Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre, terã-feira, 20 de abril de 2021.
(Próxima edição: sexta-feira, 23).
https://espacovital.com.br/images/smj.jpg

Carlos Josias: meio século no mercado segurador - dos quais 37 como advogado



Seguro Gaúcho

Imagem da Matéria

  • Meio século no mercado segurador

Quem fizer um exercício de imaginação e recuar 50 anos no tempo em Porto Alegre, certamente constatará diferenças em relação à sociedade atual. Em cinco décadas, a capital gaúcha passou por modificações, sofrendo influências de um mundo em transformação. Foi nesse contexto que o advogado Carlos Josias Menna de Oliveira (OAB/RS nº 16.126) desenvolveu sua trajetória profissional no mercado segurador.

Graduado em Direito pela PUC-RS, construiu sólida carreira no direito securitário no RS. Porém, antes de atuar como advogado, já estava inserido no mercado segurador, trabalhando em seguradoras e corretoras de seguro. Seu primeiro emprego no segmento foi, em 1971, na então Assicurazioni Generali de Trieste e Venezia, o antigo nome da atual Generali do Brasil.

A graduação em Direito foi em 1982. Mas por oito meses Josias ainda permaneceu na seguradora. Com a experiência obtida em 37 anos de existência de seu escritório, Carlos Josias é categórico: “Quem não gosta do que faz acabará por ser infeliz profissionalmente e trará a infelicidade para seu ambiente profissional. As pessoas precisam estar na função certa e fazer aquilo de que gostam.”

O escritório C. Josias & Ferrer Advogados Associados fez uma pertinente postagem no Facebook, com uma chamada convidativa sobre a carreira do profissional: “Matéria linda sobre os 50 anos de atuação no mercado segurador”. Vale a pena ler. Para mais detalhes, clique aqui.

  • Ainda não vimos tudo...

Em meio à crise, desemprego, etc. Flávio Bolsonaro - o filho de mais idade do Presidente da República - comprou mansão de R$ 5,97 milhões em bairro nobre de Brasília. Que grana, hein!

A “rádio-corredor” da OAB de Brasília logo acrescentou: “Não foi o filho do Lula, não - porque esse comprou outras coisas de menor valor”.

  • É fake, é espião!

Não acreditem num link que chega, por e-mail ou nas redes sociais - como se fosse do G1 - anunciando “Advogada é flagrada dentro do banheiro do fórum de Jacarepaguá (RJ) tentando fazer sexo”.

Em seguida, dois detalhes: “O interessado parceiro era seu próprio marido” (...) e “A comemoração interrompida era pelo dia do aniversário dela”.

Atenção! Quem for adiante na suposta erótica curiosidade digital pode estar abrindo caminho para a chegada de um spyware.

  • Esticadinha        

O deputado Rubens Bueno (Cidadania/PR) apresentou projeto de lei na Câmara para “a ampliação do prazo para a declaração do imposto de renda”. A sugestão é que a data final seja adiada de 30 de abril para 31 de julho.

A justificativa é a pandemia.

Bueno não considera plausível “fazer com que as pessoas, principalmente idosos, saíam às ruas para buscar ou regularizar documentos para que possam fazer a declaração”.

  • Por conta da cidadania

O STJ abriu um edital para a compra de 3.000 doses de vacinas antigripais contra o vírus influenza. O tribunal da cidadania está

disposto a pagar R$ 225 mil pelos imunizantes.

               Ministros, assessores, estagiários e todo o pessoal da Casa será imunizado com hora marcada, sem filas. A cidadania brasileira paga a conta.

  • Barrada na CCJ ?

A deputada Fernanda Melchionna (PSOL-RS) está pedindo à Justiça Federal que barre a candidatura e a eventual assunção de Bia Kicis (PSL-DF) ao comando da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. O pedido foi feito em ação popular protocolada na quarta-feira.

A deputada gaúcha alega que a colega Bia Kicis é "defensora inarredável de temas que afrontam diretamente o estado democrático de direito, o pluralismo político, os direitos e liberdades fundamentais, já tendo defendido em plenário pautas como a intervenção militar".

