Ir para o conteúdo principal

Edição Extra, interrompendo, em 11.1.2020, as férias da Equipe Espaço Vital
https://espacovital.com.br/images/romance_forense.jpg

Descontos promocionais & justa causa



Ilustração de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Início do ano letivo de 2020 na faculdade - antes da decretação da pandemia - o professor de Direito do Trabalho explica seus métodos de ensino. Diz que exige respeito, silêncio enquanto ele fala, e assiduidade em suas aulas. E promete que – pelo menos uma vez por mês – para descontrair contará “algum caso curioso, às vezes extraído do Espaço Vital, mas sempre relacionado com questões trabalhistas”.   

Segunda semana de março, o mestre conta uma história espirituosa, não extraída daqui, mas que – pelas gargalhadas universitárias que arranca – tem hoje guarida nesta página.

* * * *   

Era uma noite quente do verão porto-alegrense, um homem entra num bar da moda, senta-se e pede a sua cerveja favorita.   

- Certamente, senhor, aqui está! Isso vai lhe custar sete reais, em dinheiro. Preço promocional. Não aceitamos cartões!   

         - Só isto? – pergunta o cliente surpreso.

         O garçom confirma, dizendo ser “a oferta do dia”. E logo traz a bebida e um impecável copo de cristal, gelado. O cliente toma a cerveja e pergunta:   

         - Algum preço promocional para um filé com fritas?   

         - Certamente, senhor. Uma refeição preciosa por apenas trinta reais, pagamento somente em espécie.

         Quinze minutos depois, o quitute vem à mesa. Jantar saboreado, o cliente pergunta:

         - Onde está o dono deste estabelecimento? Gostaria de conhecê-lo.   

         - Impossível! Ele está na administração, no andar de cima, com a minha mulher.   

         - O que ele está fazendo com ela?

         - O mesmo que estou fazendo com o negócio dele!... – arremata o atendente.   


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Ilustração de Gerson Kauer

Imprevistos, intimidades e extravagâncias

 

Imprevistos, intimidades e extravagâncias

O casal havia se separado e, depois disso, o ex-marido teria ameaçado a esposa, o que os leva ao fórum para a resolução da pendenga. De repente surge sobre a mesa da sala de audiências. De repente, surge na cena um sugestivo artefato erótico de silicone. É o maranhão...

Ilustração de Gerson Kauer

Jogo de palavras

 

Jogo de palavras

O sucesso do famoso advogado Doutor Oidivo, que muito agradou aos integrantes da câmara julgadora do Tribunal de Justiça. Mas, até hoje, seu abonado cliente está em dúvidas se venceu a causa, ou se perdeu. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.

Ilustração de Gerson Kauer

O Benedito que não existia

 

O Benedito que não existia

Sabe onde o diabo perdeu as botas? Pois é... Benedito nasceu ali pertinho. O pai, mal conheceu. Da mãe, tinha lembrança nenhuma. Não foi registrado, também não foi batizado e nunca estudou em escola. Mas tinha o permanente sorriso de um dente só. Como sanfoneiro, alegrava as noites escuras e serenas do longínquo distrito onde morava.

Ilustração de Gerson Kauer

“Faz-quase-tudo”

 

“Faz-quase-tudo”

Nas duas empresas coligadas - uma produtora de vídeo & uma corretora de seguros - a secretária era obrigada a assistir e palpitar sobre cenas previamente gravadas em motéis e montagens de vídeos pornôs. “Era um abuso, doutor!” - desabafou a trabalhadora, em seu depoimento na audiência da ação trabalhista.

Imagens: Freepik - Montagem: Gerson Kauer

Confusões no gravador

 

Confusões no gravador

O estupro de Mariana Ferrer - que virou celeuma pelos atropelos verbais durante a audiência em Florianópolis  - trouxe à baila um anterior acontecimento envolvendo outro jovem magistrado. Este - recém concursado e chegado na comarca interiorana - deparou-se com a ação penal de um suposto estupro. Envolvia o filho de rico empresário da cidade e uma linda modelo. Aproveite para ver e ouvir “Anos Dourados”, versos de Jobim, na voz de Gal Costa.

Imagens: Freepik - Joao Gilberto: Divulgação via Sul21 - Lupicinio: Blog vidanovametabolica

A doutrina jurídico-musical de Lupicínio Rodrigues e João Gilberto

 

A doutrina jurídico-musical de Lupicínio Rodrigues e João Gilberto

No julgamento da apelação sobre homicídio praticado pela mulher contra o cônjuge adúltero, a invocação de versos do cancioneiro popular brasileiro. “Você sabe o que é ter um amor, meu senhor / Ter loucura por uma mulher” - evoca o relator. Em sentido contrário, posiciona-se o vogal: “Pra mim, você mentiu / Pra Deus, você pecou”.