Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira ,06 de dezembro de 2019.
https://espacovital.com.br/images/fechamento.jpg

MP pede a absolvição dos 15 denunciados pela queda da Ciclovia Tim Maia, no Rio



Custódio Coimbra

Imagem da Matéria

 Absolvição para todos os acusados

A promotora Márcia Guimarães pediu, em razões finais na 32ª Vara Criminal do Rio, a absolvição de todos os 15 denunciados pela queda da ciclovia Tim Maia, em São Conrado, na Zona Sul do Rio. Em seu parecer, ela considerou que a imprevisibilidade da onda que derrubou a estrutura isenta de culpa os envolvidos. A primeira queda, em abril de 2016, matou duas pessoas.

Segundo a promotora, as testemunhas do processo esclareceram que “o estudo de forças ascendentes das ondas não é algo comum a ser considerado em projetos similares ao da ciclovia”. E mesmo se fosse realizado o estudo – escreve também a promotora – “as testemunhas atestaram que os parâmetros comumente usados para a medição não iriam prever a combinação de eventos que levou à formação da gigantesca onda responsável por derrubar o tabuleiro da ciclovia".

Eis o arremate no parecer que pede a absolvição: “O Ministério Público não pode se transformar em um mero heroico e messiânico combatente de crimes, devendo haver a necessária impessoalidade para que esta signatária não venha a se transformar em uma promotora de injustiça, o que seria execrável e leviano”.

É... deve ter sido fatalidade, então. Mas há controvérsias.

“Ladrão” e “corrupto”

A 12ª Câmara Cível do TJ do Rio julga na próxima terça-feira (19) a apelação do ex-presidente da CBF, José Maria Marin. Ele pede a reforma da sentença de improcedência da ação ajuizada contra o senador e ex-futebolista Romário.

Em 2014, o irreverente Baixinho chamou Marin de “ladrão” e “corrupto”. A sentença que negou a reparação moral acolheu a alegação de que – como os adjetivos qualificativos foram proferidos por Romário na tribuna do Senado - ele tem imunidade parlamentar.

Para recordar: em 27 de maio de 2015, Marin foi banido de qualquer atividade relacionada ao futebol, pela Federação Internacional de Futebol (FIFA) e afastado do quadro diretivo da CBF. Em 22 de dezembro de 2017, Marin foi condenado a quatro anos de prisão, por seis crimes pelo Tribunal Federal do Brooklyn, em Nova York. Ele está preso desde então.

Não há controvérsias, não há liberdade após o cumprimento de um sexto, nem espera pelo trânsito em julgado...

• Negros são maioria

Pela primeira vez, em 2018, alunos negros se tornaram maioria nas universidades públicas do país, mostra pesquisa do IBGE. Revelada ontem (13). A nova configuração foi atribuída pelo instituto ao sistema de cotas, usado desde 2012, e a programas de acesso ao ensino superior, como o Fies e o Prouni.

Especialistas acrescentam outras medidas, como o crescimento de pré-vestibulares comunitários e a isenção de taxa de inscrição para pobres.

A propósito, negros são a principal vítima de homicídios no Brasil, também indica o IBGE. Em 2017, a taxa de violência letal entre jovens pretos ou pardos foi de 98,5%; entre jovens brancos, foi de 34%.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Bacharel formado em 1982 não precisa prestar Exame de Ordem

· Limite de isenção para compras no exterior vai dobrar para US$ 1.000.
· Antecipação de tutela obriga Flamengo a pagar R$ 10 mil mensais às famílias de 13 jovens jogadores que morreram e ficaram feridos no incêndio do Ninho do Urubu.
· Preso perito judicial que fraudava laudos contábeis.
· Possibilidade de mais compras no exterior sem tributação.

STJ edita nova súmula

•  Verbete nº 638 dispõe sobre a abusividade de cláusula em contratos bancários.

•  Prisão temporária de juiz baiano passa a ser preventiva.

•  Efeito 6 x 5 do STF solta o irmão de José Dirceu.

•  Rogério Mendelski deixa a Guaíba e ingressa na Band.

•  Recusa de retorno ao trabalho não afasta direito de gestante à estabilidade.

•  Lula pede no STF a anulação da condenação no TRF-4 pelo sítio de Atibaia.

•  Marcelo Odebrecht trabalho comunitário na Justiça Federal de São Paulo.

•  Palocci delata duas “ex-companheiras”.

Atraso de FGTS não é motivo para rescisão indireta do contrato

  TRT-4 entendeu que a ausência de depósitos não configura falta grave a ponto de tornar impossível a continuidade da relação de emprego.

  Defesa de Lula pedirá a anulação total da ação penal sobre o sítio de Atibaia. Petição de apelação tem 1.386 páginas.

  Mais de 1,2 milhão de mulheres sofreram violência entre 2010 e 2017.

  Cúmplice do ‘doleiro dos doleiros’ tinha tabela de propina a policiais.

 Mais agilidade na imigração de brasileiros que ingressam nos EUA.

  Morre Seabra Fagundes, presidente da OAB que sofreu atentado na ditadura.

Proibido o lançamento de livro sobre a vida de Suzane von Richthofen

  A publicação – que está pronta – tem o título “Suzane, assassina e manipuladora”. Conforme a decisão judicial “a obra não é de interesse público”.

  Editora Abril anuncia leilão para alienação judicial da marca Exame.

 Acidentes de trânsito no trajeto até o trabalho não são mais considerados acidentes de trabalho.

TJ do Paraná impede a locação por Airbnb em condomínio residencial

Conforme o acórdão, “a locação por curtíssimo prazo configura hospedagem comercial”.

Seguradora Chubb segue impedida de contratar com a Itaipu Binacional.

Farpas entre artistas: improcedência de ação de Kadu Moliterno contra Luana Piovani.