Melchionna diz ainda que a colega é investigada no inquérito das fake news no STF e que "forma dupla" com Daniel Silveira (PSL-RJ) na defesa de temas investigados pelo Supremo.  Melchionna ainda compara o caso de Bia Kicis com o de Cristiane Brasil, que estava cotada para assumir o Ministério do Trabalho em 2018 (governo Temer) e foi barrada em decisões judiciais em meio a notícias de que ela foi condenada em ação trabalhista.

  • Nada dá certo

“Avião que transportava vacina contra a Covid-19 bate em jumento que estava na pista”. (Manchetes, nesta linha, de vários jornais da Bahia, na quarta-feira).

O pouso acidentado foi em Ibotirama (BA). A aeronave é do Governo do Estado.

Ufa! O que mais falta dar errado no combate ao coronavírus no Brasil?...

  • Nota fúnebre

Os pilotos nada sofreram, a aeronave sofreu danos superficiais na lataria, o jumento logo fugiu se arrastando para o meio do mato

contíguo. E foi encontrado morto ontem (4) por volta do meio-dia.

Uma emissora local informou que “o jegue era utilizado como animal de carga por um caboclo morador nas proximidades, e costumava pastar nas laterais da pista”.

 


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

PNG Egg

Prestação jurisdicional instantânea

 

Prestação jurisdicional instantânea

Operador forense printa a tela do sistema processual do TRT-12 e se surpreende com a velocidade: decisão em embargos de declaração demorou apenas dois minutos e oito segundos.

Imagem Deposit Photos

O espantoso crescimento dos HCs interpostos no Supremo

 

O espantoso crescimento dos HCs interpostos no Supremo

  • Para chegar aos primeiros 100 mil foram necessários 139 anos. E em apenas 12 anos chegou-se ao número 200 mil.
  • Dano reputacional: Confederação de Tiro e Caça do Brasil condenada a indenizar a gaúcha Taurus Armas.
  • TST reforma julgado do TRT-4 e reconhece ser possível cumular penosidade e periculosidade.
  • Ricardo Teixeira do Valle Pereira será o novo presidente do TRF-4

Imagem ICTQ

Afinal, o remédio mais caro do mundo é o Zolgensma

 

Afinal, o remédio mais caro do mundo é o Zolgensma

  • Produzido pela suíça Novartis, o tratamento custa US$ 2,2 milhões.
  • O negócio da morte: aumenta a fabricação de caixões para sepultamentos.
  • Leram esta frase? “O número de mortos por Covid-19 no Brasil ultrapassou o limite do bom senso”...
  • Fugiu o gato do ex-juiz Wilson Witzel... Mas foi recapturado.

Imagem Shutterstcok

Contratação de detetive particular para vigiar ex-cônjuge não caracteriza crime

 

Contratação de detetive particular para vigiar ex-cônjuge não caracteriza crime

  • É permitido bisbilhotar: a profissão é regulamentada pela Lei nº 13.432/2017.
  • Uma ação regressiva incomum: empresa cobra de ex-gerente o que pagou de indenizações por dano moral.
  • Merecida homenagem ao médico Plinio Baú: 23 mil cirurgias.
  • Uma rara e original ação contra o AirBnb.
  • Elas na advocacia brasileira: os novos números no Brasil. E a liderança feminina no RS.
  • Golpes digitais: remoção de links do Google que ajudavam vigaristas a lograr incautos.

Foto de Filip Radwanski – Edição EV

A ilicitude da prova obtida pelo espelhamento de conversas via WhatsApp

 

A ilicitude da prova obtida pelo espelhamento de conversas via WhatsApp

  • Num acórdão do STJ, uma só frase nuclear da decisão tem 94 palavras. É difícil entender o julgado.
  • Ajuris inicia a campanha “Eu Faço Justiça”. Diversos magistrados/as serão protagonistas, apresentando como é o seu dia a dia de trabalho.
  • Decisão judicial determina exclusão de postagem de Eduardo Bolsonaro contra Felipe Santa Cruz e esposa.
  • Interessante precedente do TST sobre a gratuidade da Justiça do Trabalho.