Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre, sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021.
(Próxima edição: terça-feira, 2).

Sustos a bordo!



FlightRadar

Imagem da Matéria

Treze anos e cinco meses depois, a tragédia do voo TAM 3054 ocorrida em 17 de julho de 2007, com 199 vítimas, voltou anteontem (17.2.2021), por momentos, à memória de passageiros do voo 3179 da Latam - de Porto Alegre a Congonhas (SP) - que estavam a bordo do Airbus 320, prefixo PR-MYY.

É que às 17h31, quatro minutos antes do pouso no aeroporto da capital paulistana, foi disparado um aviso de “emergência geral” -  chamado de “Squawk 7700” (´Grasnido 7700´- em tradução literal - flagrado e exibido pelo excelente aplicativo Flight Radar.

Guinada para a direita no rumo de Campinas, outra mudança em direção ao Galeão, e a aeronave felizmente pousou incólume no aeroporto carioca, duas horas e 20 minutos depois da decolagem (16h04) no Salgado Filho. Alívio, abraços etc., tudo bem!

Com o percurso adicional, foi possível consumir combustível e diminuir o peso total a bordo.

A Latam não respondeu ao Espaço Vital sobre “as causas da emergência e a solução para os passageiros”.

A opção pelo silêncio fez lembrar uma habitual frase do ministro da Justiça (1974/1979) Armando Falcão durante os anos de chumbo: “Nada a declarar”.

As três palavras caracterizavam sua relação com a imprensa, quando ele se recusava a comentar assuntos considerados confidenciais ou polêmicos.

O Flight Radar difundiu também outros dois voos da Latam que tiveram problemas esta semana: ontem (18) o TAM 3323, de João Pessoa a Guarulhos; e na quarta-feira (17) - quase à mesma hora do incidente com o voo POA/CGH>GIG - dificuldades com o voo TAM 3261, de Brasília para Guarulhos.

Todos, felizmente, tiveram finais felizes.

 

Veja mais detalhes no Flight Radar. Clique aqui.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Notícias Relacionadas

Quem pode o mais, pode o menos

TRF-4 concede mandado de segurança a candidato em concurso público na UFRGS. Candidato com qualificação superior à exigida no edital não pode ser afastado por filigranas jurídicas.