Ir para o conteúdo principal

Nossa próxima edição será postada na terça-feira 1º de fevereiro de 2022
https://espacovital.com.br/images/201811081626490.jpg

O golpe de misericórdia



Foto de Lauro Alves – Google Imagens

Imagem da Matéria

Em uma guerra diante da impossibilidade de tratar o inimigo alvejado, para pôr um fim ao sofrimento, admite-se o tiro de misericórdia.

É uma forma de abreviar o sofrimento diante do inevitável.

Cair para a segundona, ainda mais para os grandes clubes gaúchos, é inaceitável. Claro que levamos em conta a prepotência da nossa condição de gaúchos. Por aqui tudo é melhor do que no restante do país.

O fantasma do rebaixamento também tem relação direta com a rivalidade entre os maiores – Internacional e Grêmio – é a gangorra. Isso muda tudo.

Imaginemos uma hipótese: a dupla na mesma situação, os dois prestes a cair. Seria diferente.

Hoje estaríamos cuidando do planejamento para 2022, com foco em quem melhor enfrentaria a segundona, garantindo o retorno para a divisão principal.

Mas não é assim, por aqui um vive em função do outro.

O Grêmio já caiu e só falta o golpe de misericórdia, aquele que encerra o sofrimento e as trapalhadas próprias do desespero. E como fica o Internacional se retirarmos o retumbante insucesso do rival?

Se focarmos apenas no colorado, nos daríamos conta da precariedade da sua situação: mais um ano passando sem conquistar nada. Em resumo ganhamos um Gre-Nal. Há muito a gestão atual marca passo sem sair do lugar e a eventual conquista de uma vaga indireta para a Libertadores é muito pouco.

Na contabilidade das gestões Medeiros/Barcellos, a coluna do nada cresce com o passar dos anos. O glorioso Internacional está muito longe do lugar que lhe cabe no futebol brasileiro.

A queda do Grêmio para mim já é fato consumado. Entrementes, o que temos ou sabemos acerca do planejamento do Inter para 2022?

Nada, rigorosamente nada!

A nossa caminhada é feita no improviso da ocasião, sem alento à torcida.

Só podemos comemorar o recuo da atual direção abandonando a ideia equivocada de que com o modernoso Ramirez seria possível estruturar o futebol.

Com o Grêmio na segundona - pela terceira vez -  o foco será o Internacional.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Imagem Segredos do Mundo

Final de ano

 

Final de ano

“Neste período de reconstrução do futebol não há muito a dizer. O Inter está pondo em prática o tal planejamento do ´novo no futebol´. O Grêmio tem uma possibilidade de reaglutinar a torcida, abandonar a arrogância da imortalidade e com humildade fazer do limão uma limonada”.

Foto: Pedro H. Tesch/AGIF

A Jus esverdeada

 

A Jus esverdeada

“Aqui a cor é vermelha! Não estou indicando mais uma possibilidade no modismo que tomou conta do marketing do Internacional, ou seja, de que a próxima camiseta colorada - a caça níquel - será verde".

Chargista Duke – www.domtotal.com

Quem entrega e para quem?

 

Quem entrega e para quem?

“Atletas e técnicos são profissionais e mesmo considerando os vínculos afetivos, prestam contas aos seus contratantes. A tal entrega do jogo subverte o comando do vestiário e autoriza, em outras circunstâncias, que os comandados possam fazer o mesmo segundo os seus interesses”.

Ricardo Duarte/Inter

O Gre-Nal termi-Nal...

 

O Gre-Nal termi-Nal...

O clássico de sábado (6) foi marcante pelo resultado, pois os times jogaram alterando momentos ruins e bons. O gol da vitória colorada fez justiça. E o Grêmio enfrentará pela terceira vez a segunda divisão do futebol brasileiro. Ela não é fácil!”

Joel Vargas/PMPA

Cheiro de Gre-Nal

 

Cheiro de Gre-Nal

“É primavera, mas estou entre aqueles que imaginam que nossa cidade foi concebida para o outono. É na estação em que ela adquire um colorido todo especial. O Gre-Nal já está no horizonte e pode valer muito para a dupla”.