Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), terça-feira, 02 de junho de 2020.
https://espacovital.com.br/images/jusazul.jpg

Ué? O coronavírus tem time? Tem lado?



Charge de Amarildo (Jornal A Gazeta/ES)

Imagem da Matéria

Leio que, Brasil afora, pessoas, em confortáveis automóveis, fizeram passeatas contra o isolamento social. São pessoas de pouca fé, por uma razão simples. Se eles acreditassem na própria tese, sairiam de mãos dadas e a pé. Abraçar-se-iam. Beijar-se-iam.

Há um negacionismo contra o coronavírus. O Presidente da República vai contra o seu próprio ministro da Saúde, que se comporta como um algodão entre cristais, enquanto os elefantes quebram tudo.

Isso é muito sério. Donald Trump achou, primeiro, que era uma gripezinha (como Bolsonaro). Voltou atrás. Está todo borrado. Já admite que haverá, talvez, mais de 100 mil mortos. Horrível.

Mas, por aqui, diz-se que isso não é tão grave assim. Tanto é assim que Neymar Júnior e Renato foram à praia no domingo. Renato levou amigos. Maravilha. Ir à praia – o que é uma conduta proibida – é como fazer passeata contra o isolamento. Ou não?

Trump já reconheceu que errou. Falta a malta brasileira se dar conta do grave problema. O ministro Mandetta disse: “Os que fazem passeatas, amanhã disputarão vagas em UTIs”. Teve que dizer isso. Exato. Em rede nacional.

Que país é esse, em que um ministro tem de ser tão enfático?

Quem pensa que isso é uma gripezinha... deve estar pensando, como o dono dos ´hamburgueres Madero´, para quem “não faz mal matar alguns milhares de velhos”.

Uma vida é igual a uma vida. Este é o princípio. Não há hierarquia de pessoas e nem vidas. Se você acha que não é assim, indique alguém de sua casa que seja frágil e do grupo de risco para fazer parte de possível vítima. Ah, não é assim? Claro: quando é com você a coisa não vale.

Por isso, sendo verdade que Renato foi à praia, errou feio. Fez um ato de anticidadania.

Neymar? Bom, falar o que de Neymar, que mais parece o Carluxo, que a cada dia dá problemas para o país.

Ah, só um registro: ao contrário de alguém que vai me xingar e me chamar de antibolsonarista ou de comunista, aviso que já está comprovado no mundo todo o seguinte fato: o coronavírus não tem ideologia. Ele pega esquerda, centro e direita. E também a extrema direita.

Portanto, ou estamos juntos, ou não. Fique em casa!

Post scriptum: para quem ainda não percebeu que estamos em emergência sanitária, leia - via link adiante colocado - matéria do jornal O Globo, edição de terça-feira passada (24): Coronavírus: tráfico e milícia ordenam toque de recolher em favelas do Rio”. (clique aqui)


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

O terraivismo, versão do terraplanismo futebolístico

Manchete de Pedro Ernesto: “Dupla Gre-Nal agoniza financeiramente na pandemia”. Ora, o Grêmio pode não estar tão folgado. Mas, por favor, comparar com as finanças do Inter, só com a tese dos dois demônios. O momento já tem até um slogan da IVI: “Vamos arranjar uma crise gremista”!

Foto: Creative Commons

Escolhida a seleção dos filósofos e o treinador

 

Escolhida a seleção dos filósofos e o treinador

“Quarentena, futebol parado, IVI bocejando, resolvi chatear os leitores com um assunto que é a antítese da linguagem chula, antítese de palavrões. Entre os escolhidos, unanimidade para Aristóteles, relembrado neste busto construído para homenagear o Liceu criado pelo filósofo”.

Visual Hunt

Por que não há mais cobradores de faltas?

 

Por que não há mais cobradores de faltas?

“Um jogador de golfe treina o dia todo tentando acertar o buraco. No vôlei treinam a cortada. No basquete treinam uma coisa óbvia: acertar a cesta.  Então por que no futebol não se treinam coisas óbvias como ´acertar o gol´?”