Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), terça-feira, 22 de setembro de 2020.
https://espacovital.com.br/images/201811081626490.jpg

Quem não ajuda, não atrapalha...



Edição de Gerson Kauer sobre foto divulgação SCI

Imagem da Matéria

Continuamos na liderança do Brasileirão, fazendo aquilo que deve ser feito – vencer um a um aos obstáculos que surgem no campo ou fora dele. Não bastasse a lesão do Guerrero, agora nos deparamos com o Yuri desfalcando a equipe em razão de uma lesão na coxa. Apesar da ziquizira continuamos na liderança de um campeonato que não tem favorito como teve no ano passado.  A oportunidade está rigorosamente posta.

Em 1979 levantamos a taça como tricampeões brasileiros invictos, em uma campanha que consagrou o Internacional como um dos maiores clubes do Brasil. Depois disso o campeonato de 2005 nos foi roubado pela maior fraude armada no futebol brasileiro.

Iniciamos 2020 surpreendidos pela pandemia, quando o nosso técnico praticamente iniciava o trabalho contratado em dezembro de 2019. Ele e nós fomos atropelados pelas necessárias medidas de prevenção à Covid-19. O futebol parou por meses e volta com os efeitos da excepcionalidade: não há favoritos e o Internacional vem despontando. Não podemos perder a oportunidade – crescer na liderança e não na recuperação de posições. 

É preciso ter muito cuidado e não desviar do foco, e como se diz no automobilismo, dirigir com a ponta dos dedos.

Na semana passada o presidente do Conselho Deliberativo, José Aquino, convocou o primeiro turno  da eleição diretiva no Internacional, que será em 25 de novembro. Ou seja, as movimentações políticas já começaram e segundo o noticiado o próprio Aquino é cogitado como candidato, assim como o atual vice de futebol.

Não há eleições sem debates, sem campanha, sem críticas e sem desorganização da estrutura  pelos interesses eleitorais.

O Campeonato Brasileiro terá o seu término excepcionalmente só em fevereiro de 2021, então pergunta-se: a) Seria possível retardar as eleições em nome da concentração de foco e de energia? b) A regra prevista para momentos ordinários pode ser alterada pela vontade dos sócios e conselheiros que os representam, considerando a excepcionalidade? c) A possibilidade de assumir o poder máximo no Internacional prevalece sobre a possibilidade de conquistar um título que buscamos?

Seria muito importante a manifestação dos colorados comprometidos com o clube, pois apenas agora é possível agir.

Eu não sou daqueles que pensam que o quanto pior é o melhor...

 

Comente esta matéria

O Espaço Vital terá satisfação em receber seus comentários. Use o formulário A PALAVRA DO LEITOR, logo abaixo,  e dê sua opinião.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Imagem EV propositalmente invertida.

O Gre-Nal dos desesperados

 

O Gre-Nal dos desesperados

“A água está batendo no nariz dos dois técnicos. A direção, o treinador e os jogadores do Inter porque não têm o direito de não tentar  ganhar. E o treinador do rival porque insiste em não reconhecer a realidade de que o seu time não é mais o que foi”.

Imagens: Freepik - Montagem: Gerson Kauer

Do Supremo à Justiça Desportiva

 

Do Supremo à Justiça Desportiva

O caso do advogado que já trabalhou para o Inter e liberou D´Alessandro (que estava suspenso por dois jogos) para que disputasse o Gre-Nal. “O questionado diz com o apontado necessário impedimento ou suspeição do julgador quando a matéria possuir ligação com o clube do seu coração”.