Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), sexta-feira, 07 de agosto de 2020.

As prerrogativas virtuais dos advogados e os desafios trazidos pela pandemia



A tecnologia no cenário jurídico está em plena discussão na Advocacia nacional. A prestação jurisdicional foi afetada diretamente. O esforço para fazer a virtualização e digitalização dos processos, como forma de tornar célere o lento Poder Judiciário apresenta aspectos positivos e negativos.

A OAB/RS vai propiciar à advocacia uma grande mesa-redonda com a intenção de afirmar e garantir que cidadãos e advogados e sejam respeitados - com o fortalecimento das prerrogativas profissionais.

Como afere Ricardo Breier, presidente da OAB/RS “a prerrogativa, bem maior para a advocacia, é irrenunciável e continuará tendo atuação permanente da instituição na sua defesa em qualquer ambiente que esteja em risco ou estejam ocorrendo limitações”.

O evento Prerrogativas Virtuais - que terá a participação também do ex-presidente da Ordem gaúcha Claudio Lamachia - terá também como debadores os presidentes das OABs de Santa Catarina e do Paraná.

A realização será online, na próxima segunda-feira (15), a partir das 20h, com duas horas de duração. Advogados e advogadas de todo o país podem participar do debate. Após, haverá o lançamento da cartilha eletrônica “Atos Judiciais Eletrônicos e Prerrogativas da Advocacia”.

As inscrições gratuitas podem ser feitas em página adiante, disponível via link disponibilizado pelo Espaço Vital. Clique aqui.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Foto: Visual Hunt

Os próximos lances da suspeição de Sérgio Moro

 

Os próximos lances da suspeição de Sérgio Moro

  • Com o placar de 2x0 rechaçando a falta de isenção do então juiz federal, o julgamento foi interrompido em dezembro de 2018, ante o pedido de vista de Gilmar Mendes.
  • Se a retomada for só em 2021, o novo ministro do STF - a ser nomeado por Bolsonaro - poderá ser o fiel da balança.
  • Da série “Ainda Não Vimos Tudo”: tribunal vai comprar sofás, cadeiras para juiz e cadeiras para reunião com juiz.
  • Cursos de pós-graduação são válidos para computar tempo de atividade jurídica nos concursos para ingresso nas carreiras jurídicas. Decisão é do STF.