Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre, sexta-feira, 18 de junho de 2021.
(Próxima edição: terça-feira, 22).
https://espacovital.com.br/images/on_off_3.jpg

Precisa ser advogado para abrir um escritório de advocacia?



Imagem Pinterest

Imagem da Matéria

No Brasil, sim, esta é a resposta adequada, atualmente. Entretanto, desde Agosto de 2020, por um período de dois anos, no Estado de Utah nos EUA, há um experimento controlado que faz exatamente o contrário: um escritório de advocacia foi montado sem ter somente advogados como sócios. Como funciona?

Usando conceito de sandbox (oriundo da tecnologia que traz a ideia de ter um ambiente controlado onde podemos fazer experimentos), foi criado para estudos um escritório com advogados e não advogados com o objetivo de promover um acesso mais democrático à justiça.

Para muitos um absurdo, inclusive nos atuais padrões da Ordem dos Advogados do Brasil - , entretanto, um estudo como este pode ser um diferencial para pensar fora da caixa, pensar em como devemos democratizar o direito.

Precisamos de reserva de mercado? Temos que debater se no mundo em que vivemos, notoriamente multidisciplinar com escritórios precisando de pessoal de T.I., administração, advogados, para legais, biblioteconomistas, entre tantos outros, se realmente ter um escritório de advocacia é ter sócios advogados na sociedade.

Assim como a ideia de faculdade - conhecido como estudo formal - tem se reinventado.

Em razão de todos os fatos de 2020, somados à falta de profissionais qualificados em todo o mundo na área de tecnologia, o Google lançou três certificações (gestão de projetos, data analytics & UX design) focadas em trazer conhecimento com velocidade e focado no mercado. Os cursos tem duração de seis meses, um custo de 240 dólares (enquanto um curso de formação nos EUA de tecnologia tem duração de 4 anos e custa quase 40 mil dólares). Serão mais de 100 avaliações no período de um semestre.

Cada vez mais o mercado valoriza o conceito da prática, das chamadas soft skills, ou seja, as habilidades em que a pessoa consegue fazer, pensar, criticar, resolver e menos os títulos que ela pode ter conquistado.

Isto diminui o valor da universidade, do estudo? Lógico que não! Apenas coloca o estudo numa perspectiva diferente. Demonstra que precisamos reaprender a aprender. Precisamos desconstruir a ideia de uma academia para formar doutores e ensinar mais de como este aprendizado pode ser transformador numa sociedade que muda a todo instante.

Devemos compreender que o papel da advocacia não é complicar a sociedade, mas ser uma aliada a justiça social.

Penso que uma sociedade de advogados ao receber um aporte de investidores para ampliar mercado, por exemplo, tendo no seu escopo o melhor resultado ao seu cliente, não está sendo mercantilista. Está, sim, buscando maneiras de investir em melhores práticas, estudos, resultados para o objeto fim da advocacia, que é a administração da justiça, como bem preceitua a Constituição Federal.

Precisamos efetivamente apenas de advogados na sociedade de advogados? Penso que não.

Precisamos somente de títulos para dizer o que sabemos? Assim como os títulos que dizem representar conhecimento não forjam resultados, somente assim o transformam se forem pensados, criticados, usados e balanceados com as habilidades de quem os executa.

Pensar de forma multidisciplinar e holística, sem querer acabar com o novo porque é diferente, diverso ou ainda não compreendido. Este é um bom começo para encontrar respostas.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Abranet

Direito ao esquecimento. Hein? Esqueci!...

 

Direito ao esquecimento. Hein? Esqueci!...

“A liberdade de expressão deve ser plena, ainda que admitamos que ofensas ou eventuais indenizações poderão ser pleiteadas em casos de usos descabidos ou errados desta possibilidade de agir conforme a própria vontade, mas dentro dos limites da lei e das normas racionais socialmente aceitas”.

Retrospectiva tecnológica 2020

 

Retrospectiva tecnológica 2020

Os advogados terão que - no dia a dia da profissão - aprender a usar mais os recursos da tecnologia com salas virtuais junto aos tribunais (e seus diversos sistemas diferentes, Google Meet, Cisco Webex, Zoom, Microsoft Teams, entre outros). E manejar QR Codes com links para vídeos no YouTube e, brevemente, acesso ao Espaço Vital.