Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre, sexta-feira, 18 de junho de 2021.
(Próxima edição: terça-feira, 22).
https://espacovital.com.br/images/smj.jpg

Crença na justiça, fé nos homens



Imagem da Matéria

O caso era de tráfico de entorpecentes. Quando o réu adentrou escoltado, o magistrado percebeu que seria um confronto desigual. De um lado, o Ministério Público representado por uma promotora de notável saber jurídico. De outro, o acusado, metido no uniforme desbotado do sistema prisional, e submetido a um par de algemas. Inobstante a tenacidade do advogado de defesa, seria difícil uma sentença favorável ao réu.

É que em processos dessa natureza o julgamento não costuma ser complexo. Além disso, a quantidade da substância tóxica apreendida em poder do acusado, seria prova suficiente para a condenação. E mais: o prisioneiro era reincidente.

O juiz passou ao interrogatório do réu, que se manteve resoluto na negativa de autoria.  Após, houve um pedido  surpreendente do advogado de defesa:

- Doutor, por uma questão humanitária, peço se permita a entrada da esposa do réu, para cinco minutos de conversa”.

A justificativa foi compungente:

- É que ela traz consigo a filha do casal, nascida há dois meses, para que o pai a conheça.

O juiz hesitou por um instante. É que a Corregedoria editara uma norma, desaconselhando essa conduta. Mas o magistrado sabia das dificuldades para a visita a presos na penitenciária: os deslocamentos, as filas, os horários restritos, a documentação exigida para o cadastro da família, a revista íntima.

Então, o juiz lembrou-se da sua própria filha recém-nascida que, àquela hora, estava em casa, sob os cuidados da mãe. Sopesou argumentos e implicações legais e...  a balança pendeu para o lado humanitário.

– Podem entrar a esposa e a filhinha – admitiu o magistrado.

Sem demora, a mulher cruzou a porta, trazendo no colo uma bebezinha que dormia serenamente. Com desvelo de mãe carinhosa, desenlaçou a manta que envolvia a criança e a apresentou ao pai.

O acusado suspendeu as mãos e, sob o olhar atento dos policiais, delicadamente tocou o rostinho da filha com a ponta dos dedos. Foi então que uma lágrima transbordou a linha d’água do homem, no momento em que a menina abriu os olhinhos, como que reconhecendo a figura paterna.

Antes de deixar a sala de audiências, o prisioneiro - olhos ainda marejados - ergueu lentamente a cabeça, olhou para o magistrado, em sinal de gratidão. Os olhos se acenderam numa faísca de luminosidade, e um leve sorriso se esboçou nos  lábios da adulta face masculina, marcada por revezes da vida.

O juiz fitou o preso de volta e retribuiu com a mesma cortesia.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

(Sintetizado a partir de um relato do juiz Eduardo Buzzinari Ribeiro de Sá, da comarca de Três Rios/RJ, publicado em A Justiça Além dos Autos, edição do CNJ).


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Imagem: iStock/Getty Images

 A boa-fé, às vésperas da morte

 

A boa-fé, às vésperas da morte

  • Interessante decisão do STJ sobre tutela antecipada a uma idosa acometida de mal de Alzheimer.
  • Decisão do TRT/RS: babá sem vínculo empregatício.
  • Quer vender seu precatório? Fique de olho...
  • Sua Excelência versus Sua Excelência.
  • Três momentos importantes para a Bic de Jair Bolsonaro.
  • A pobreza menstrual no Brasil.
  • Uniformização para aposentadoria.

Edição EV sobre foto Visual Hunt

OAB/RS atualiza a relação de advogados excluídos

 

OAB/RS atualiza a relação de advogados excluídos

  • Com a inclusão de cinco novos nomes, o rol completo já chega a 63 bacharéis que estão proibidos de advogar.
  • Nova Lei Federal nº 14.164 inclui conteúdo sobre a prevenção da violência contra a mulher nos currículos da educação básica.
  • Juiz faz papel de babá, durante júri popular: cuidados especiais com a neta de uma testemunha importante.
  • STF nega ação direta de inconstitucionalidade contra dispositivos que impedem membros do Judiciário e do Ministério Público de também serem advogados.
  • O maior número de divórcios no Brasil, em todos os tempos.
  • Nova lei federal (nº 14.164/2021) inclui conteúdo sobre a prevenção da violência contra a mulher nos currículos da educação básica.

Imagens: AG News/ Hypeness

Datena indenizará Xuxa por ofensas em rede social

 

Datena indenizará Xuxa por ofensas em rede social

  • Segundo o acórdão do TJ-SP, o apresentador “tem pleno domínio do vernáculo e da linguagem popular, conhecendo muito bem o potencial ofensivo da expressão”.
  • Anvisa analisa dois pedidos de cartões “anti-Covid”.
  • Leiloada por R$ 118,8 milhões a sede histórica da Editora Abril, em São Paulo.
  • XP será a patrocinadora milionária do Comitê Olímpico Brasileiro.