Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), sexta-feira, 23 de outubro de 2020.
https://espacovital.com.br/images/escreva_direito_2.jpg

Palavras e expressões perigosas (7)



Imagem: Freepik - Edição EV

Imagem da Matéria

Seguem mais casos de palavras e expressões cujo uso requer atenção especial à forma e ao significado:

Infligir / Infringir: O verbo infringir significa cometer infração, transgredir norma; aliás, infringir, infração e infrator tem a mesma raiz (infr-), guardando, em consequência, relação de significado. Infligir, por sua vez, refere-se ao que se deveria fazer sempre que alguém infringe norma: infligir pena, castigo; assim como a ação de infringir é a infração, a de infligir é inflição. Aproveito para lembrar que não existem as formas infrigir e inflingir e suas hipotéticas correlatas.

Inobstante / Não obstante: A forma originalmente correta – e por isso a mais recomendável – é não obstante, no entanto não se pode deixar de dar legitimidade também a inobstante, porque seu uso está consagrado no meio culto, e, não se esqueça, os idiomas se constroem pelo uso.

Latente / Patente: As duas palavras têm sentido oposto; enquanto latente significa oculto, secreto, desconhecido, patente tem o sentido de claro, evidente. Exemplos: as causas do procedimento são latentes (desconhecidas); as intenções do réu são patentes (evidentes).

Maricídio / Maricida / Marital: A primeira refere-se ao homicídio do marido cometido pela própria mulher, que por isso é denominada maricida, enquanto marital nada tem a ver com o crime, sendo apenas relativo a marido, como em relação marital.

Mesmo / Ele: Há muito vem se usando, em todos os níveis culturais, mesmo como pronome pessoal, função que ele está impedido de exercer; em outras palavras, mesmo(s) e mesma(s) não podem ser usados em substituição a ele(s), ela(s), como neste exemplo: Você está recebendo seu documento; verifique se os dados pessoais contidos no mesmo estão corretos. Para corrigir o final da frase, deve-se trocar no mesmo por nele, mais simples e correto.

Nenhum / Nem um: A primeira é pronome indefinido, com sentido oposto ao de algum: Nenhuma causa o anima, enquanto nem um sempre cumpre a função de dar ênfase: nem um nem outro.

No entretanto / Entretanto: Como sinônimo das conjunções coordenativas adversativas mas, porém, no entanto, contudo, todavia, a forma a escolher entre as duas é entretanto; no entretanto é locução adverbial usada na linguagem jurídica com o sentido de nesse intervalo: No entretanto, o réu soube da traição.

 

Quando (não) se escreve direito...

Pela originalidade, desta vez o autor da frase, enviada por advogado que prefere não ser identificado, escreveu direito; desafiado para apresentar exemplo que mostrasse a diferença de sentido entre completo e acabado, o concorrente vencedor assim se expressou:

“Ao casar com a mulher certa, você está completo; ao casar com a mulher errada, você está acabado; e, quando a mulher certa o apanha com a mulher errada, você está acabado por completo.”

________________________________________________________________________________________________

Dê a sua opinião!

O Espaço Vital estimula a participação dos leitores. Opine, utilizando o formulário disponível abaixo em A PALAVRA DO LEITOR.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Imagem: Agência Brasil

O rebatismo “daquela Casa” em Brasília...

 

O rebatismo “daquela Casa” em Brasília...

O político Reginaldo Lopes (PT-MG) quer modificar-lhe o nome. Apresentou projeto para que ela passe a se chamar Câmara das Deputadas e dos Deputados. Justificativa do parlamentar: “As mulheres não estão tomando o lugar de nenhum homem, como o atual nome da nossa Casa Legislativa pode parecer sugerir”...