Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), sexta-feira, 3 de julho de 2020.
https://espacovital.com.br/images/romance_forense.jpg

O Dominador e a Submissa



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

A ação judicial é de uma consumidora contra uma seguradora, questionando a negativa, pela ré, do reembolso do valor de um moderno celular (segurado) que fora roubado numa – lamentavelmente rotineira – ocorrência no centro da cidade de 600 mil habitantes.

Na hora de juntar as cópias de documentos, o advogado da autora embaralha-se: anexa também um contrato entre "o Dominador e a Submissa" (com as iniciais em maiúsculas...).

O ajuste – assinado em 7 de outubro de 2019 - define na cláusula primeira que “o propósito fundamental é permitir à Submissa explorar de maneira segura sua sensualidade, respeitando e considerando devidamente suas necessidades, seus limites e seu bem-estar".

O contrato é experimental (três meses), podendo ser prorrogado, com manutenção ou aperfeiçoamento dos termos, desde que a Submissa e Dominador estejam interessados na continuidade. Consta que “ela oferecerá sem questionar ou hesitar o prazer que ele solicitar e aceitará sem questionar o treinamento, a orientação e a disciplina do Dominador na forma que for".

O ajuste foi firmado sem testemunhas instrumentais – por “se tratarem, os signatários, de pessoas adultas e capazes”.

Pelo contrato, a Submissa estará disponível para o Dominador das 20h. das sextas-feiras até as 18h. dos domingos. Todos os custos de viagens incorridos pela mulher para o propósito da convivência serão cobertos pelo primeiro contratante (advogado).

Mais: durante os períodos de convivência, o Dominador exige ser chamado de "Senhor Grey". Lembram? – ele é o protagonista do romance "50 Tons de Cinza". O livro que foi best-seller em 2011 em mais de 20 países, retrata Anastasia Steele, uma virgem de 21 anos que cursava a Faculdade de Literatura. Após entrevistar o magnata Christian Grey para o jornal da faculdade, ela passa a ter um relacionamento com ele. A trama desenrola-se em Seattle (EUA). Em meio ao luxo, Anastasia descobre o mundo do sadomasoquismo.

(A propósito, mais detalhes sobre o livro estão nesta mesma edição do Espaço Vital, em 123 Já!)

Voltando, ao caso judicial brasileiro: conforme outra cláusula, “o Dominador pode açoitar, espancar, chicotear ou castigar fisicamente a Submissa como julgar apropriado, para fins de disciplina, para seu prazer pessoal, ou por qualquer outra razão, a qual não é obrigado a explicar". A seu turno, “a Submissa fica proibida de olhar diretamente nos olhos do dominador salvo quando especificamente instruída a fazê-lo".

Diante da insólita juntada de contrato que nada tem a ver com o roubo do celular, o juiz determinou que “o patrono da parte supostamente lesada com o roubo do celular proceda com a retirada do documento que consta no ID. 27286945, eis que estranho aos autos".

O caso é mato-grossense. Mesmo com a ocorrência do recesso de 20 de dezembro a 20 de janeiro, o insólito fez furor em horas extras das transmissões da “rádio-corredor” do Foro de Cuiabá. Cautelosa, para evitar a quebra de sigilo bancário, a “emissora” esquivou-se num ponto: não revelou qual a cifra financeira mensal que o letrado “Dominador” depositaria antecipadamente – e depois em parcelas - na conta da patética “Submissa”.

A Comissão do Direito da Mulher da OAB de Mato Grosso informou que “está apurando o caso”. Certamente com vigor e profundidade...

Leia nesta edição do Espaço Vital

Os prazeres violentos revelados em 50 Tons de Cinza


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Charge de Gerson Kauer

Goles odoríficos, mas encorajadores

 

Goles odoríficos, mas encorajadores

Na manhã fria, o respeitoso cidadão adentra na sala de audiências, para depor como testemunha. O atilado juiz logo percebe o cheiro específico de recente ingestão de cachaça e, com voz firme, questiona: “O senhor ingeriu bebida alcoólica antes de vir aqui?”

Charge de Gerson Kauer

O juiz não internado

 

O juiz não internado

Na sala de audiências, dia canicular - terno e gravata dispensados - o magistrado confere as decisões que o estagiário e o assessor, também ali presentes, haviam minutado. De repente adentra um estagiário de terno slim, jovial, que vai logo destrinchando prolegômenos, vênias e juridiquês,  etc., como se fosse o advogado da causa...

Charge de Gerson Kauer

Corona no coroa

 

Corona no coroa

A odisseia de quatro pessoas em pequena cidade do interior. A quarentena de um médico alcançado pelo coronavírus. E uma troca de casais como solução, depois da descoberta de um quentíssimo adultério. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.

Charge de Gerson Kauer

Saudosas postagens no Instagram

 

Saudosas postagens no Instagram

Depois de um casamento feliz por oito anos, Renato e Renata se desavieram. E se divorciaram consensualmente. Meses depois um litígio judicial, entre ambos, por causa das fotos dela, que ele postava em seu Instagram. 

Charge de Gerson Kauer

Uma correntista linda, simpática, atraente

 

Uma correntista linda, simpática, atraente

Convocada pelo banco para atualizar seus dados cadastrais, a cliente com 26 de idade comparece prestativa. Formulários preenchidos, tudo ok, despedidas, etc. À noite ela recebe um torpedo no celular: “Lembra que te atendi hoje? Eu te achei linda e simpática, e fiquei interessado em ficar contigo. E, quem sabe, pode até rolar um sexo bom... Há possibilidades? Beijo’’.

Charge de Gerson Kauer

A justificada parcialidade do juiz

 

A justificada parcialidade do juiz

Um pênalti incomum cometido por um zagueiro. Gol da equipe adversária e fim do sonho de estar na elite do futebol gaúcho. Depois da partida, na entrada do vestiário, o goleiro agride seu companheiro de time. No juízo criminal, o magistrado decide com pleno e pessoal conhecimento da causa e absolve o acusado. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.