Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre, sexta-feira, 18 de junho de 2021.
(Próxima edição: terça-feira, 22).
https://espacovital.com.br/images/romance_forense.jpg

Eva e Adão no STJ



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

A campanha da coleção de verão de uma marca nacional de roupas femininas íntimas quase resulta na condenação dos donos da indústria, “por exposição de objeto obsceno, punível com pena de até dois anos”. É que, na Justiça Estadual de São Paulo, o Ministério Público desencadeara ação penal, diante do “crime de veicular ´outdoor´ que, com recursos de luz e sombra, reproduzem o ângulo dorsal de corpos humanos”.

Um pedido de habeas corpus de dois industriais chega ao STJ. A liminar é negada. Semanas depois o caso vai a julgamento colegiado. O relator nega o trancamento e mantém a ação penal tramitando em primeiro grau, por entender "inviável, no caso, obstar a apuração por meio de habeas corpus".

O revisor discorda. “Essa reprodução da geografia do continente dorsal do corpo humano, conforme vejo nas imagens, não merece reprovação; é digna de premiação, porque é uma obra de arte” - afirma o ministro ao conceder o habeas.

O voto segue com elogios: "O outdoor explora o visual humano com o maior respeito. Não unicamente como nádegas ou como dorso. Não há o grosseiro, não há o chulo. Há a visão sensível de um artista, através de suas lentes, retratando um pedaço do território de uma criação divina".

O terceiro a votar lembra que “a base do nosso Código Penal é dos idos de 1940. O conceito de obsceno naqueles tempos era muito careta. Sexo era tabu nas escolas, assunto proibido entre adolescentes. Para as crianças mais curiosas, falava-se que tinha sido a cegonha. E mulher sensual era coisa de capeta".

O acórdão evoca Adão e a Eva: "A própria história do pecado contada naqueles tempos, descrevendo aquele cenário do Éden – um homem, uma mulher, uma maçã, uma serpente, uma nudez – induzia-nos a grande medo e precauções; não de doenças sexualmente transmissíveis porque, quanto a isso, azar de quem pegasse uma gonorreia ou tivesse o púbis invadido por aqueles insetos anapluros, da família dos pediculídeos, popularmente conhecidos como ´chatos´. Caía na vala comum da exclusão, vítima do preconceito”.

Na conclusão, um recado: "Não devemos consentir que a engrenagem estatal, a polícia, o Ministério Público, o Judiciário - que custam muito dinheiro ao contribuinte - se ocupem de maneira perdulária, tocando inquéritos ou processos que, depois de muito tempo, acabam dando em nada, exatamente em razão da evidência de que não há crime algum a apurar, a processar, a punir”.

O caso acima é rigorosamente autêntico e as palavras acima que estão entre aspas não são ficção editorial do Espaço Vital. O acórdão – com trânsito em julgado - está entre as raridades que também formam a jurisprudência penal do STJ. (HC nº 7.809).

___________________________________________________________________________________________________

Em tempo – A íntegra do acórdão ficou em segredo de justiça. Mas se o leitor quiser conferir a ementa do julgado, basta seguir este link: https://processo.stj.jus.br/processo/ita/documento/mediado/?num_registro=199800584951&dt_publicacao=29-03-1999&cod_tipo_documento=1&formato=PDF


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Charge de Gerson Kauer

Cura para a orquite

 

Cura para a orquite

Medicina Legal. O que uma inflamação no testículo esquerdo de um cidadão humilde tem a ver com a rotina de um escritório de advocacia. Que, naturalmente, lida com o Direito...

Charge de Gerson Kauer

Namoro indeferido, aliás deferido

 

Namoro indeferido, aliás deferido

Era 11 de junho, véspera do Dia dos Namorados. Então, em uma rede social, vazou a cópia de uma petição, em versos, que um jovem advogado dirigiu  à juíza única da comarca. Ela também respondeu com rimas...

Charge de Gerson Kauer

O amor é lindo!

 

O amor é lindo!

Na audiência, um impasse. A jovem mulher reclamava alimentos para três filhos. O marido contestava: “São dois”! De repente, uma revelação surpreendente conduziu à reconciliação conjugal.

Charge de Gerson Kauer

Qual a sua cor preferida?...

 

Qual a sua cor preferida?...

Na loja de tintas, as funcionárias mulheres (que são minoria) tinham permissão para usar a mesma toalete dos clientes, distante do banheiro masculino dos empregados. Foi naquele ambiente que uma trabalhadora encontrou, escondida, uma micro câmera de última geração, capaz de clarear e colorir ambientes escuros, enxergando-os e gravando-os profundamente...

Charge de Gerson Kauer

O (in) jurídico impasse conjugal

 

O (in) jurídico impasse conjugal

Na audiência é ouvida a senhora cinquentona que sofreria de um problema psiquiátrico moderado. De repente, encabulada, ela dirige-se à promotora: “Doutora, eu sei que a senhora proibiu o meu marido de ter relações sexuais comigo”...

Arte de Camila Adamoli sobre foto de Sora Shimazaki (Pexels)

O juiz modernoso

 

O juiz modernoso

“Já sentados, todos, em seus respectivos lugares: o escrivão, as partes e seus advogados. Faltava o juiz. Feitas as qualificações, tudo pronto para o início da solenidade, todos de terno e gravata, entra o magistrado... cabelos compridos, de camiseta, tênis e calça de brim”. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.