Ir para o conteúdo principal

Espaço Vital, terça-feira, 07.12.
(Próxima edição: sexta-feira, 10.12)
https://espacovital.com.br/images/mab_123_17.jpg

As diferenças entre fertilização in vitro e inseminação artificial sob o prisma do STJ



Shutterstock

Imagem da Matéria

 
O drama de muitas mulheres

Tese aprovada por maioria de votos (6 x 2) na 2ª Seção do STJ definiu que “salvo por disposição contatual expressa, os planos de saúde não são obrigados a custear o tratamento médico da fertilização in vitro”. O julgamento conjunto de três recursos especiais sobre o tema ocorreu na quarta-feira (13). Eles tinham sido afetados para definição de tese sob o rito dos recursos repetitivos.

As ações semelhantes tratam de pretensões de usuárias de planos de saúde que pediam custeio da fertilização in vitro pelas operadoras de saúde.

Oriundos de São Paulo (dois casos) e do Paraná (um caso) os processos têm em comum histórias de mulheres que, com dificuldades para engravidar, tiveram recomendadas por seus médicos a fertilização in vitro. Duas sofrem com endometriose (doença inflamatória provocada por células do tecido que reveste o útero) ; uma padece de hidrossalpinge (presença de líquido no interior da trompa).

Em decorrência, as três mulheres têm baixa reserva ovariana.

A divergência jurisprudencial vinha sendo causada por inexistência de disposição em lei para tratar especificamente da fertilização in vitro. É que há apenas previsão legal para os casos de inseminação artificial.


Fertilização e inseminação não são a mesma coisa

As duas são técnicas distintas. Na fertilização, o embrião é criado em laboratório (bebê de proveta) e inserido posteriormente na mãe. Na inseminação, o procedimento é mais simples: o esperma é inserido artificialmente no corpo da mulher e a natureza se encarrega da fecundação.

O artigo 10, inciso III, da Lei nº 9.656/1998 (a chamada Lei dos Planos de Saúde) expressamente exclui a inseminação artificial do plano-referência a ser observado pelas operadoras, medida que é reproduzida em resoluções normativas da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Adiante, o artigo 35-C da mesma lei estabelece que é obrigatória a cobertura do atendimento nos casos de planejamento familiar. Para delimitar o alcance da expressão "planejamento familiar", a ANS editou a Resolução nº /2009. Esta, em seu artigo 1º, parágrafo 2º, indica que a inseminação artificial e o fornecimento de medicamentos de uso domiciliar não são de cobertura obrigatória.

A tese que prevaleceu foi proposta pelo ministro Marco Buzzi, relator dos recursos. Formaram a maioria com ele os ministros Marco Aurélio Bellizze, Luis Felipe Salomão, Raul Araújo, Maria Isabel Gallotti e Ricardo Villas Bôas Cueva.

A divergência foi sustentada pelos ministros Moura Ribeiro e Paulo de Tarso Sanseverino. Para ambos, “não há previsão legal que desobrigue as operadoras de plano de saúde de custear tratamento de fertilização in vitro”  (REsps nºs  1.822.420, 1.822.818 e 1.851.062).


O kit segundona

Salvo difíceis e profundas mudanças no desempenho nas restantes 14 partidas, o Grêmio - com sua péssima campanha na Série A - já demonstra intimidade com o provável rebaixamento. Será o terceiro em sua história. É assim que acontece com times que perdem, mas sempre têm o seu goleiro como o melhor em campo.

Um gozativo potim compara Everton “Fake Sem Bolinha” (ex-São Paulo) com o craque verdadeiro Everton Cebolinha, vendido para o Benfica em agosto de 2020. Mais:

a) A disparidade salarial é fator de desagregação;

b) Diego Souza desaprendeu e não sobe mais nem em uma cadeira;

c) A incrível sucessão de passes errados é crescente;

d) A confiança interna está dizimada.


