Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), sexta-feira, 18 de setembro de 2020.

O passeio de trem e a jurisprudência do Supremo



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Viajante internacional frequente, muito bem relacionado com centenas de advogados e ex-alunos, um ex-presidente da OAB gaúcha conta uma sutil esperteza que assistiu, em dois tempos (ida e volta) na última vez em que usou o excelente serviço ferroviário da Itália.

Na ida

São dois grupos de profissionais viajando de trem, de Milão para Roma, a fim de participar de uma mesma conferência. No primeiro, estão um advogado, um magistrado e um procurador de justiça. No segundo, um governador, um deputado e um senador. Os seis personagens são, todos, da região centro-oeste.

Na estação de partida, os operadores do Direito compram três bilhetes, mas percebem que os outros três – maganos políticos - adquirem, em conjunto, um só bilhete.

- Como viajarão com uma única passagem? – pergunta o advogado.

- É só esperar... – responde o deputado.

Então, todos embarcam. Os operadores do Direito vão para suas poltronas, mas os três políticos se trancam, juntos, no mesmo banheiro. Cinco minutos depois da partida do trem, o fiscal chega para a rotineira conferência dos bilhetes. Bate na porta da toalete e pede:

- Il biglietto, per favore!

A porta abre uma pequena fresta e, por ela, apenas uma mão (do senador) entrega o bilhete. O fiscal pega, faz a perfuração de praxe, agradece, devolve, e segue conferindo os tickets das demais pessoas sentadas. Em seguida, passa a outro vagão. Os três espertos saem e vão ocupar as poltronas.

Na volta

O advogado, o juiz e o promotor acham a ideia genial e, três dias depois, encerrada a conferência de Direito Internacional resolvem imitar os três políticos e, assim, economizar algum dinheiro.

Como o Direito não é uma ciência exata, os operadores jurídicos, com a criatividade que é peculiar às filigranas de suas profissões, resolvem incrementar.

Quando chegam à estação, a história se repete: os três políticos compram só um bilhete. Mas para espanto deles, o advogado, o magistrado e o procurador de justiça compram nenhum...

- Mas, como é que vocês vão viajar sem passagem? – o senador pergunta perplexo.

- Esperem e verão!... – responde um dos operadores jurídicos.

Todos embarcam. Os políticos se espremem dentro de um dos banheiros, à esquerda; os operadores do Direito numa toalete à direita do vagão. O trem parte. Imediatamente, o advogado sai, vai à porta do banheiro onde estão os políticos, bate e solicita:

- Il biglietto, per favore!

A porta abre uma pequena fresta e, por ela, a mão do governador entrega o bilhete. O advogado pega o ticket.

O magistrado e o procurador festejam e evocam Marco Aurélio:

- Jurisprudência do Supremo formada! Sem trânsito em julgado não há culpa!


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Notícias Relacionadas

Ilustração: Gerson Kauer

O juiz autêntico e a testemunha mentirosa

 

O juiz autêntico e a testemunha mentirosa

No processo-crime em que três policiais civis estavam denunciados por crime de tortura, estava depondo uma testemunha de defesa. Pelo que se percebia, ante as feições do magistrado, tudo indicava que ela estivesse mentindo. “Interrompam tudo!” - determinou o juiz.

Imagens: Freepik - Montagem: Gerson Kauer

O Meretrício Doutor Juiz

 

O Meretrício Doutor Juiz

O volumoso inquérito sobre tráfico de drogas - com prisões, habeas corpus e apreensão feita na zona do meretrício - aportara no fórum. A jovem estagiária Juliana mostrou-se disposta a digitar os termos da audiência, mas ressalvou: “Doutor, eu não sou muito rápida no computador, nem tenho experiência nesses tais de termos de juridiquês”...

Relacionamentos em tempos modernos

 

Relacionamentos em tempos modernos

Peter - nascido e registrado no gênero masculino - durante a infância, nunca se viu como menino. Cresceu e um dia casou com Giuliana. Mas o final feliz foi quando ele - já sendo “a médica Ava” - confirmou núpcias com... Giuliana. As duas agora vivem confortável união homoafetiva, entre duas mulheres. Deu para entender?

Charge de Gerson Kauer

O quarto casamento

 

O quarto casamento

O juiz recém chegado na comarca convoca servidores e convida advogados e autoridades para a solenidade de sua posse. “Pago pontualmente três pensões alimentícias, estou descasado, e pretendo, quem sabe, constituir um novo matrimônio nesta cidade plena de mulheres bonitas” - confidenciou.

Charge de Gerson Kauer

Casamento: 72 mais 41 é igual a 113

 

Casamento: 72 mais 41 é igual a 113

Litoral gaúcho, verão de 2020. Aos 72 anos de idade, o Doutor Juvenal, aposentado operador do Direito, viúvo, se casa com Lúcia Margarida, advogada de 41. Esta, em consideração ao marido da “melhor idade”, já tinha definido que rotineiramente eles deveriam dormir em quartos separados.

Charge de Gerson Kauer

Doces amores grenalizados

 

Doces amores grenalizados

Advogado, bem apessoado, cinquentão, sem preocupações com as contas no fim do mês, coloradíssimo, resolve consultar um saite especializado em buscar doces relacionamentos sem compromisso. Bingo! Depois de algumas semanas de doce convivência eventual, surge um problema “fu-te-bo-lís-ti-co”.  O texto é de Carlos Alberto Bencke.