Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), terça-feira, 14 de julho de 2020.

O juiz, o advogado e o Judiciário perderam!



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

  Cena 1

Numa estrepitosa ação reparatória por dano moral, ajuizada em 28 de novembro de 2007, por um desembargador gaúcho contra um advogado porto-alegrense, o juiz João Eduardo Lima Costa – atualmente desembargador do TJRS - ao sentenciar usou duas frases de total pertinência: “A demanda posta é daquelas em que todos perdem! Perde o autor, perde o réu e perde o Judiciário, pois uma situação vexatória envolve os figurantes da cena judiciária".

Foi em 5 de fevereiro de 2009, já se passaram quase 11 anos.

 Cena 2

Na semana passada, a 1ª Turma Recursal dos Juizados Especiais Cíveis do RS manteve sentença que condenou um advogado porto-alegrense a pagar reparação moral a um magistrado. Na origem da quizila entre os dois operadores jurídicos, um componente conhecido: a efetiva demora na obtenção do resultado financeiro da ação. Como desdobramento consequente, o desencanto do profissional da advocacia ante sucessivos despachos insatisfatórios nos pleitos protocolados.

Um dia a inconformidade do advogado se transformou em bílis – e ele foi ferino na petição subsequente: Eis algumas frases:

“Faz um tempo que esta execução encontra-se no arquivo, pois Vossa Excelência não faz a mínima questão de ajudar a exequente na busca de seus direitos. (...)

Nos últimos despachos, nem tem se dado ao trabalho de ler a petição e, de forma desrespeitosa e desprezando a angústia pela persecução da justiça, apenas se reporta a despacho anterior. (...)

Se a exequente estivesse na situação do magistrado, de receber o seu nada modesto salário - trabalhando ou não, sem parcelamento e sem temor de qualquer espécie - não estaria se preocupando em recuperar um débito tão difícil de ser alcançado. (...)

Quem tem o salário pomposo garantido no final do mês está pouco se importando com coisas sem importância...”.

O magistrado ofendido reagiu conforme o figurino. Contratou dois conceituados profissionais da advocacia e ajuizou ação reparatória contra o advogado ofensor. A sentença foi de procedência, deferindo modestos R$ 2.500.

Só o ofensor verbal recorreu. A condenação foi confirmada, ante “a ausência de vínculo entre os interesses da cliente e as ofensas à esfera pessoal do juiz, causando lesão aos direitos personalíssimos”. Não há trânsito em julgado.

 Cena 3

Tal como no caso recordado na abertura, a segunda demanda também “é daquelas em que todos perdem! Perde o autor, perde o réu e perde o Judiciário, pois uma situação vexatória envolve os figurantes da cena judiciária”.

Mas há dois diferenciais entre as duas ações. A que foi julgada na semana passada teve um resultado de R$ 2.500. A que chegou ao STJ em grau de recurso especial envolve condenação próxima de R$ 1 milhão. E o recurso especial está desde 26 de novembro de 2013 no gabinete da ministra Maria Isabel Gallotti.

É a demora da prestação jurisdicional vista por outro prisma, noutro patamar.

Madame Tartaruga Jurisdicional sabe disso.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

O dramático depoimento da vítima de estupro

 

O dramático depoimento da vítima de estupro

Na audiência de ação penal em que é buscada a persecução de um homem acusado de estupro, a defesa do réu lança uma indagação desrespeitosa e inoportuna: “Gostaria que fosse perguntado à ofendida se ela sentiu prazer e alcançou o orgasmo no momento do fato”.

Charge de Gerson Kauer

Goles odoríficos, mas encorajadores

 

Goles odoríficos, mas encorajadores

Na manhã fria, o respeitoso cidadão adentra na sala de audiências, para depor como testemunha. O atilado juiz logo percebe o cheiro específico de recente ingestão de cachaça e, com voz firme, questiona: “O senhor ingeriu bebida alcoólica antes de vir aqui?”

Charge de Gerson Kauer

O juiz não internado

 

O juiz não internado

Na sala de audiências, dia canicular - terno e gravata dispensados - o magistrado confere as decisões que o estagiário e o assessor, também ali presentes, haviam minutado. De repente adentra um estagiário de terno slim, jovial, que vai logo destrinchando prolegômenos, vênias e juridiquês,  etc., como se fosse o advogado da causa...

Charge de Gerson Kauer

Corona no coroa

 

Corona no coroa

A odisseia de quatro pessoas em pequena cidade do interior. A quarentena de um médico alcançado pelo coronavírus. E uma troca de casais como solução, depois da descoberta de um quentíssimo adultério. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.

Charge de Gerson Kauer

Saudosas postagens no Instagram

 

Saudosas postagens no Instagram

Depois de um casamento feliz por oito anos, Renato e Renata se desavieram. E se divorciaram consensualmente. Meses depois um litígio judicial, entre ambos, por causa das fotos dela, que ele postava em seu Instagram.