Rescaldo futebolístico

O péssimo desempenho do time está derrubando a trajetória política partidária do presidente Romildo Bolzan (PDT), até há pouco notório pré-candidato à sucessão do governador Eduardo Leite (PSDB) em 2 de outubro de 2022.

A debacle também já derrubou, na quarta-feira, o vice de futebol Marcos Herrmann  que estava sendo preparado para ser o sucessor de Romildo no cacifado gremista.

Assim, abriu-se o caminho para a que a oposição comece a se fortalecer para as eleições tricolores. Elas serão exatamente na segunda quinzena de outubro do ano que vem.

Parte grande da torcida do imortal tricolor está vermelha de raiva.

 
OAB/RS, três chapas

Anunciada ontem (14) a terceira opção para as eleições de 22 de novembro da OAB gaúcha. O advogado criminalista Amadeu de Almeida Weinmann vai liderar uma chapa de oposição e protesto. O coordenador da campanha é o advogado Luiz Antonio Carvalho Beck.

Ele está se dirigindo a centenas de colegas, a quem se coloca “à disposição para outros esclarecimentos e conversas”. Seu e-mail: luizbeck@hotmail.com


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Jorge Goulart - YouTube

O preço final dos croques terapêuticos verbais

 

O preço final dos croques terapêuticos verbais

  • 5º Grupo Cível do TJRS condena general a indenizar magistrado por dano moral: R$ 25 mil. Divergência majoritária foi aberta pela desembargadora Thais Coutinho de Oliveira.
  • Uma nova Justiça gaúcha? Nela, os magistrados em casa e atendendo advogados – sempre e exclusivamente – on line.
  • O que a OAB/RS fará para combater o cômodo projeto?
  • Quem reside em Porto Alegre, não pode prestar jurisdição em Xangri-lá, nem em Gramado ou Canela.

Imagem Folha do Espírito Santo

Ficou mais fácil trambicar politicamente

 

Ficou mais fácil trambicar politicamente

  • O TSE altera sua própria jurisprudência. Passam a ser consideradas ILÍCITAS as provas obtidas por meio de gravação ambiental clandestina, feita em ambiente privado, sem autorização judicial e sem o conhecimento dos interlocutores.
  • O  que “assombroso” e “tenebroso” têm a ver com o desembargador D´Ambroso?
  • Uma liminar judicial para ajudar na saúde de Lucinha Araújo, mãe de Cazuza.
  • R$ 110 mil: o preço do assédio sexual cometido pelo ex-presidente da CBF.
  • A dor das queimaduras e a dor de saber que o recebimento da indenização será difícil.

Imagem TST – Arte EV

TST condena Colégio Farroupilha a indenizar professor de Química

 

TST condena Colégio Farroupilha a indenizar professor de Química

  • O reconhecimento de que as atividades desempenhadas no ambiente escolar eram “insalubres em grau médio”.
  • 21ª condenação de Sérgio Cabral faz a soma das penas chegar a 401 anos de prisão.
  • STJ anula citação defeituosa via WhatsApp.
  • Não é primeiro de abril. Hoje, 1º de outubro, começa a valer o “auxílio-saúde”. É o novo penduricalho do TJRS, MP-RS, Defensoria Pública e Tribunal de Contas.

Fabrice Coffrini / AFP / Google Imagens

Até a austera Suíça adere ao “matrimônio igualitário”

 

Até a austera Suíça adere ao “matrimônio igualitário”

  • Com sua população de 8,5 milhões de habitantes, a nação aprova o casamento para pessoas do mesmo sexo: é a 30ª no mundo todo e a 17ª na Europa.
  • Inveja saudável, enquanto vivemos em Porto Alegre: saiba quais as dez cidades mais habitáveis do globo terrestre.
  • Cresce o percentual dos que desconfiam do STF.
  • Os sinônimos e os antônimos de supremo.
  • Atenção, advogados: a magistratura começa a sua estratégia para tornar definitivo o “home-office”.
  • O que a OAB está fazendo para combater essa pretendida comodidade de desembargadores, juízes e servidores?