Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), terça-feira, 30 de junho de 2020.
https://espacovital.com.br/images/smj.jpg

Dois anos antes da eleição de 2021, os primeiros movimentos para a sucessão na OAB-RS



Arte EV sobre fotos de Lucas Pfeuffer

Imagem da Matéria

 Foi dada a largada!

Com dois anos de antecedência para as próximas eleições estaduais da OAB gaúcha, começa a ser pavimentado o percurso, sem buracos, para que a entidade dos advogados tenha, no triênio 2022/2024, uma presidente mulher. O grupo OAB Mais - que é um projeto político para até 30 anos e que começou esplendidamente em 2007 com Claudio Lamachia – pretende ver a procuradora do Estado Fabiana Azevedo da Cunha Barth (OAB-RS nº 43.546) como futura presidente da entidade.

Integrante da atual diretoria como secretária-geral adjunta, Fabiana Barth está preenchendo novo espaço estratégico. Desde o dia 12, ela também é a coordenadora-geral das Comissões da Ordem. Entre suas novas tarefas estão, textualmente, “a execução dos atos administrativos de organização e, acima de tudo, das competências existentes e das relações entre as comissões".

Uma ideia do panorama de abrangência: as comissões que Fabiana vai coordenar são relacionadas a temáticas como direito tributário, seguridade social, direito da pessoa com deficiência, direito do idoso, direito da mulher, direito ambiental. E outras mais.

 O jeito feminino gaúcho

Num país com exatos 1.171.644 advogados inscritos (os números são oficiais, de ontem), a predominância nacional é do gênero masculino (591.512) – pouco mais de 11 mil a mais do que as inscrições do gênero feminino (580.132).

Mas o RS (85.491 advogados inscritos) é um dos sete estados brasileiros em que as mulheres advogadas gradativamente aumentam sua maioria: hoje elas são 43.004 a 42.487 – diferença que cresce todos os meses.

A predominância feminina já ocorre também nos Estados da Bahia, Goiás, Mato Grosso, Pará, Rio de Janeiro e Rondônia.

 A sempre presidente

Com 87 anos de história, a OAB-RS só teve uma presidente mulher: Cléa Anna Maria Carpi da Rocha (gestão 1989/1991). Natural de Guaporé, atuante na política estudantil, em 1959 ela foi vice-presidente da União Estadual de Estudantes e presidente do Centro Acadêmico André da Rocha, antes de bacharelar-se pela Faculdade de Direito da UFRGS.

Então iniciou sua carreira como advogada defensora dos direitos humanos e das causas femininas.

Na Ordem gaúcha – onde até hoje não falta a qualquer sessão do Conselho Seccional – Cléa é carinhosamente chamada de “sempre presidente”.

Com o perdão do saudável trocadilho, a competente e crescente Fabiana está sendo preparada para ser... uma nova Cléa.

 E a oposição?

Dois anos antes das futuras eleições, a oposição – que vem sendo derrotada há 12 anos – ainda não se organizou para 2021.

Mas a “rádio-corredor” forense irradiou esta semana uma especulação política: “O preferido atual do ex-governador e advogado Tarso Genro é o criminalista e professor Aury Lopes Júnior”.

A conferir.

 Olho vivo!

O TJRS informou ontem (21) que a compensação das horas, pelos grevistas, “deverá ser realizada, no máximo, até 10 horas semanais, que poderão ser realizadas de segunda-feira a sexta-feira, por no máximo duas horas diárias consecutivas, das 7h às 9h ou das 18h15min às 20h15min, ou ainda, aos sábados, com a prestação de, no máximo, quatro horas extraordinárias, observado sempre o limite de dez horas semanais, vedada a compensação no período do recesso (20/12/2019 a 06/01/2020)”.

Diz ainda o tribunal que “a compensação das horas deverá ser individualizada, de acordo com as horas em haver de cada servidor”. E que “a fiscalização será feita através do sistema de informática, pelo controle dos magistrados, e também pelo comprometimento de funcionários”.

As partes que ficaram tão prejudicadas ao longo de quase dois meses, esperam que as Subseções da OAB, no interior do Estado, sejam eficazes no acompanhamento da solução da ressaca processual. E que a estrutura da Ordem na capital esteja também de olho vivo.

