Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 13 de setembro de 2019.

Dentadura macabra



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Por Carlos Alberto Bencke, advogado (OAB-RS nº 7.968)

Os irmãos – filhos de um conhecido comerciante, famoso por seu bigode à portuguesa – divergiam à beira do leito de morte do pai. É que o médico havia decretado: “O pai de vocês não passa de amanhã”.

Um dos filhos queria comprar já o caixão para, seguindo os ensinamentos paternos, pechinchar e conseguir melhor preço. O outro, esperançoso, não queria agourar o também supersticioso pai.

Pois o moribundo passou o dia posterior, o outro, mais uma semana e o médico resolveu dar alta ao paciente.

Antes de ser levado de volta à residência, o idoso pediu a dentadura completa que deixara sobre a mesinha de cabeceira que separava os dois leitos do quarto coletivo do hospital. Não foi encontrada. Procura daqui, procura dali, a enfermagem informou que, na véspera, falecera o vizinho do leito, “tendo a viúva levado uma dentadura que seria do defunto, para colocar nele”.

Duas semanas depois, o sumiço dentário virou caso no Juizado Especial da comarca. O idoso e os filhos eram autores de uma insólita ação contra o hospital e a família do morto: cobravam dos réus, solidariamente, o valor da dentadura e uma reparação por danos morais.

O alquebrado juiz - recusante de promoção porque se habituara àquela vidinha interiorana fórum-casa-fórum – abriu a audiência com cara de poucos amigos:

- Qual é o problema aqui?

- Enquanto eu estava pra ir desta vida, a família do falecido levou minha dentadura completa. Não tenho dinheiro para comprar outra – respondeu o idoso senhor.

- O que a família aqui representada tem a dizer? – perguntou o magistrado.

O advogado, filho do falecido, se puxou na explicação:

- A subtração de objeto, pensando ser seu, por erro quanto à coisa, é excludente de crime e de indenização cível quando comprovados o erro e a boa-fé, e devolvido o objeto.

E, empertigado, tirou da pasta um pote de vidro contendo – imersa em álcool - a dentadura controvertida:

- Senhor juiz, a subtração por engano ocorreu num momento de dor para a nossa família. Mas, reparando o equívoco, fomos ao cemitério buscar o objeto para devolvê-lo ao senhor aqui presente.

O juiz encerrou a audiência. Conta-se que o autor teria voltado a usar a dentadura macabra, porque - sovina como ele só - todos na comarca duvidam que ele tenha adquirido uma outra nova.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentário
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Espaço Vital.

Se for advogado(a) ou estagiário (a), informe qual a sua Seccional da OAB e o número de sua inscrição.




Mensagem (Máximo 500 caracteres)
Não devem ser usadas palavras inteiras em maiúsculas.
Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e contiverem links serão rejeitados.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

Um caso gaúcho para o Livro Guinness dos Recordes

 

Um caso gaúcho para o Livro Guinness dos Recordes

Pedro e Paula eram jovens ainda – respectivamente 24 e 22 de idade – quando casaram, dez anos atrás. Eles levaram à frente seu matrimônio, sem filhos, durante mais de dez anos de muitas alegrias, poucas tristezas, mas lento declínio da temperatura conjugal. Em janeiro de 2019 a extrema surpresa: um inimaginável triângulo.

Charge de Gerson Kauer

A comarca das vacas

 

A comarca das vacas

O juiz recém nomeado estava assumindo a comarca. Chegou na sexta-feira à tardinha, hospedou-se no melhor hotelzinho da cidade e preparou-se para, no dia seguinte (sábado) cedo, organizar as tarefas para a sua estreia, na segunda-feira. Não imaginava ter que enfrentar um “vacum”.

Charge de Gerson Kauer

Páginas da vida com segredo de justiça

 

Páginas da vida com segredo de justiça

O réu de uma ação penal por assalto é universitário, com matrícula trancada por falta de dinheiro para as mensalidades. Chegara a trabalhar como auxiliar contábil. Mas desempregou-se em decorrência do fechamento de uma indústria. A “primeira vez” dele como assaltante terminou sendo a redenção para que, dando a volta por cima, voltasse à faculdade e concluísse o curso de Direito.

Charge de Gerson Kauer

Para medir o tamanho ´daquilo´...

 

Para medir o tamanho ´daquilo´...

Treze de agosto de 2018, hoje está fazendo um ano. A frustração do consumidor que - após encomendar na internet, e pagar por um aparelho que o tornaria “um amante imbatível” - recebeu uma enorme e maldosa lupa. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke. 

Charge de Gerson Kauer

“Quero comer filé”

 

“Quero comer filé”

Na audiência de uma ação de divórcio, a surpreendente mudança de decisão do homem: “Estou velho, não vou conseguir mais uma companheira como ela. Prefiro comer filé com os outros do que carne de pescoço sozinho”. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.