Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre, terã-feira, 20 de abril de 2021.
(Próxima edição: sexta-feira, 23).
https://espacovital.com.br/images/romance_forense.jpg

Qualquer semelhança com a vida real é mera coincidência



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

A comarca é a de Ilha da Vera Cruz. Tramita lentamente (que surpresa!...) desde 2014 um divórcio litigioso sobre o adultério unilateral praticado apenas por Gilda, a cônjuge feminina. Ela foi flagrada, em cores, como habitual parceira espúria de um jovem solteiro.

Sete anos depois, Cornelius - o cônjuge enganado - recebe de seu advogado, Doutor Utiliano, uma ligação:

- Afinal, o Doutor Justus sentenciou, extinguindo a ação, decidindo que você não é corno.

- Impossível, doutor. A ilha inteira sabe de tudo. Há fotos da Gilda, desde a chegada dela na porta do motel. Tem também a ata notarial das postagens dela com o namorado, em vídeos de profunda intimidade.

Paciente, o advogado Utiliano descreve as relevâncias processuais.

- Os únicos flagrantes que a perícia reconheceu como autênticos foram feitos no motel do quilômetro 13 da BR-101. Mas o DNIT mudou o sistema de aferição das distâncias. Por isso, o estabelecimento moteleiro agora aparece, no Google Maps, como situado no quilômetro 69. Como os endereços não batem, o magistrado anulou o processo, por incompetência territorial dele. Ademais, os números da placa do carro da Gilda não ficaram legíveis.

- Ora, doutor, mas eu lhe avisei que esse juiz também tinha um caso eventual com a minha mulher...

- Não interessa, Cornelius. As relações não eram no fórum. O Doutor Justus transava com ela como pessoa física, no sítio emprestado por um amigo. Porém, esse juiz sentenciou como legítima autoridade julgadora, agente do Estado. Os seja, a posição sexual dele nada tem a ver com a prestação jurisdicional.

- E agora, doutor? Cabe recurso?

- Talvez desse para arriscar no plantão dominical do Quarto Tribunal, mas esse perdeu a credibilidade.

- E então? 

- Agora, aqui na Ilha de Vera Cruz, fica tudo zerado. Legalmente você nunca foi corno. Vida nova para todos. E assim sua cônjuge continua sendo sua legítima esposa. Reconquiste-a!

- E os outros? As testemunhas? Os vizinhos que me ridicularizaram?

- Sob as penas da lei, eles estão proibidos de dizer que você é corno...

- É a tal de exceção de incompetência?

- Não! É a novel Teoria Fachiniana. Mas faremos amanhã uma nova ação, antes que ocorra a prescrição. Será ajuizada no Foro da vizinha comarca de Terra de Santa Cruz - é um prédio novo, cheio de assessores e estagiárias. A turma toda dali agora está disposta ao batente, depois que o presidente liberou o auxílio-saúde. São 3.500 reais mensais, adicionais a cada um, sem Imposto de Renda.

- E posso confiar nessa gente? - questiona Cornelius.

O advogado Utiliano arremata tergiversando:

- Ora, meu caro, qualquer semelhança com casos da vida real será mera coincidência.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Charge de Gerson Kauer

De olho nas curvas molhadas

 

De olho nas curvas molhadas

Era verão, fevereiro antes da pandemia. A água que jorrava no chuveiro era reparadora para a mulher de 41 anos, após a dura jornada de trabalho cumprida com uniformes protocolares, em clima canicular, pela mulher de 41 anos. De repente, entra em ação um bisbilhoteiro...

Charge de Gerson Kauer

A cola que reprovou o estudante

 

A cola que reprovou o estudante

O estudante de Educação Física era destacado nas aulas práticas, mas sem brilho nas provas teóricas. Certo dia, foi pilhado “colando”: levara em minúsculas tirinhas, alguns resumos que sorrateiramente poderiam ajudá-lo a responder as questões.

Charge de Gerson Kauer

Prestação jurisdicional célere?

 

Prestação jurisdicional célere?

Num evento do meio empresarial estão presentes alguns conselheiros da OAB. Representa a corte estadual um desembargador afável e que tem por hábito receber os advogados. Há uma conversa informal e franca:  “Atualmente, não há mais jurisdição artesanal – ela é talvez 99 por cento industrial”...

Charge de Gerson Kauer

O juiz ladrão...

 

O juiz ladrão...

Era uma tarde quente, numa segunda-feira. No fórum local: pilhas de processos; estagiário e assessor em pleno trabalho; advogados esperando alvarás. De forma solene, realizava-se uma audiência. Ao fundo, escutava-se, em aproximação - o som de um pistom, alguns tambores e gritos: “Não tem conversa não; o juiz é um ladrão”.

Ilustração de Gerson Kauer

O TRT-4 tem rosas. Mas não tem Rosa

 

O TRT-4 tem rosas. Mas não tem Rosa

A corte trabalhista gaúcha desconversa quando se lhe pedem informações sobre a existência, ou não, de uma ação trabalhista contra a ministra do STF Rosa Weber. A reclamante seria uma cuidadora de idosos que teria prestado serviços à mãe da suprema magistrada.