Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), terça-feira,
31 de março de 2020.
https://espacovital.com.br/images/leitores.jpg

“Como reagiria um membro do Supremo se um familiar experimentasse situações inarráveis?”



Fotos de Iúri Barcellos /Agência Pública (E) e João Miranda / Vai Dá Pé.com.br (D)

Imagem da Matéria

• Cícero Barcellos Ahrends, advogado, sobre “Advogada gaúcha que incitou ao estupro das filhas de ministros se retrata”:

“Ainda que não pactue com a declaração da colega, parece que, por já ter sido vítima de crime bárbaro, sentiu forte, a decisão do Supremo. A maioria da população deve ter questionado o tema sob outro prisma: ´Como decidiria um membro daquela Corte se um familiar experimentasse situações inarráveis que, cotidiana e banalizadamente, se vê, ouve e presencia?´

O que valeria mais neste momento conturbado? Ser ortodoxo e fiel às cláusulas pétreas da CF, ou seguir as aulas dos minitros Barroso e Fux?”

 Bolívar Lamounier, cientista político, sobre 1 2 3 - Já - O vasto e ousado painel revelador do assalto e da tentativa de captura do Estado”

“Causa-me espanto ouvir certos ministros do STF abordarem candentes questões constitucionais como se fossem enteléquias, quero dizer, substâncias imutáveis que percorrem incólumes toda a evolução histórica, sem sofrer qualquer alteração.

Se uma máquina do tempo um dia levar tais ministros de volta ao Século 19, e eles pedirem para conhecer a empresa Ford, ficarão surpreendidos quando o cicerone os deixar na porta de uma oficina de consertar bicicletas.

Pela mesma razão, ninguém deve se surpreender com o fato de alguns dos ministros ainda hoje confundirem armazéns de secos e molhados com mega empreiteiras, e espingardinhas de matar passarinhos com fuzis AK-47”.

 Edgar Granata, advogado, sobre “Presunção de inocência”:

“Vale lembrar que, entre milhões de alterações nas legislações em seus artigos, parágrafos, incisos, alíneas ... mais uma alteração não entornaria o caldo com uma simples SUSPENSÃO DA PRESCRIÇÃO até o trânsito em julgado. Agradaria a gregos e troianos, ou - como diria aquele rábula - a morenos e baianos. Certamente serei duramente criticado pelos criminalistas gaúchos, bem como pela Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas. Mas divergir é legítimo.

Raramente os ´santinhos´ são absolvidos/inocentados em terceiro grau. Muitos ´anjinhos´, graças a seus causídicos, empurram com a barriga os processos para as calendas, até prescrever, sem falar que, muitas vezes voltam a reincidir no 'métier'. O tal princípio constitucional de presunção de inocência não deve ser interpretado só por isso. Esse princípio é uma falácia. Entre os aforismos IN DUBIO PRO REO e IN DUBIO PRO SOCIETA, este segundo deve prevalecer, sempre”.

• Paulo H. Mattos, advogado, sobre “Dois meses de férias para todos”.

na”.

• Valdivino Jacobbo Baruffi, advogado, sobre “A volta do Brasil à escória do mundo, pátria da impunidade e do vale-tudo das elites delinquentes

“Meus parabéns ao procurador do Estado e meu conterrâneo (de Passo Fundo), Dr. Rudinei Candeia. Fez um resumo sensacional do que foi o julgamento (?) do Supremo”.

 Rodrigo Borges Rodrigues, advogado, sobre “E agora, José?”

“Cumprimentos ao ilustre advogado e brilhante ex-desembargador Moacir Leopoldo Haeser, Pondero, respeitosamente indagando, se a mantença do atual entendimento do STF quanto à matéria não afrontaria o que o próprio CPC e a legislação que regulamenta os recursos especial e extraordinário preveem – isso no sentido da possibilidade de se agregar, excepcionalmente, efeito suspensivo a tais recursos? Restariam revogados tacitamente tais dispositivos infraconstitucionais de lei federal?”


