Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), terça-feira, 30 de junho de 2020.
https://espacovital.com.br/images/leitores.jpg

Críticas da classe advocatícia sobre a utilização do CF-OAB para fins político-partidários



Arte de Camila Adamoli

Imagem da Matéria

A Página dos Leitores

 Ø Sobre “A utilização da OAB para fins político-partidários”.

 · Patricia Alovisi, advogada: “Parabéns, Dr. Itamar Basso pelo posicionamento, pois se o Conselho Federal e os presidentes das seccionais não agirem perderemos o que conquistamos em duras e longas batalhas”.

 · Róberson Azambuja, advogado: “Excelente manifestação do conselheiro Itamar Basso. Medidas para impedir a utilização da OAB para fins políticos-partidários devem ser tomadas com urgência, mormente quando o presidente nacional, eleito por um colegiado (nada democrático) não representa o entendimento da grande maioria dos advogados”.

 · Alceu Georgi, advogado: “O colega Itamar Basso e todos os que se opuserem à conduta imoral e deselegante do atual presidente do CF-OAB, tem o meu irrestrito apoio. E, inclusive, autorização para usar o meu nome para desautorizar Felipe Santa Cruz a agir em nome da OAB. Afinal, ele não foi eleito por nós, e portanto, não detém legitimidade para agir e falar em nosso nome”.

 · João de Oliveira Menezes, advogado: “De fato, o comportamento político do presidente da OAB nacional fica distante completamente das finalidades da entidade, outrora respeitada por sua lisura e independência. Torna-se urgente uma revisão no comportamento de tal presidente, sob pena de levar ao descrédito público a magnitude da OAB. O que se vê nas redes sociais é uma grande decepção com a Ordem, por conta da posição política indevida e no lugar errado. Principalmente quando Felipe Santa Cruz diz que ´eleitores de Bolsonaro não tem caráter´".

 · Afonso Saraiva Moraes, advogado: “Devemos cobrar a postura dos conselheiros federais eleitos pelos advogados do RS. Aliás, quem são eles?” (Nota do editor: a nominata está disponível no saite da OAB/RS. Clique aqui.

 · Péricles Silva Monteiro, advogado: “Sou atuante no Estado do Paraná, e ainda não vi nenhuma iniciativa do Conselho Seccional do meu Estado para opor-se ao atual presidente nacional – eleito indiretamente por 80 votos de um ilegítimo colegiado arranjado de 81 nomes (só o Dr. Felipe não votou nele próprio para não ficar vergonhoso). Vamos ficar de olho no Conselho Federal em 2020!”.

 Ø Sobre a farra das lagostas no STF e as “altas autoridades”.

 · Plinio Paulo Bing, (88 de idade – OAB-RS nº 2.128) - “O bom humor, ocultando as almas opostas, situadas no objeto: ‘altas e baixas autoridades’, é requinte que nas circunstâncias fáticas ocorridas, na esfera do ‘justo’, origem da ‘Justiça’, que num simples enunciar, dentro de um sentido polissêmico – leva na certa se pensar, que, o agora sim, se está tranquilo, e na direção que leva a uma ‘excelência’ que muitos, seja-se justo, merecem.

Outros, em cortes relevantes, são oportunistas, tanto quanto, punguista que em rápida análise, vê seu objeto de punga descuidado, e punga. Talvez, se acontecer nova aguardada decisão da Corte Maior, permitir que qualquer cidadão possa ser ‘candidato’, sem ter vinculação partidária, seja esta, a maior saída democrática de todos os tempos, para o eleitor, no que sequer Rousseau lembrou.

Livre das oportunísticas exigências partidárias, todos com feudos, sem ideologias próprias, para quase 40 Partidos, com o voto distrital, a pesca de votos em todo o Estado, aonde não são conhecidos, será difícil por que a tendência de votar em quem não se conhece, tende a desaparecer. Talvez assim, cessem as ‘maiorias’, por que conhecidos na ‘distrito’, talvez cessem as sangrias do dinheiro público”.

 Ø Sobre “Charging Bull, o touro de New York”.

 · Leandro Esper Castro, advogado: “Muito boa – para conhecimento como cidadão, mas triste para a maneira como estamos financiando o CF-OAB - a notícia sobre os milhões que ali ingressam. Primorosa a comparação com o touro de NYC. Vou viajar aos EUA na próxima semana e, logo que passar o frio, vou passar a mão nele para que, como símbolo, enos ajude no impeachment desse presidente - que endoidou de vez – e não representa a expressiva maioria da honrada classe advocatícia brasileira. Avante colegas gaúchos”.

 Ø Sobre “Papai Noel chegou antes no TJ de Pernambuco”.

 Amílcar Ricardo Zabaletta, bacharel em Direito: “Que barbaridade! As instituições estão soltas, sem qualquer freio. Ministros cruzando os céus com jatinhos da FAB e ganhando diárias. Salários milionários enriquecidos com penduricalhos descontrolados, mas interesseiros. Procuradorias com gratificações extras por terem que trabalhar. Tribunais, Ministério Público e outros distribuindo benesses jamais pensadas. Que vergonha!”


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Arte EV

Solidariedade à advogada afrontada e críticas à trapalhada policial

 

Solidariedade à advogada afrontada e críticas à trapalhada policial

 “No Rio Grande, as pessoas praticam crimes de racismo com a certeza da impunidade”.

 Críticas e elogios à digitalização dos processos físicos como encargo para a advocacia.

