Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), terça-feira, 14 de julho de 2020.

Toffoli poderá ficar no STF por mais 23 anos



Charge de HUMOR POLÍTICO

Imagem da Matéria

Naturalmente concordamos – possivelmente todos – que para o Brasil é imprescindível a existência do Supremo Tribunal Federal, embora a necessidade de mudanças urgentes. Enquanto isso não ocorre (acontecerá?...) conviveremos com dados etários incontestáveis.

Dias Toffoli, nascido em 15.11.1967, será – se quiser – o magistrado com mais tempo como integrante da corte. Na história do Supremo, o campeão ainda é Hermínio do Espirito Santo, que foi ministro por 10.951 dias, seguido por André Cavalcanti d’Albuquerque, que atuou por 10.835 dias - ambos no início do século passado.

Toffoli completará 75 anos em 15 de novembro de 2042, após 12.073 dias no cargo, e – se não quiser se aposentar antes - será o recordista absoluto no STF.

Quando ele foi nomeado por Lula, em 23.10.2009, a previsão era a de que seria o terceiro ministro mais longevo, com 10.249 dias. A PEC da Bengala, todavia, deu cinco anos a mais a todos os ministros. Por isso, Toffoli poderá ficar até 15 de novembro de 2042 – serão doravante mais 23 anos e dois meses de poder.

Outras datas a considerar

· Ricardo Lewandowski tem legitimidade constitucional e etária para ficar até 10.5.2023.

· E Gilmar Mendes até 30.12.2030.

Oremos, pois!


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Notícias Relacionadas

Imagem: Divulgação - Arte: Gerson Kauer

A Excelentíssima Senhora Doutora Prescrição

 

A Excelentíssima Senhora Doutora Prescrição

Um esquema ardiloso envolvendo precatórios, que funcionou de 1990 a 2011. Um inquérito que chegou ao Superior Tribunal de Justiça, em 2012, denunciando advogados, juízes, desembargadores e líderes sindicais. Um processo com 15.700 folhas. Em 2020, no STJ,  o reconhecimento da prescrição. O gáudio dos investigados e a óbvia decepção da sociedade.

Luiz Fux afirma que há uma “sanha de protagonismo judicial”

O ministro avaliou que isso prejudica o STF. Futuro presidente da Corte (assume em setembro), ele complementou que “no Estado Democrático de Direito a instância hegemônica, que tem que resolver os problemas, é o Poder Legislativo”.

Foto: Ascom MP/AP

Desembargador é denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro

 

Desembargador é denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro

MPF acusa o magistrado - do TJ do Amapá - Manoel de Jesus Ferreira Brito (foto), dois servidores do MP estadual e um empresário. Defesa do desembargador é feita por seu filho, presidente da Seccional da OAB amapaense: “Escolheram o pior momento social para fazer política; poderiam estar cuidando da saúde do povo”.