Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), terça-feira, 30 de junho de 2020.
https://espacovital.com.br/images/on_off_2.jpg

Por falar em segurança e pagamento por aproximação…



Arte EV sobre foto Visual Hunt

Imagem da Matéria

Recentemente escrevi, aqui no Espaço Vital, sobre pagamento por aproximação e suas nuances de segurança. Mas além das reflexões lá esboçadas, há mais para ampliar o debate.

De um lado temos aquelas pessoas que amam tecnologia, que querem estar na crista da onda, sempre focadas no que está acontecendo. De outra banda, temos aqueles que tem até um certo medo da tecnologia, queriam que tudo ficasse como está ou como era antigamente.

E ambos os times têm situações que podem trazer riscos e preocupações.

Para o time high technology, fundamental que ao buscar a nova tecnologia se cerque de segurança, e principalmente entenda o que a tecnologia está oferecendo.

A exemplo disto, temos pessoas que sequer sabem o que um determinado dispositivo faz, mas querem ter em casa, no bolso ou no pulso. Pagam caro pela tecnologia, mas usam efetivamente menos de 20% da mesma. E por não compreenderem a tecnologia de forma plena, acabam criando brechas de segurança no seu próprio uso.

O leitor já revisou suas configurações de privacidade no celular, nas redes sociais ou em saites que frequenta? Pois irá se apavorar com as permissões que eles tm sobre os seus dados.

E para aqueles que estão lendo e rindo dizendo que o passado era bom e que a tecnologia é o problema, o cuidado deve ser redobrado.

Você sempre pode fazer escolhas. Por exemplo, pedir ao seu banco um cartão sem sistema de aproximação. Pode usar o celular apenas para ligações e ignorar redes sociais, mensageiros e outros. É uma escolha sua.

Entretanto, lembre-se que estas preferências e opções também deixam mais distante dos benefícios da tecnologia. Ao não atualizar seus aplicativos no celular por exemplo, o usuário está mais sujeito a invasões e ataques. Por não mudar de senhas com periodicidade, tem mais risco de vazamento das mesmas. Enfim, por não dominar a tecnologia ou pelo menos o básico dela, você amplia seus riscos, tanto quanto aquele que usa a tecnologia e a desconhece.

O segredo, como diria Mario Quintana, “não é correr atrás das borboletas, mas cuidar do jardim, para que elas venham”.

Não precisamos correr atrás da tecnologia, mas cuidar do nosso conhecimento para que ao ter a mesma saber o que fazer com ela.

>>>>>>>>>>
Coloco o meu endereço de e-mail à disposição dos leitores. Comentários, sugestões etc. serão bem-vindos: gustavo@gustavorocha.com

Leia na base de dados do Espaço Vital

Pagamento por aproximação, uma reflexão sobre segurança


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Fake news: reflexão e busca de soluções

“Vamos acompanhar o debate legislativo e pressionar deputados e senadores para que o texto do projeto de lei seja reescrito, de forma a garantir os preceitos de liberdade de expressão”.

Visual Hunt

O Big Brother real de Porto Alegre!

 

O Big Brother real de Porto Alegre!

“A prefeitura de Porto Alegre - ao arrepio da privacidade de que precisamos num convívio equilibrado - implantou um monitoramento por celulares, sob o argumento de monitoramento da Covid-19. Ela quer saber se temos, ou não,  isolamento e distanciamento social”.