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Reprodução de www.oab.org.br em 06.3.2020, às 8h30

CF-OAB oficialmente só publica o quanto arrecadou até setembro do ano passado

 

CF-OAB oficialmente só publica o quanto arrecadou até setembro do ano passado

 Já estamos no terceiro mês de 2020 e as contas oficiais publicadas estão com cinco meses de atraso.

• Opiniões de advogados sobre as comparações entre OAB (Brasil) e ABA (EUA).

 Leia o que dizem os advogados Léo Ricardo Petry, Taciana Martins Faria Neves, Eduardo Dorfman Aranovich, Simone Maria Serafini e o bacharel Nelson Carmo Pedro Gonzaga.

Arte EV

Os R$ 8,5 milhões da advocacia gaúcha que vão anualmente para o CF-OAB

 

Os R$ 8,5 milhões da advocacia gaúcha que vão anualmente para o CF-OAB

 Advogado Roberson Azambuja deplora que esse dinheiro é retirado de jovens profissionais da advocacia.

 Contador Peter H. Grunewald se diz impressionado com a vazão da dinheirama.

 Advogado Fernando Maciel Ramos diz que os colegas devem se negar a prestar serviços como dativos.

 Advogado Cicero Barcellos Ahrends elogia a 8ª Câmara Cível do TJRS.

 Advogados Jarbas Manoel da Silva e Luiz Carlos Kremer comentam sobre terrenos da União à beira-mar.

Arte de Camila Adamoli

Críticas da classe advocatícia sobre a utilização do CF-OAB para fins político-partidários

 

Críticas da classe advocatícia sobre a utilização do CF-OAB para fins político-partidários

· “O presidente nacional, eleito por um colegiado (nada democrático) não representa o entendimento da grande maioria dos advogados”.

· Considerações sobre a “farra das lagostas” e as “altas autoridades”.

· Advogado promete passar a mão no touro de New York, para tê-lo como símbolo da reação contra o CF-OAB.

· As instituições soltas, sem qualquer freio.

· Manifestações dos leitores Patricia Alovisi, Róberson Azambuja, Alceu Giorgi, João de Oliveira Menezes, Afonso Saraiva Moraes, Péricles Silva Monteiro, Plinio Paulo Bing, Leandro Esper Castro e Amilcar Ricardo Zabaletta.

www.BlogdoAFTM.com.br

Críticas à posição da OAB contra a PEC da Segunda Instância

 

Críticas à posição da OAB contra a PEC da Segunda Instância

 Manifestações de advogados qualificam de “inadmissível e vergonhosa” a postura do Conselho Federal da Ordem dos Advogados.

 “O presidente é eleito por um colegiado, como na época da ditadura militar e defende ideais próprios que não representam a maioria dos advogados brasileiros”.

• O futebol jurídico numa causa de R$ 15 milhões.

 Renato Portaluppi ainda é o melhor treinador na era recente do Grêmio.

 As opiniões dos leitores Cícero Barcellos Ahrends, Luiz Victor Santos de Moraes, Roberson Azambuja, José Mario De Boni, Alceu Georgi, Sérgio Drebes, Rodrigo Christini, Rodrigo Severino e Abrahão Finkelstein.

Uns podem alugar via Airbnb, outros não! Por que?

Manifestação de Monica Dutczak, a gaúcha que é recorrente no STJ no caso paradigmático do aplicativo de locação de imóveis. A opinião do procurador municipal João de Almeida Neto. E as tiradas de humor de um advogado e de um estagiário que estão penando na comarca de Ibirubá.

O juiz endividado com o Banrisul

Em Ibirubá só se fala nisso. Inclusive que o magistrado ganha 9,5 vezes o que um trabalhador gaúcho recebe em média por mês. A Subseção local da OAB não se manifestará, e espera a iniciativa da OAB-RS. Em 30 e-mails, advogados, estagiários e até um contador fazem considerações. E há quem lembre que juiz gaúcho não ganha, de presente, “lagostas oficiais supremas”.