus direitos e, consequentemente, não contribuirão para a circulação no sistema econômico local”.

 Ação penal sobre o assassinato (2006) do escrivão de Novo Hamburgo pode ter um avanço em outubro.

 Ação popular sobre problema ambiental (2006) em Canela terá que passar por nova perícia de engenharia.

 Mas nenhuma demora talvez incomode tanto a cidadania gaúcha como a ação penal contra o ex-advogado Mauricio Dal Agnol.

Arte de Camila Adamoli sobre foto Visual Hunt

Eventos festivos da advocacia devem ser compatíveis com o decoro da profissão, mas...

 

Eventos festivos da advocacia devem ser compatíveis com o decoro da profissão, mas...

 A “festa” que encerrou o Mês do Advogado em Nova Iguaçu (RJ) instiga o pensar: para onde estão caminhando as instituições?

 TRF-4 mantém o bloqueio dos bens do espólio de Maria Letícia Lula da Silva.

 45% dos jogadores brasileiros que atuam no futebol do nosso país ganham apenas um salário mínimo.

 Suspeita de sarampo fecha, até o dia 9, a 18ª Vara Cível de Porto Alegre.

Blog do AFR

Três dos muitos casos que fazem o jeito da Justiça lenta

 

Três dos muitos casos que fazem o jeito da Justiça lenta

 Responsabilidade objetiva do Conselho Regional de Medicina em abuso sexual contra uma adolescente durante consulta médica.

 Escrivão de Novo Hamburgo foi assassinado em 2006, mas o júri popular da acusada ainda não tem data agendada.

 Ação popular por ilícito cível ambiental em Canela (RS) já dura mais de 13 anos.

 ´Entre...mentes´, o TJRS anuncia sua “liderança em eficiência no país entre os tribunais de grande porte”. E a OAB-RS promete reagir em outubro contra “a morosidade do Judiciário”.