Ir para o conteúdo principal

Espaço Vital, terça-feira, 07.12.
(Próxima edição: sexta-feira, 10.12)
https://espacovital.com.br/images/romance_forense.jpg

Placas do carro: JUS 0000



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Distribuída à Vara do Trabalho, em cidade interiorana, o diretor de secretaria fez breve leitura da petição inicial, para verificar se estavam presentes os requisitos para a notificação do reclamado. Seria mais uma entre inúmeras demandas postulando horas extras, não fosse a peculiaridade da prova requerida.

Diante do inusitado que acabara de ler, o servidor forense quase invadiu o gabinete do sempre formal juiz.

- Doutor, o reclamante era porteiro de motel e está pedindo horas extras. Pegava às 7, tinha 45 minutos para almoço, ficava até as 19 – explicou.

- Se não houver urgência, inclua na pauta normal – determinou o magistrado.

- É que daí os autos vão rolar na vara, o que não seria recomendável... – observou o atento serventuário.

- Explique! - rebateu o magistrado.

- É que há um pedido antecipado, expresso e destacado de expedição de ofício ao Ciretran. O reclamante fotografou imagens e placas de 20 automóveis de clientes ´habituês´, nos horários em que ele teria feito as horas extras. E desse jeito, quer sejam informados os nomes dos proprietários dos veículos, para indicá-los como testemunhas.

- Ora! Na audiência, eu indefiro o requerimento e pronto. Cabe à parte identificar as suas testemunhas – o magistrado tentou abreviar.

- Mas... as placas do seu carro são as primeiras da relação. E outros servidores podem perceber. O senhor sabe como é cidade do interior... – alertou o servidor.

Feições de frisson às avessas, o juiz abalou-se ante a surpresa.

- Se é assim, a tutela é de urgência. Abra um horário especial próximo, na pauta e só permita que os advogados das partes examinem os autos, pois pelos interesses familiar, social e público envolvidos, a partir de agora o processo tramitará em segredo de justiça – determinou.

Dez dias depois, na audiência, o magistrado estava com paciência e bom humor incomuns. Espicha daqui, puxa dali, recomenda acolá, conseguiu a celebração de um acordo - e com pagamento no ato. Mais: as partes expressamente renunciaram ao prazo recursal.

- Bom pra vocês, bom pra Justiça, bom pra cidadania da cidade – disse, levantando-se, estendendo a mão e  cumprimentando as partes e seus advogados.

Na “rádio-corredor” local só se fala nisso. Mesmo que, ao final da audiência, o juiz tivesse ditado à escrevente uma frase arrematadora: “Já cumprido o acordo com o pagamento, arquivem-se os autos, mantendo-se o sigilo judicial".


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

CHARGE DE GERSON KAUER/DIVULGAÇÃO EV/JC

Cofrinhos femininos

 

Cofrinhos femininos

Na grande rede de lojas, um de seus gerentes era um homem quarentão que não respeitava as subordinadas mais novas. Segundo uma ação trabalhista, “ele era abusado, fazendo as funcionárias passar por situações vexatórias; chamava-as de 'gostosas'; e sempre dizia querer intimidades com o ´cofrinho feminino´”.

Charge de Gerson Kauer

O magistrado surfista

 

O magistrado surfista

“juiz s-t-q-q”. A história de um douto que era ligado em esportes marítimos. E que conseguia trabalhar enquanto surfava no mar maravilhoso – cujo defeito, apenas, era o de não ter águas azuladas padrão Aruba...

Charge de Gerson Kauer

Sexo tântrico no entardecer

 

Sexo tântrico no entardecer

Eram 6h da tarde de um sábado, quando bateu o telefone no 190. A voz feminina, do outro lado da linha, denotava irritação: “Tem um casal tarado, fazendo sexo na casa aqui ao lado, de tal jeito que está escandalizando as crianças que vieram à festinha de aniversário do meu filho”...

Charge de Gerson Kauer

É proibido usar cuecas!

 

É proibido usar cuecas!

A petição inicial da ação trabalhista continha uma afirmativa inusitada: “O reclamante – que exercia as funções de tesoureiro - não podia usar cuecas no trabalho e era obrigado a ficar totalmente nu durante muitas das revistas”...

Charge de Gerson Kauer

E precisava tudo isso?...

 

E precisava tudo isso?...

Meia-noite de uma sexta-feira, Sua Excelência e a esposa – cinquentão, e quarentona bem conservada, respectivamente - tentam apimentar o relacionamento sexual. Por isso combinam que ela, em decúbito ventral, será algemada num dos decorativos vãos da cabeceira da própria cama do casal...