Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre, terã-feira, 20 de abril de 2021.
(Próxima edição: sexta-feira, 23).

Quando o juiz interfere em decisões que não são de sua competência



Edição EV sobre foto Pinterest

Imagem da Matéria

Sebastião Melo

Por Sebastião Melo, prefeito de Porto Alegre

A democracia é o império da lei, mas quando um juiz interfere em decisões que são de competência exclusiva do Poder Executivo, está tudo errado. Não estamos medindo esforços para salvar vidas, com a ampliação de leitos, busca pela vacina, acolhimento nas unidades de saúde e defesa dos protocolos sanitários.

É assim que poderemos, com muita responsabilidade e equilíbrio, retomar as atividades econômicas.

Tenho profundas divergências em relação às novas medidas apresentadas pelo Governo do Estado, especialmente com o ônus de passar para os municípios a fiscalização sobre as regras impostas e a proibição das atividades nos finais de semana.

Queremos estender o horário dos supermercados para evitar aglomerações e flexibilizar as regras para o setor da gastronomia, um dos mais prejudicados com os efeitos da crise causada pela pandemia.

Somos o governo do bom senso e do equilíbrio. Sabemos que as atividades econômicas, operando com os devidos protocolos sanitários, não são responsáveis por espalhar o vírus. Hoje, muitos setores já estão funcionando, mas os pequenos negócios seguem fechados. Isso é injusto. Muitos já quebraram e outros tantos ainda vão quebrar, se a situação não mudar. São trabalhadores e famílias que perderão o seu sustento.

Por isso, queremos preservar vidas sem precisar proibir as pessoas de trabalhar. Isso é dignidade.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Notícias Relacionadas

Caso Henry: o rosto da barbárie

“Num país em que o valor da vida cede aos caprichos da pulsão de morte, não deixa de ser igualmente emblemático o fato de o acusado ser vereador, um representante do povo”. Artigo da psicanalista Betty Bernardo Fuks.

Imagem Visual Hunt

Sua (in) fidelidade pode custar caro!

 

Sua (in) fidelidade pode custar caro!

O planejamento matrimonial. “A possibilidade de as partes convencionarem, no pacto antenupcial, uma cláusula estabelecendo indenização pelo descumprimento do dever de fidelidade. Isso se chama pacta sunt servandasignifica que o contrato faz lei entre as partes”. Artigo da advogada Marina Borges Augusto.