 Processo eletrônico: “Impressiona a falta de consistência técnica do TJRS, onde tudo é confuso”.

 Congratulações para Rafael Berthold e Roberto Siegmann, colunistas do Espaço Vital.

 Participação dos leitores Antonio Pani Beiriz, Rejane Griesang Schenkel, Graziela Terezinha Finger, José Flavio Breno Fischer, Luciano Maria Gonçalves Fava, Jorge Luiz Aguiar Dias, Carlos Alberto Andrade, Teresinha Grando Cavalcanti, Katiane Romanini, Luiz Carlos Chuvas e Leonardo Joel Handler.

Imagem Screenshot meramente ilustrativa - Arte EV

A inércia de servidores durante o fechamento forense

 

A inércia de servidores durante o fechamento forense

 Um modo simples para garantir o andamento dos processos: colocar funcionários do TJRS para digitalizar autos físicos.

• Processos aguardando juntada de petições desde 20 de fevereiro (antes da pandemia).

 Elogios ao magistrado aposentado Osvaldo Peruffo e ao ex-escrivão Sérgio Araújo.

 Carga programada para a digitalização: “Os advogados vão fazer o trabalho do Judiciário, em troca de uma ilusória celeridade”.

 Participação dos leitores Henrique Júdice Magalhães, Simone Maria Serafini, Alberto Karoly, Leonardo Handler, Cicero Barcellos Ahrends, Maico Volkmer, Clovis Borba dos Santos, Marcelo Battirola, Francisco Antonio Fresina Neto, Paulo Américo de Andrade, Victor Marona, Rogers Trott, Carlos Alberto Dossena, Cleuson De Pariz Zippinotte e Virginia Keller.

Arte EV

Depois de movimentos... sem movimentos, afinal a sentença

 

Depois de movimentos... sem movimentos, afinal a sentença

· Advogados comentam o processo demorado que, afinal, teve decisão no Foro Regional do Alto Petrópolis.

· Outros assuntos: a) Elogios para a OAB-RS; b) Depois da pandemia; c) Os acertos do Escreva Direito; d) E-PROC é o melhor.

· Manifestações dos advogados Adival Antonio Rossato, Carlos Castagno, Eliakim Sefrim do Carmo, Juliano Luís Rodrigues, Marco Aurélio Coimbra e Regina Moraes Regius.

Ilustrações: Freepik - Edição/montagem: Gerson Kauer

Remeter R$ 8,5 milhões anuais para o CF-OAB, ou dar mais atenção aos jovens advogados gaúchos?

 

Remeter R$ 8,5 milhões anuais para o CF-OAB, ou dar mais atenção aos jovens advogados gaúchos?

 São 14 comentários - alguns sintetizados. Doze trazem críticas, elogios, sugestões e esperanças. Dois louvam a OAB-RS; um compara que médicos e engenheiros gostariam de ter uma entidade de alto padrão e coragem como ela.

  Aplausos para os dois advogados da cidade de Agudo (RS) autores do artigo “A suficiência ou a insuficiência da atenção da OAB-RS com os advogados”.

  Participação dos leitores Terezinha Grando Cavalcanti, Marcio Luiz La Porta, Adair Giacomo Baccin, Dorival Ipe, Maico Volkmer, José Ricardo Montagna, Róberson Azambuja, Pietro Gomes Ruperti, Vilson Ademir Nienow, Marcelo Vilani, Gerson Luis Kreismann, Rogério Signor, Pedro de Angeli e Julio Viana.

Imagem meramente ilustrativa - Foto Visual Hunt - Edição EV

Controvérsias sobre o cafezinho gratuito (ou embutido nas anuidades) nas salas da OAB-RS

 

Controvérsias sobre o cafezinho gratuito (ou embutido nas anuidades) nas salas da OAB-RS

•  Advogada diz que, ante o aperto financeiro, está se preparando para fazer malabares junto aos semáforos.

•  Críticas ao Conselho Federal da Ordem, grande arrecadador de anuidades.

• Coisas curiosas na decisão de arquivamento do caso da juíza que se negou a fazer o teste do etilômetro.

• Dona Rosa” e o processo sigiloso do ano.

•  Já era hora de dar um basta na suspensão dos advogados inadimplentes.

•  Manifestações dos advogados Simone Maria Serafini, Fabio Scherer de Moura, Marcelo Vilani, Peter Andersen Cavalcanti, Vera Maria Vargas Ferreira, Antonio Rafael Viezzer, Heloísa Barbagli, Teresinha Grando Cavalcanti, Juliano Tonello, Cícero Barcelos Ahrends, Jorge Kebach, Gilberto Guimarães, Eliel Karkles e Milton Porto.

•  Participação, também, de um contador, um médico, um agente de viagens, um frentista e um autônomo.

Reprodução de www.oab.org.br em 06.3.2020, às 8h30

CF-OAB oficialmente só publica o quanto arrecadou até setembro do ano passado

 

CF-OAB oficialmente só publica o quanto arrecadou até setembro do ano passado

 Já estamos no terceiro mês de 2020 e as contas oficiais publicadas estão com cinco meses de atraso.

• Opiniões de advogados sobre as comparações entre OAB (Brasil) e ABA (EUA).

 Leia o que dizem os advogados Léo Ricardo Petry, Taciana Martins Faria Neves, Eduardo Dorfman Aranovich, Simone Maria Serafini e o bacharel Nelson Carmo Pedro Gonzaga.