Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), terça-feira,
31 de março de 2020.

A verdade sobre o dólar que ninguém quer enxergar



Charge de Ricardo Manhães – NDMais.com.br

Imagem da Matéria

Por Gustavo Candiota, administrador de empresas e executivo do mercado financeiro.
candiota@gcprime.com.br

Diariamente os viajantes internacionais torcem por sua queda, por seu derretimento. Fazem cálculos, pesquisam preços, negociam com as casas de câmbio, choram descontinho. Avaliam notícias, frequentemente consultam "especialistas" sobre "melhor momento" pra comprar. Mas ninguém quer enxergar a verdade...

Análises gráficas e fundamentalistas são feitas, artigos são escritos, opiniões são dadas. Estimativas traçadas, chutes e especulações aparecem. Muitos gráficos elaborados para que clientes entendam, se conformem - ou não - e tenham esperanças de queda no câmbio. Mas ninguém quer enxergar a verdade...

Notícias alentadoras são esperadas. Algumas vezes recebidas. Expectativas são renovadas sobre as perspectivas dos próximos dias, semanas ou meses. Intermináveis conversas de bar acontecem entre amigos... cada um com suas convicções!

Mas... ninguém quer enxergar a verdade.

Búzios jogados, despachos em cruzamentos, orações e promessas nas igrejas. Arrependimentos por comprar antes da hora, ou por ter esperado demais. Angústia, ansiedade, especulação, inveja de colegas que conseguiram mais barato. Mesmo que 2 centavos a menos, economizando 20 reais (menos de 5 dólares!).

Mas... ninguém quer enxergar a verdade. E qual é a verdade? A que dói e devemos aceitar de uma vez por todas?

 

O dólar está em tendência de alta. Há mais de 10 anos!

Portanto, aceite. Ainda que com algumas oscilações de curto e médio prazo, a paridade real x dólar só piora. Para quem quer viajar ao exterior e para quem é proprietário de agência de viagens pelo menos. E esse ciclo de valorização da divisa norte-americana ainda deve durar alguns anos. Acredite! Essa é a tendência.

Aceitando a verdade talvez você perceba que todo o sofrimento com dias de altas e de (poucas) quedas, não vale a pena. Divirta-se. Encontre outras formas de compensar o gasto adicional com câmbio. Seja menos consumista, alugue um veículo um pouco mais simples ou hospede-se em um hotel menos luxuoso. Você viverá muito melhor, e continuará conhecendo o mundo.

Lembre-se: também dá pra tirar proveito desse ciclo: invista ou proteja-se em dólar. A chance de rentabilidade acima do CDI é bem grande. Nos últimos dez anos tivemos aqui no Brasil uma valorização de 178%. Isto dá quase 18% ao ano e 1,5% líquido ao mês.

Bom, hein? Melhor que muitas aplicações tradicionais. Mas cuidado! Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Notícias Relacionadas

Arte EV sobre foto de Nelson Júnior (SCO/STF)

Justiça infectada? A hora da prudência!

 

Justiça infectada? A hora da prudência!

“Em todas as instâncias, ações judiciais proliferam em relação às medidas governamentais de contenção à pandemia. Está na ordem do dia a virtude passiva dos juízes e a humildade judicial de reconhecer, em muitos casos, a ausência de expertise em relação à Covid-19. É tudo novo para a Ciência, quiçá para o Judiciário”. Artigo de Luiz Fux, vice-presidente do STF.

Arte de Camila Adamoli sobre imagem Google

A advocacia empresarial e a pandemia

 

A advocacia empresarial e a pandemia

“Novos tempos, novos desafios. O isolamento social poderia ter sido o fim da advocacia empresarial, mas não foi, e não será. Quando faltaram o burburinho e o movimento que permeiam o dia-a-dia dos grandes escritórios, eles souberam responder de forma rápida”.Artigo de Daniela Kraide Fischer, advogada (OAB-RS nº 55.347).

Novas regras trabalhistas durante a pandemia

Esclarecimentos sobre algumas medidas que os empresários podem se utilizar no intuito de realizar a manutenção de suas atividades e do emprego”. Artigo de Gisele Bolonhez Kucek, advogada (OAB-PR nº 40.585), especialista em Direito Trabalhista