Visitas protocolares com vistosas fotografias deveriam ficar para a semana anterior ao Natal.

 A propósito de controle

Não é demasiado lembrar que, por falta de fiscalização, o Foro da comarca de Capão da Canoa produziu, no mês passado, a pérola do ano da Justiça gaúcha.

Uma servidora redigiu um edital de citação e uma juíza dali assinou o documento em que o vizinho Município de Xangri-lá é citado por edital, “por se encontrar em lugar incerto e não sabido”. Para completar a comédia processual, houve a publicação no Diário da Justiça Online.

E por falta de alguma coisa - não se sabe, até agora, em quantos processos em que o Banrisul é parte, foi averbada a suspeição do juiz da comarca de Ibirubá.

Justamente porque, apertado financeiramente, o doutor teve que contrair um suave financiamento de sete anos.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Foto: Visual Hunt

Dilma busca pensão de R$ 10,7 mil mensais: “perseguição durante a ditadura”

 

Dilma busca pensão de R$ 10,7 mil mensais: “perseguição durante a ditadura”

  • A ex-presidente da República recebe atualmente R$ 12.600 mensais da Fundação Perseu Abramo.
  • Pouco dinheiro e muito dinheiro: enquanto a cantora Angela Rorô pede que cada um de seus amigos doe R$ 10 a ela, a CBF perde ação de US$ 3 milhões para a multinacional Procter & Gamble.
  • Uma demanda entre duas empresas pelo uso do sobrenome Dalcin.
  • Chineses retornando para os estudos nos EUA: eles são 369 mil.
  • A garantia fiduciária prestada por devedor convivente, sem a outorga uxória da companheira é parcialmente nula.
  • 52% dos hotéis brasileiros ainda estão fechados.

Tv Justiça - reprodução

A primeira atividade de Marco Aurélio, após a aposentadoria compulsória

 

A primeira atividade de Marco Aurélio, após a aposentadoria compulsória

  Num despacho em que indefere requerimento do CF-OAB, o ministro anuncia o que primeiro vai fazer, ao se aposentar em julho de 2021. Lançará o livro “Os votos que não proferi”.

  O importante julgamento no STF da ADI que questiona o pagamento, a advogados públicos, de honorários de sucumbência nos processos em que forem parte a União, autarquias e fundações federais.

  Os números oficiais dos EUA sobre assassinatos por milhões de habitantes.

  Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino entra no STF contra a redução do valor da mensalidades escolares.

  Brasileirão 2020: CBF quer que os clubes aceitem diminuir (de 72 para 48h.) o intervalo entre partidas.

  Os políticos estão viajando menos.

  O futuro de Mandetta: consultoria de biossegurança.

  Dorflex pode! Doralflex, Neodoralflex e Neodorflex, não!

Foto: Associated Press (1969)

Afinal, quem disse em 1962 que “o Brasil não é um país sério” ?

 

Afinal, quem disse em 1962 que “o Brasil não é um país sério” ?

•  A frase foi erradamente atribuída a Charles de Gaulle. O ex-editor do Jornal Nacional, Luiz Edgar de Andrade, falecido na semana passada, foi personagem involuntário de uma das primeiras fake news internacionais.

•  O termômetro judicial da Covid-19: são 10 mil novas ações trabalhistas.

•  Decisão judicial concede 45 dias de licença remunerada para auxiliar de enfermagem.

•  As liminares que estão criando novas modas.

•  Projeto de lei quer disciplinar abertura de novas contas nas redes sociais.

Geraldo Bubniak / Fotoarena

Brasil é o país em que mais se mata tendo o futebol como motivação

 

Brasil é o país em que mais se mata tendo o futebol como motivação

  A primeira contagem - faltando dados de alguns países menos ligados - já passa de 1.500 vítimas.

  Tribunais estimam cerca de 2.200 recuperações judiciais até final de 2020.

  TJRS elege Armínio Abreu Lima da Rosa como novo integrante do TRE-RS.

  A mudança do regime conjugal de bens do casal Odebrecht.

  STF decide que procuradores da Fazenda Nacional não têm direito a férias de 60 dias. E os outros?

  Importação de sementes de cânhamos fica suspensa. Seria psicotrpopico?